"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

reinos da Europa atlântica nos séculos VI e VII




























vemos na imagem vários reinos medievais da Europa Ocidental/Atlântica.
a Peninsula Ibérica (da qual vemos o Norte) era dividida em dois Reinos: o Reino da Gallaecia e o Reino da Hispânia, quer durante, quer após o periodo Suevo, já que a coroa/dinastia visigótica nunca unificou totalmente a peninsula e respeitou formalmente a autonomia e territorialidade do Noroeste Peninsular (leis, instituições, organização estatal),  embora a dinastia fosse a mesma.
no Sul de França existia a Gallia Narbonensis, também anexada à coroa visigótica e também independente dos outros dois Reinos ibéricos, e ainda o Ducado da Aquitânia, que era igualmente autónomo do Reino Franco no Norte, embora regido por estes. o Duque Loup, conseguiu a independência da região no ano 671, ainda durante o século VII.
no canto Noroeste da França (Armórica), existiam vários Reinos Britónicos, ocupados por britónicos, já refugiados após as invasões anglo-saxónicas.  outros dois Reinos britónicos existiam na Grã-Bretanha, as actuais Cornualha e Gales.  o resto do território era dominado por Reinos Anglo-Saxónicos e na Irlanda existiam Reinos gaélicos.

a tendência temporal não era para a aglutinação, mas antes para a tribalização. os Reinos que não estavam dominados por germânicos (celtas gaélicos e britónicos) não tendiam para se juntarem num só estado, mas antes para se dividirem em vários.
mesmo os germânicos, quando conquistavam ou anexavam territórios diferentes para as suas possessões, tendiam a respeitar a autonomia politica e estatal destes, mesmo debaixo da mesma dinastia, coroa, etc
uma atitude que muito serviu para contrariar o periodo romano de excessiva centralização, "homogeneização",  adoptando um modelo regional ao invés de unitário/global.
ainda hoje pagamos caro os desvarios do império romano. e nota-se isso através da tendência nos tempos que correm.

Sem comentários: