"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

parentesco entre bascos, argelinos e ibéricos

























são apenas os portugueses sensivelmente a partir da linha do Tejo, que partilham frequências de alelos e haplotipos com os bascos, espanhóis do Sul e Levante (Oriente) e ainda com Argelinos.
convém frisar que estes Argelinos não são os actuais, mas sim proto-berberes do Norte de Àfrica ou paleo-Norte Africanos.

podem ler aqui o artigo:
http://www.springerlink.com/content/cj2f3h4g1cxd73g7/


tem um astract do qual destaco:

"The paleo-North African haplotype A30-B18-DR3 present in Basques, Algerians, and Spaniards is not found in Portuguese either. The Portuguese have a characteristic unique among world populations: a high frequency of HLA-A25-B18-DR15 and A26-B38-DR13, which may reflect a still detectable founder effect coming from ancient Portuguese, i.e., oestrimnios and conios; Basques and Algerians also show specific haplotypes, A11-B27-DR1 and A2-B35-DR11, respectively, probably showing a relatively lower degree of admixture."


claro que estas populações "portuguesas" apresentam especificidades, mas o que importa realçar é que a origem destas populações antigas do Alentejo e Algarve não é indo-europeia e tem parentesco com outras populações pré-indo-europeias, como por exemplo, os bascos.


podem ainda ler um PDF completo aqui:

http://www.springerlink.com/content/cj2f3h4g1cxd73g7/fulltext.pdf

Sem comentários: