"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

terça-feira, 9 de julho de 2013

10 razões para não apoiar israel

1- porque é um estado extra-europeu, não apenas do ponto de vista geográfico, mas também étnico e cultural. logo, um estado extra-europeu, não está para nós como os outros estados europeus ao nível de obrigação, dever, afinidade, ligação, etc.

2- porque a legitimidade étnica e histórica do estado israelita é discutível e duvidosa. claro que entre eles, os judeus dizem quem é judeu, mas depois não podem esperar reconhecimento dos outros. além disso, a propriedade de uma terra não é definida à priori e por "direito divino". ou existe, antes de mais nada, uma base e legitimidade étnica ou então o resto não conta; e sendo assim, a palestina não é "a terra dos judeus" à priori, e onde eles decidem tudo, apenas "porque sim".

3- porque israel não apoia as identidades europeias, antes pelo contrário. logo, não apoiar israel é apenas pagar na mesma moeda, não é dar "tratamento diferente" a esse país. não cabe na cabeça de ninguém, por exemplo, ir comprar casa e carro a um bandido desalojado só para que ele deixe de nos chatear, usando uma analogia.

4- porque israel sai muito caro ao Ocidente, quer aos americanos, quer aos europeus, e porque parte do dinheiro que os judeus "ocidentais" arrancam a estes países vai direitinho para israel.

5- porque israel é um estado terrorista (não só contra os islâmicos) e tem células terroristas, até mesmo no seio de organizações radicais islâmicas, p. exemplo. e com terroristas não há aliança, apoio ou negociação.

6- porque apesar de israel existir há quase 6 décadas e meia, a maioria dos judeus continua a viver fora de israel e não dentro.

7- porque israel é apenas a organização central do sionismo internacional no seu todo.

8- porque além de ser assunto alheio, não há perigo de que israel venha a "cair", devido a todo o arsenal tecnológico e nuclear roubado ao seu dispôr, mas não só. se não caiu em 6 décadas e meia, não será agora que vai cair. e se caísse, o problema desses judeus era exclusivamente deles (ler a parte final do ponto 3), seja como for esse problema já existiu antes de 1948, e depois disso nada mudou, além de que o Mundo é imenso e já houve planos para estabelecer um estado judaico em diversos pontos do globo.

9- porque israel mete o Ocidente e os recursos Ocidentais (incluíndo humanos) ao serviço de guerras alheias que só servem o seu próprio interesse.

10- porque apesar de toda a chantagem psicológica terrorista com a ameaça dos islâmicos e não só, o Ocidente continua a ser islamizado por agentes judeus, apesar da continuidade e longevidade do estado israelita. ou seja, a islamização é um dado adquirido, com ou "sem israel". a chantagem é usada apenas para manter os estúpidos de cócoras e sacar mais e mais fundos, recursos, etc.


poderia ainda falar do Talmud (livro e religião que rege os israelitas), da arrogância etnocêntrica e supremacista dos dirigentes israelitas, que se enquadra no ponto 3, ou então das críticas ao Appartheid sul-africano durante os anos 50 e 60, até aos dirigentes israelitas entenderem que havia ali interesses judaicos fortes - mas só até 1994 - o que novamente se enquadra no ponto 3 e etc, etc.
mas penso que estes motivos já chegam e sobram, para manter, pelo menos, uma postura indiferente relativamente ao estado israelita.

2 comentários:

Pedro Lopes disse...

Muito bom tópico.

"6- porque apesar de israel existir há quase 6 décadas e meia, a maioria dos judeus continua a viver fora de israel e não dentro."

O problema é que os que estão fora, e são os piores(Os verdadeiros parasitas), não cabem todos em Israel. Em Israel há 6 milhões e fora há mais de 7 milhões.

http://en.wikipedia.org/wiki/Jewish_population_by_country

Onde meter os outros 7 milhões?
Andarem por ai á solta é que não.

Thor disse...

na Antártida, talvez?
não vou é apoiar estados terroristas expansionistas e supremacistas anti-europeus, na esperança louca e irrealista de que "um dia" os judeus vão para lá - coisa que não aconteceu em 65 anos, nem parcialmente - ou com "medinho" que os outros 6 milhões venham para cá.
apoio só quem merece, não apoio bandidos e escumalha alienigena que quer o meu fim.