"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

quarta-feira, 1 de junho de 2011

nem tudo eram rosas antes de 25-4-74
















do lado esquerdo vê-se o angolano Eduardo Nascimento a representar Portugal no Festival Eurovisão da Canção de 1967, sendo o primeiro (!) negro a pisar os palcos da Eurovisão, com o consentimento de Salazar, para "provar" que Portugal não era "racista" (era o que se dizia)
do lado direito, vê-se Salazar em amena cavaqueira com um dos símbolos do regime, depois de Fátima, do Fado ou Amália...o moçambicano Eusébio, endeusado como poucos ou nenhuns o foram.

a conversa de que antes do 25/4 é que isto era tudo bom, e que a revolução é que significou a "decadência" ou a "traição", não passa disso mesmo...conversa!
a decadência pode ter-se acentuado e fundamentalizado no pós 25/4, mas não começou aí, aliás nem sequer começou com o Estado Novo, que já tinha encontrado inspiração no império, nos descobrimentos, ou nos mulatos do Brasil e Cabo-Verde.













selecção portuguesa de 1966 (4 não-brancos) e cartaz da marcha «Angola é Nossa!»

Sem comentários: