"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

domingo, 29 de maio de 2016

Salazar e o sufrágio universal











































Não creio no sufrágio universal, porque o voto individual não tem em conta a diferenciação humana. Não creio na igualdade, mas na hierarquia. Os homens, na minha opinião, devem ser iguais perante a lei, mas considero perigoso atribuir a todos os mesmos direitos políticos.
António de Oliveira Salazar, entrevista ao jornal «Le Figaro», Setembro de 1958.

33 comentários:

Anónimo disse...

ta mais que provado que os europeus nao tem inteligencia para democracia, especialmente quando ha media e propaganda.
Ja os Asiaticos, parecem ter mais cabeça para democracia, media e propaganda. Parece que la sao mais objectivos e inteligentes, enquanto na europa ha mais "sensiveis", histericos, pessoas que se deixam levar pelas emoções, etc.
E como tambem dizem, nos Asiaticos o nivel de QI é muito igual entre a população, enquanto na europa ha uma maior disparidade, ha os genios e ha os que estao um pouco abaixo. E à custa da merda que esta abaixo, temos uma democracia miseravel e suicida.

Thor disse...

não, a democracia não funciona em lado nenhum. nem no Japão...

https://3.bp.blogspot.com/-1Fb6gVk5bdE/VzHDs3hT0VI/AAAAAAAASl8/m1-yI_KFCVUdPQqFO2mlF3Qq2th-Sg-gwCLcB/s400/AP_105017695517.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-RUjG-Glji1o/VzHHpbVifjI/AAAAAAAASmQ/UpCr6ugJQlMNaolNs3qNofEmX2xBnmR3wCLcB/s400/Japan-Fags-2.jpg


na Coreia do Sul também não.
http://blog.eternalvigilance.me/wp-content/uploads/2012/11/south-Korea.jpg
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2015/02/propaganda-chegou-coreia.html

N disse...

Claro que a democracia não funciona em lado nenhum. Pode é funcionar menos mal nalguns países.

E o factor inteligência não é o único que diferencia os melhores dos piores.
Tu podes ser inteligente, mas seres ignorante!
Tu podes ser inteligente, mas seres corrupto!
Tu podes ser inteligente, mas seres traidor!
Tu podes ser inteligente, mas seres fraco de espírito!

Numa democracia um homem inteligente e sábio vale tanto nas urnas como um homem inteligente e ignorante.
Numa democracia um homem inteligente e honesto vale tanto nas urnas como um homem inteligente e corrupto.
Numa democracia um homem inteligente e leal vale tanto nas urnas como um homem inteligente e traidor.
Numa democracia um homem inteligente e de forte carácter vale tanto nas urnas como um homem inteligente e moralmente covarde.

Se isto já de si é totalmente injusto e anti-meritocrata...Agora soma os burros, os degenerados, os violadores de mulheres, os paneleiros, os pedófilos, os não-nativos de toda a espécie racial, étnica e religiosa, etc...Todos a valerem o mesmo nas urnas.

Democracia é demência para os idiotas úteis que acreditam nela.
Mas há aqueles que não acreditam nela, mas a pregam. Porquê? Porque a democracia é uma armadilha de sabotagem e destruição nacional.

Gang2 Ervilha disse...

Salazar era um fino pensador, não só expunha a sua teoria, como a aplicava no terreno, na prática. Um pensador verdadeiramente extraordinário.

Reparem só no que ele diz sobre os partidos políticos :

“O espírito do partido corrompe ou degrada o poder, deforma a visão dos problemas, sacrifica a ordem natural de soluções, se sobrepõe ao interesse nacional, entrava – quando ele não se opõe completamente – a utilização dos valores nacionais ao serviço do bem comum. Este aspecto da questão, é quanto eu penso, um dos mais graves.”

O role nefasto dos partidos políticos : a dispersão do pensar nacional, da unidade nacional, da colectividade nacional :

“... os espíritos encontram-se hoje solicitados em diversas direcções, por escolas políticas, filosóficas, estéticas, que se tentássemos de reuni-las, seja em que país for, homens pensando uniformemente sobre um vasto conjunto de problemas nacionais, teríamos mesmo assim de contentarmos-nos com um grupo extremamente limitado e negar ao seio deste mesmo grupo a liberdade de pensar. Os partidos políticos obedecem a esse sistema e são a imagem dessas limitações. Mas esses partidos, por definição, ou em virtude das exigências da sua própria vida, não representam nem podem servir a unidade nacional, senão unicamente quando eles conseguem formar entre eles uma união precária, dito de outra maneira, quando eles se negam a eles mesmos.”

Ele diz muito mais, sobre a democracia dos partidos, a democracia em geral, mas para resumir, estas palavras são demais, e é lá que observamos o profundo espírito analítico de Salazar, devastador :

“Dito de outra maneira, a Nação tende instintivamente à unidade, os partidos à divisão.”

Gang2 Ervilha disse...

Raros foram os casos em que um partido verdadeiramente de interesse nacional, conseguiu pelo voto democrático, chegar ao poder. Coisa feita, instintivamente é necessário acabar com a judeo-democracia e impor a ordem natural, a meritocracia. É pelo esforço e provas dadas no terreno, que os mais aptos, os que se sobressaem do povo, devem ser coroados como os mais dignos e fiáveis dirigentes. Hoje em dia nada disto acontece, reclama-se o voto do povo para votar naqueles que o sistema ele mesmo apresenta para que se vote. O povo não tem escolha possível para além disto. Tampouco lhe vale de alguma coisa protestar com um não-voto ou voto em branco.

Mesmo que se tente fazer ou igualar o acto extraordinário do NSDAP que conseguiu chegar ao poder através do voto, coisa rara, tal coisa seria praticamente impossível hoje em dia, pois os meios colossais exigidos, tais como financeiros, só estão ao alcance de quem possui estes meios – os parasitas do sistema - e por essa via, todo e praticamente qualquer partido, em principio, está garrotado e deixa de ter liberdade de se exprimir como deseja, mas é obrigado a enquadrar-se com as ideias do financiador parasita. Logo seja qual for o voto, em que partido for, os dados estão viciados.


Isto são partidos que vêm de cima para baixo, formados pelos parasitas lá de cima, logo não podem corresponder à vontade e desejos do povo. O único partido que possa ansiar e estar em linha com a visão do povo, é aquele que vem de baixo e chega lá acima. Foi o caso do NSDAP, que soube organizar e atirar a atenção da base da Nação, da classe trabalhadora, dos camponeses, dos agricultores, daqueles que respiravam a terra e assim sentiam o odor da Nação. De todos aqueles que não viviam nos grandes conglomerados, onde o capitalismo havia destruído ou desestruturado a base da Nação, promovendo neles o egoísmo, o individualismo. Todo o contrário do secular colectivismo da base da Nação, da sua entre-ajuda e unidade de pensar. Apenas lhes bastou um homem, um partido que cristalizasse nele mesmo, a vontade desta base. Neste aspecto Hitler foi uma excepção, quanto ao resto, tendo esta base a seu favor, o resto explica-se pela psicologia de massa que encontrou um terreno propicio a frutificar-se devido ao descontentamento geral que se vivia nos conglomerados, onde a miséria e a fome eram lei.

Ou uma contra-revolução e deite-se abaixo este sistema maldito, ou então que se ouse fundar um partido que abrace a base da Nação e progressivamente se ice ao de cima única e exclusivamente pela teimosia e vontade do povo em querer içá-lo. Se porventura chegar ao cimo, deve-se deitar abaixo o sistema dito “democrático” pelo qual ele mesmo utilizou para lá chegar, sempre tendo o interesse da Nação, o bem comum, como máxima prioridade.

Arrebente-se com este sistema de uma vez por todas, ou utilize-se este sistema para acabar com o sistema ele mesmo. Existe aí muitos pelourinhos ainda, que já começam a ter falta de uso.

N disse...

A situação da Alemanha antes de Hitler não é comparável com os tempos de hoje porque:

O povo era qualquer coisa como 97,98, quiçá mesmo 99% biologicamente nativo.

Do ponto de vista étnico, entre 80 a 85% era nativo. Já estou a pôr de fora os Germânicos nativos do ponto de vista biológico mas não étnico; Apátridas, liberais, degenerados, etc...

Os valores de antigamente não são comparáveis com os de hoje. Traição e traidores sempre houve, mas eram mal-encarados pelas sociedades, quando não violentamente(e legitimamente acrescente-se) castigados. Hoje a traição é regra e não a excepção, e chega-se mesmo ao ponto da glorificação da traição e dos traidores.

Dantes os média não eram tão sofisticados no terrorismo intelectual, desinformação, lavagem cerebral, e até mesmo terrorismo tecnológico.
Hoje as pessoas são enganadas ao segundo através de um botão do telemóvel.
Os jovens são formatados desde cedo para serem escravos degenerados do ZOG.
Os pais e mães antes de o serem, são muitas vezes alvo de terrorismo tecnológico por parte de medias privados que fazem escutas e videovigilâcias ilegais nas suas propriedades privadas, para os impedirem de se reproduzirem.

As Forças Armadas tinham outro espírito. Hoje a prioridade de muitos é ser mercenário ao serviço dos americo-sionistas no Médio Oriente ou no Kosovo.

E as mulheres não tinham sido contaminadas espiritualmente pelo feminismo.
Hoje estão mais preocupadas em não perder o próximo episódio das kardashians, do que em salvaguardar um futuro decente e digno para os seus filhos e filhas.


Só um perfeito idiota pode acreditar numa solução democrática nos tempos de hoje.
Ainda para mais com estas vagas kalergianas de milhões a entrar na Europa onde cada um deles irá valer um voto nas urnas.

Há partidos como o Golden Dawn da Grécia que são importantes como estratégia de ir conquistando o poder por dentro, e jogar em várias frentes.
Mas não sejamos ingénuos...As soluções terão que ser inevitavelmente golpes militares nacionalistas.

O caso de Portugal, não se compara; aqui não existe solução democrática de qualquer tipo.
Golpe militar nacionalista ou morte da Nação. São estas as duas opções que há para escolher. Ou és leal à Nação, ou és traidor para com a Nação. Não há meio-termo neste tipo de coisas.

Gang2 Ervilha disse...

Sobre o Golden Dawn, ele é a prova de que conseguiram penetrar no sistema. O próprio sistema que foi concebido para aniquilar toda pretensão nacionalista, por incrível que pareça, é este mesmo sistema que os alimenta e financia contra-vontade.

Todo o sistema, seja ele qual for, tem as suas falhas. O Golden Dawn prova que é possível explorar as falhas do sistema. Vê isto como um sistema informático, que por mais segurança que tenha, sempre haverá meio de arrombar a porta ou de entrar pela janela.

Quanto à homogeneidade, o essencial a reter, é de que a homogeneidade da alma de uma Nação, de séculos de existência, essa é intocável e impossível a mestiçar. Ela está lá. É daí que vem os grandes feitos que fizeram história. É daí que vem a coragem que tantos inspirou a defenderem a ferro e fogo a sua Nação, os da sua raça. Esta força é como um rolo-compressor que tudo arrasa à sua frente. Chamemos-a! Devemos contemplar os feitos dos nossos heróis. Isto inspira, faz tremer de respeito.

Ainda ontem estava a ler a história de Dom Fujas e só me dizia para mim mesmo “Se existiu alguém com culhões de chumbo, este era certamente um deles”. E senti tanto orgulho em ser português, que esta sensação não dá para descrever. Só de pensar que este Dom Fujas faz parte dos meus, dos da minha raça, da minha raça, sangue do meu sangue, e que em cada português esconde-se um Dom Fujas pronto a acordar, isto é terrivelmente maravilhoso. Não existe descrição possível para tal sensação.

E é neste ponto que acho estúpido e arrogante estes lacaios e judiarias, tentarem, ousarem, destruir uma Nação de tal maneira, pela mestiçagem. Ah ah! Mesmo se poucos sobrarmos, o efeito boomerang será tão forte e devastador... que sinceramente, não desejaria por nada deste mundo estar na pele dos traidores quando este momento chegar.

Que se cumpra o velho ditado que até agora nunca deixou de se cumprir : “batermos no fundo para nos levantarmos”. Atenção ao “levantar”... pois este será com força e vigor!

As diferenças de época, de mentalidade, de moral, de vivência, são variáveis que incidem numa Nação, e que a um momento ou outro, oscilam e fogem da “normalidade”, do costume, da tradição. Mas a Terra-Mãe, a Nação, dispensará uma forte chicoteada para que os seus filhos acordem. Pouco importa se numa época existia mais ou menos feminismo, mais ou menos paneleiragem. Tudo será varrido desde o Norte até ao Sul, de Oeste a Este.

Se houver um partido que nasça, e que note que ali algo vale a pena, eu dou o meu voto e apoio. Estou farto de subir em cima das costas o voto de merda dos outros. Eu nunca votei nem tenho afiliação partidária nem jamais a tive, e estou farto de levar com a escolha dos outros, que decidem quem me deve vir ao bolso. São muitos anos a sofrer disto. Estou farto!

Se a revolução vier, quer haja ou não partido, eu estarei lá para dar largas ao meu descontentamento. Mas isso de estar assentado num sofá com a mossberg ali ao lado e esperar que a revolução venha, também não dá. Arriscamos-nos a morrer de velhice ali no sofá à espera do que esperávamos que viesse, mas que o destino desejou que viesse depois da nossa longa espera

N disse...

A primeira coisa a preparar numa revolução nacional é a doutrinação.

Tem que se saber MUITO BEM o que se quer, o que não se quer, e para onde se quer ir.
E isto depende da capacidade intelectual dos demais, da sua força de carácter, e da sua maturidade espiritual.


Eu já fiz acção directa sobre sedes e bancos.
Já fui dormir para a cadeira à pala disso.
Destruí completamente toda a falsa legitimidade dos democratas assente em mentiras e propaganda por mim desmontadas.
Já apresentei queixas contra políticos pelo crime de traição à Pátria nas instalações próprias.
Estudo várias horas por dia há anos para poder informar os outros(Muito poucos têm noção do desgaste psicológico disto).
Abdiquei de TODA a vida social em prol da luta pela Nação(Nem a merda dos meus anos festejo uma vez por ano).
Fiz e faço propaganda acessível do ponto de vista de compreensão intelectual.
Fiz e faço propaganda de cariz mais inspiracional.
Tudo isto sem receber quaisquer apoios estatais, ou dinheiro de quotas de membros como nos partidos, ou doações através de qualquer conta de apoio via internet.

E tudo isto vigiado 24 horas por dia!

Eu tenho a consciência muito tranquila mesmo...Cada um que faça a sua parte.
E que tenham em conta que quem tem mais meios, aptidões e condições, obviamente tem mais obrigações de contribuir para a causa nacionalista.


E isto pode custa muito a ouvir, mas é a realidade:
Sem ovos não se fazem omeletes!
Isto é como uma equipa de futebol; por muito bom que seja o treinador, sem jogadores de qualidade e esforçados, não há projecto que resista!

Qualquer líder nacionalista, ou conjunto de líderes melhor dizendo, está sempre dependente da qualidade do povo a qual pertencem.

G disse...

"Dantes os média não eram tão sofisticados no terrorismo intelectual, desinformação, lavagem cerebral, e até mesmo terrorismo tecnológico.
Hoje as pessoas são enganadas ao segundo através de um botão do telemóvel.
Os jovens são formatados desde cedo para serem escravos degenerados do ZOG.
Os pais e mães antes de o serem, são muitas vezes alvo de terrorismo tecnológico por parte de medias privados que fazem escutas e videovigilâcias ilegais nas suas propriedades privadas, para os impedirem de se reproduzirem."

Completamente de acordo. Hoje os media dominam a população, fazem gato sapato dela, fazem o que querem com o povo, até defenderem e terem orgulho do seu proprio suicidio, algo que antes dos media era impensavel, ainda por cima hoje em dia que somos mais instruidos de ciencia e biologia e sabemos mais acerca das outras raças, do que construiram nos seus países, dos problemas que criam nos seus países e mesmo por cá.


"Só um perfeito idiota pode acreditar numa solução democrática nos tempos de hoje."

Sim, enquanto os media forem dominados pela propaganda multiracialista, é impossivel. Eles escolhem as noticias, eles escondem e não divulgam o que não lhes convém. E fazem puro terrorismo com qualquer manifestação nacionalista. Pura propaganda.

G disse...

"E é neste ponto que acho estúpido e arrogante estes lacaios e judiarias, tentarem, ousarem, destruir uma Nação de tal maneira, pela mestiçagem. Ah ah! Mesmo se poucos sobrarmos, o efeito boomerang será tão forte e devastador... que sinceramente, não desejaria por nada deste mundo estar na pele dos traidores quando este momento chegar.

Que se cumpra o velho ditado que até agora nunca deixou de se cumprir : “batermos no fundo para nos levantarmos”. Atenção ao “levantar”... pois este será com força e vigor!"

Muitos acreditam que haverá uma espécie de milagre, as pessoas "acordarão" e iremos voltar ao que era dantes. Com "força e vigor"..
Penso que já é impossivel voltar ao que era dantes e nisso temos a história que nos tem mostrado isso. A Europa tem vindo a perder consecutivamente a sua Identidade. Reparem os inumeros casos:
- Grécia antiga invadida, mais tarde com ajuda de outros países la recuperaram independencia e expulsaram uns quantos, mas houve muita mestiçagem e os Gregos actuais, estão longe da pureza racial de antigamente. Nunca mais foram a potência de outrora. Filosofia, matematica, ciencia, comércio, sociedade evoluida, enfim, hoje são uma sombra do passado. Pela descrição de antigamente, hoje o mais parecido que encontramos são os países Escandinavos antes da invasão massiva de imigrantes. Diziam que havia 30% de loiros na Antiga Grécia e pelas suas estatuas tambem vemos muito nordicismo. Isso perdeu-se para sempre.
- Roma antiga, ainda ha umas semanas este blog meteu um post de estatuas com Romanos nordicos. Estimava-se que havia bastante nordicismo na população original Romana, porém as invasões Barbaras e outras acabaram com os Romanos antigos. Houve mestiçagem, deixaram de ser o que eram. Como até meteram num comentario, numa certa altura do imperio Romano, em Roma ja pouco latim se falava e nas ruas ouvia-se mais linguas barbaras.
- Era de ouro da Holanda, também consta-se que esta era de ouro terminou com a vinda de muita imigração para Amsterdão
- Era de ouro Inglesa, com a vinda de muitos imigrantes dos países Celtas, a Inglaterra foi-se abaixo, perdeu muito da sua Germanicidade e com isso a sua superioridade que tinham na altura, a nivel de inventividade, criadorismo, ciencia e a nivel empresarial/economico.
- Invasões Muçulmanas na Europa do Sul, mais tarde é certo que os expulsamos, mas mais uma vez, houve alguma mistura que ficou, nalgumas zonas até muita, e mais uma vez a Europa perdeu um pouco da identidade original nesses territórios.

Fora da Europa, no Antigo Egipto, também dizia-se que havia por lá ruivos, loiros na altura dos Faraós. Começaram a misturar-se com escravos e la se foram os Antigos Egipcios e a sua sociedade.


A História tem-nos mostrado que com o tempo a identidade dos povos tem-se vindo a perder, especialmente nesta area da Europa e arredores (Norte de Africa, Peninsula Arabica, India).

Portanto penso que mais uma vez sera isso que acontecerá na Europa, até porque hoje em dia temos os media a dominar a população. Se foram os judeus ou não, a verdade é que ao longo da História, temos vindo a perder a nossa identidade e certas zonas europeias têm vindo a perder a sua Germanicidade.
Portanto isso de levantar com força e vigor, parece-me longe da realidade. Temos saido sempre derrotados, temos vindo a perder sempre um pouco e mais um pouco da nossa identidade enquanto outros povos têm-se mantido praticamente iguais (Coreanos, Japoneses).

Thor disse...

"Se foram os judeus ou não"


se foram os judeus ou não? mas qual é a dúvida, afinal? mas alguém tem dúvidas?

Gang2 Ervilha disse...

Não concordo com esse discurso. Falas como se tivéssemos de subir a “fatalidade do destino”, de algo que, quer queiramos quer não, começou a destruir-nos e acabará por destruir-nos. Isso é um discurso “fatalista”, típico da “nova direita”, dos “ciclos da vida” que seja como for, independentemente da nossa vontade, só temos de subi-los e não respingar.

Primeiro, as invasões germânicas renovaram o substrato racial de quase toda a Europa. Tácito dizia deles que “parece-me que são uma raça pura, pois são todos iguais e semelhantes fisicamente”.

Esta renovação veio dar um golpe atroz no multiculturalismo do Império Romano, onde até se chegou ao cumulo de ter um Imperador semita. As invasões bárbaras, fizeram-nos muito bem. Houve um retrocesso civilizacional, mas foi muito breve e rápido, pois as estruturas da civilização, romana foram guardadas pelos monges daquele tempo, que as transmitiram aos bárbaros e assim mais uma vez, depois de ter batido no fundo, a civilização europeia ergueu-se, com força e vigor. E permaneceu racialmente muito estável desde então, até aos nossos anos 60...

O mesmo facto tinha acontecido anteriormente com a antiga Grécia, que depois de uma degradação total, foram renovados pelas hostes romanas. É ler por exemplo Políbio para se ter uma ideia da sociedade depravada que a antiga Grécia vivia.

Existe, sempre uma renovação e revivificação do estrato racial europeu pela própria raça europeia, seja ela Celta, Germânica, Eslava ou Ibera.

Sobre a actual Grécia, e toda aquela zona, é do facto do Império Otomano ter sido muito recente ainda. Foram séculos de dominação turca que não se limpam de um dia para o outro. E diga-se, que os gregos depois, nunca tiveram uma autoridade à altura. A corrupção ali é ainda mais grave do que aqui. Adquiriram os maus hábitos dos turcos devido a séculos de escravidão e maltrato e deixaram-se esmorecer. Como diz um filósofo “O povo submisso continua assim a perder toda a sua energia e a esmorecer até que desapareça do mundo”.


Portanto, não alinho nesse discurso, e sobretudo não alinho em “germanismos”, pois as várias raças europeias, não se limitam aos “germanos”. A raça europeia é nórdica, ela é mediterrânica. Ela é constituída pela espiritualidade celta, pela tecnicidade germana, pela devoção do ibero e imprevisibilidade do eslavo.

Não é sensato, sobretudo nos tempos que vivemos, cultivarmos uns e desleixar os outros como se não existissem ou fossem supostamente “inferiores” por alguma razão misteriosa ainda por descobrir. Isso cria divisões entre europeus, cria divisão no seio de um mesmo país, e francamente, os tempos de agora não estão nada para isso. O português é português, o espanhol é espanhol, o francês é francês, o alemão é alemão, o inglês é inglês, mas acima de tudo, e face ao perigo, somos europeus, de raiz. Isto que se passa não é exclusivo dos alemães, dos franceses ou dos gregos. Isto toca a todos nós. Isto é um problema comum.

Gang2 Ervilha disse...

@N

Eu não estava de nenhuma maneira, nem com essa intenção, querer dizer que alguém estava assentado no sofá sem fazer nada. Foi uma maneira de exprimir e de incentivar união. Todos sabemos que ninguém está aqui assentado, cada um activa-se, à sua maneira, a fazer passar as suas ideias de acordo com o bem comum da Nação.

Thor disse...

"Não concordo com esse discurso. Falas como se tivéssemos de subir a “fatalidade do destino”, de algo que, quer queiramos quer não, começou a destruir-nos e acabará por destruir-nos. Isso é um discurso “fatalista”, típico da “nova direita”, dos “ciclos da vida” que seja como for, independentemente da nossa vontade, só temos de subi-los e não respingar."


o G não é Nacional-Socialista. basta ver que ele nunca fala da questão judaica e, aliás, nada sabe sobre a mesma ou não quer saber disso, sei lá. apesar de aqui se falar disso há anos e se apresentar provas.
essa coisa de só e apenas falar de competições entre povos Europeus, depois não deixa espaço para mais nada, quanto mais procurar estudar sobre história, conjuntura, sionismo, etc
nunca vi o G falar sobre a questão judaica.
mas, vá lá, pelo menos também não defende os judeus. já não é mau.
sim, ele parece-me da "Nova Direita"...

Thor disse...

"Não é sensato, sobretudo nos tempos que vivemos, cultivarmos uns e desleixar os outros como se não existissem (...). Isso cria divisões entre europeus, cria divisão no seio de um mesmo país, e francamente, os tempos de agora não estão nada para isso. O português é português, o espanhol é espanhol, o francês é francês, o alemão é alemão, o inglês é inglês, mas acima de tudo, e face ao perigo, somos europeus, de raiz"


sim, os tempos não estão para isso. tens toda a razão. mas não te esqueças que para o G, a ameaça sionista não existe, ou, pelo menos, ele não quer saber disso para nada (vá lá, também não defende os judeus, menos mal). e como ele não vê a ameaça, também não vê mal em dividir povos Europeus dessa maneira.

e eu nem sequer acho que haja grande drama em dizer que os germânicos são melhores que os outros Europeus, ou que os japoneses são melhores que os germânicos - isto nem sequer é "germanismo", se fosse "germanismo" ou "subserviência", então não dizia que certos asiáticos tipo japoneses, eram melhores.
além de que fala-se de "superioridade estrutural" em média...não se fala de relações, subserviência, etc

o que me faz confusão é dizer que, por causa disso, todos os outros são uma merda. é os eslavos que são merda, é os próprios celtas que são merda, etc, etc tudo e todos são uma merda menos os próprios germânicos (e os japoneses)

é isso que me irrita. como tu dizes, isso é falso, e sobretudo há prioridades, não é tempo para isso.
passar os dias a dizer que russos são uma merda, e que celtas não valem nada ou causaram o declínio da Inglaterra, só falar de competições de povos enquanto estamos a lidar com um inimigo monstruoso é puro autismo. não tem outro nome.

não sou contra que até se possa falar disso, de vez em quando. mas não saber falar de mais nada, é surreal.
isso não é o espírito nem a mentalidade Nacional-Socialista ou sequer Nacionalista de outra corrente qualquer.

N disse...

Esse G não sabe o que diz.

Os Ingleses nativos são uma mistura de Celtas+Germânicos, Bretões+Saxões.
A França antes de ter sido sabotada pelos judeus era uma potência mundial respeitada e temida e é uma Nação de ascendência Celta.

Portugal e Espanha andavam a dominar grande parte do globo pelo mar e por terra, e biologicamente são povos Celtas.

A Suíça dado o tamanho e recursos é dos mais países mais bem desenvolvidos e é uma nação biologicamente Celta.


No que diz respeito ao QI, todas as sub-raças Arianas e etnias têm a mesma média de QI.
A única coisa que realmente difere, é que há determinados tipos de sangue(eu não sou especialista nisto, mas há quem seja) onde o testosterona é um bocadito mais alto.
Sangue Celta e Germânico são os com maior valor de testosterona entre as sub-raças Arianas.

Os Japoneses são superiores a nível de média de QI em relação a nós, mas são bastante inferiores a nível de testosterona.
Os Arianos a par dos Negros são os que têm maior nível de testosterona.

Em média de QI a coisa é assim:

1º East Asians(Japoneses,Chineses,Coreanos...)
2º Arianos
3º Árabes e judeus(Os judeus mais puros e originais do ponto de vista racial)
4º Indianos
5º Ameríndios
6º Negros
7º Aborígenes da Austrália

Depois tens os mestiços que entram no meio da tabela e que varia os resultados.
Exemplo:

Negros+Arianos=Mulatos com média de QI próxima dos Ameríndios ou mesmo ao seu nível.
Ameríndios+Arianos=Mestiços com média de QI próxima dos Árabes ou judeus ou mesmo ao seu nível.
E por aí fora...

Gang2 Ervilha disse...

«não sou contra que até se possa falar disso, de vez em quando.»

Estou de acordo, com moderação.

Pedro Lopes disse...


Xiii, um escândalo de proporções gigantescas!
A BBC recusa dar emprego a pretos.
É o racismo no seu estado mais puro.

http://www.dailymail.co.uk/news/article-3621658/BBC-turn-trainees-WHITE-Job-applicants-stunned-told-corporation-wants-people-ethnic-minority-backgrounds.html#ixzz4AR98LCeI

Oh carago, enganei-me. Afinal não é nada grave.
"No passa nada", como dizem os Espanhois.

G disse...

"tivéssemos de subir a “fatalidade do destino”, de algo que, quer queiramos quer não, começou a destruir-nos e acabará por destruir-nos. Isso é um discurso “fatalista”, típico da “nova direita”, dos “ciclos da vida”"

Apenas falei de factos. Os exemplos dos povos do passado que falei, aconteceram mesmo. Como disse temos constantemente vindo a perder um pouco da nossa identidade e a receber um pouco mais de misturas ao longo dos tempos. É um facto. E actualmente, mesmo que haja um milagre nacionalista e expulsemos os imigrantes, será impossivel voltar a decada de 60 em que nao havia praticamente misturas comparadas com hoje e onde os Franceses brancos eram quase todos Franceses brancos e não eslavos, bulgaros, Gregos, metade isto e aquilo, metade sulamericanos, metade sei la o que. Nunca mais voltaremos a pureza da decada de 60 e mais uma vez perderemos algo. Tal como se perdeu com a Grécia antiga, Roma, etc.

E se tudo isto for obra de Judeus como voces afirmam, então eles bem podem estar a dizer, ao longo dos tempos temos vindo a retirar identidade europeia e a fazer com que eles estejam cada vez mais misturados e menos europeus.


" E diga-se, que os gregos depois, nunca tiveram uma autoridade à altura. A corrupção ali é ainda mais grave do que aqui. Adquiriram os maus hábitos dos turcos devido a séculos de escravidão e maltrato e deixaram-se esmorecer."

Ai esta. Isso tudo se deve à genetica, à grande alteração genética que o povo Grego sofreu apos as invasões. Porque antes na Grécia antiga, eles eram completamente diferentes. Não havia tanta corrupção e eram bons a criar riqueza, boa economia, boa ciencia, filosofia, matematica, sociedade estavel, harmoniosa, avançada, etc. Se fossem o mesmo povo, teriam voltado à condição actual num piscar de olhos (tipo Alemanha pos 2 guerra mundial que se reconstruiu e voltou a riqueza de antigamente) e hoje a Grécia seria uma Suécia e não teriam uma economia pobre, com poucas empresas, poucos empresários e muito desemprego. A sua agricultura e sociedade seriam melhores e o seu povo iria contribuir muito mais em várias areas cientificas..


"Ela é constituída pela espiritualidade celta, pela tecnicidade germana, pela devoção do ibero e imprevisibilidade do eslavo. "

Pois, uns consideram que somos muito semelhantes, mas ha grandes diferenças. Se os países europeus estivessem isolados, aí veria-se ainda mais as diferenças. Teriamos países Germanicos que teriam ido à lua (foi graças a tecnologia deles que Americanos e Russos foram a lua) e teriamos países mediterranicos e eslavos que continuavam a viver à base da agricultura, sem invenções tecnologicas, etc. Ha grandes diferenças entre os europeus e as misturas entre eles são também muito prejudiciais. E eu falo mais nisso pois o resto voces ja estao conscientes, e eu gostaria que houvesse uma maior consciencia disto. Acho que é algo também muito importante e não é por falarmos disso que irá haver mais imigração ou acontecer um cataclismo. Acho que é bom discutir os problemas e ficarmos mais conscientes.

G disse...

"basta ver que ele nunca fala da questão judaica e, aliás, nada sabe sobre a mesma ou não quer saber disso, sei lá. apesar de aqui se falar disso há anos e se apresentar provas."

Pouco sei da questão judaica é certo. Mas o que voces apontam dos judeus, então um asiatico ou amerindio, também pode apontar dos europeus, pois imensos europeus promovem o multiracialismo nas altas esferas e fazem 30 por uma linha para que ele triunfe por todo o mundo. Temos a besta do Guterres. Temos milhares e milhares de esquerdistas europeus completamente fanaticos pelo multiracialismo que fazem de tudo para que ele aumente. Temos aquela alema que falou no parlamento que queria que os alemães fossem a minoria. Temos a Merkel que incentivou imenso ao acolhimento de refugiados. Temos os Amerindios do Norte e Sul que podem dizer que graças aos europeus Brasil e America hoje é uma misturada.
Também posso apontar o dedo a um asiatico que à semelhança de judeus que falaram aqui, para a sua propria Asia nem pia e para a Europa vem pedir que tenhamos mais compaixao e aceitemos mais imigrantes https://www.publico.pt/politica/noticia/ban-kimoon-pede-mais-compaixao-e-solidariedade-aos-lideres-europeus-1731837
Aqui ha tempos tambem vi uma noticia dum Chines na Holanda ou arredores, a fazer greve de fome a protestar para que acolhamos mais refugiados, enquanto na China ele nem pia, nem faz nada.
Temos milhares de jornalistas europeus que poderiam fazer certo tipo de reportagens e insistem em fazer sobre multiracialismo. Portanto se os judeus tem culpa, os europeus também tem muita culpa. E para alguem de fora, que nao é europeu, tambem deve tar farto de ver europeus relacionados com tudo o que é promoção de multiracialismo.

G disse...

" também não vê mal em dividir povos Europeus dessa maneira."

nao se trata de "dividir", quero sim que os povos europeus sejam preservados como eram. Suecos a continuar Suecos e não com imensas misturas de negro ou também russo, bosnio, italiano, portugues, etc pois isso também alteraria completamente o povo.
Uma Europa mais forte, é uma europa onde cada povo continue a existir sem misturas, mesmo sem misturas intra-europeias. Teremos uma Europa mais forte, mais evoluida e até mais unida, se cada um respeitar a identidade de cada povo, com Germanicos a continuarem Germanicos, do que com mais misturas disto e daquilo. Em troca todos poderemos usufruir de mais tecnologia, melhor gestão, organização, riqueza, etc.


"o que me faz confusão é dizer que, por causa disso, todos os outros são uma merda. é os eslavos que são merda, é os próprios celtas que são merda, etc, etc tudo e todos são uma merda menos os próprios germânicos (e os japoneses)"

Não digo que são merda, mas digo que ha enormes diferenças e as misturas prejudicam muito os Germanicos. Se não houvesse uma revolução dos transportes e da informação e continuasse tudo como ha uns séculos atras isolado, ou se cada povo europeu fosse separado em planetas diferentes, então não tenham duvidas que Europa do Sul e do Leste ainda viveria da agricultura e não tinha passado por revoluções tecnologicas como as que os Germanicos passaram. Europa do Sul e Eslava ainda teriam uma economia paupérrima e praticamente sem evoluções tecnologicas e agricolas. No mundo globalizado, as diferenças são um pouco abatidas.


"é isso que me irrita. como tu dizes, isso é falso, e sobretudo há prioridades, não é tempo para isso."

ha tempo para falar de tudo, precisamos de estar conscientes de tudo e não estar todo o tempo a falar só de judeus e imigração nao europeia. É importante estar consciente de todos os problemas e não apenas dos maiores.


"No que diz respeito ao QI, todas as sub-raças Arianas e etnias têm a mesma média de QI.
A única coisa que realmente difere, é que há determinados tipos de sangue(eu não sou especialista nisto, mas há quem seja) onde o testosterona é um bocadito mais alto.
Sangue Celta e Germânico são os com maior valor de testosterona entre as sub-raças Arianas."

Não é so isso. Ha outras coisas que o QI nao mede. Os Germânicos têm muito mais empreendedorismo e capacidade para fazer empresas, projectos e com isso uma economia mais rica. Como se sabe Europa do Leste é paupérrima e miserável. Não ha grande criação de empresas, empresas complexas então, nem se fala. Se dividissemos a Europa por parcelas e numero de habitantes iguais, então veriamos que o Leste seria miseravelmente pobre e não conseguiria fazer certos projectos que hoje só faz devido a ter parcelas grandes e população, como por ex a Russia e seus pesados projectos de militarização, espacial, etc. Uma Russia com um tamanho e populaçao igual a uma França ou Alemanha e seriam uma sombra do que são hoje, sem dinheiro para grandes projectos. Se lhes tirassem as matérias primas então, coitados. Eu considero que ha enormes diferenças, mesmo enormes que hoje sao um pouco escondidos devido a varios factores. E a Europa evoluida e avançada que hoje conhecemos, não seria a mesma com tanta mistura intra-europeia.

Thor disse...

pá, não tenho tempo para estar a responder a isso tudo.
mas há uma que não posso deixar passar em claro:


"Mas o que voces apontam dos judeus, então um asiatico ou amerindio, também pode apontar dos europeus, pois imensos europeus promovem o multiracialismo"

falso. os judeus não são culpados só do "multiracialismo". os judeus dominam a banca, a imprensa, são responsáveis pela usura que é a raíz de muitos males e da baixa qualidade de vida. criam desemprego. criam guerras no Médio Oriente em prol do estado criminoso de israhell e para onde mandam morrer muitos dos nossos melhores. os judeus fizeram o 11 de Setembro e ainda fazem falsos atentados, onde culpam quase sempre os muçulmanos. também estão por detrás da pedofilia, do homossexualismo, do feminismo, etc, etc
a lista nunca mais acaba. podia ficar aqui até amanhã, mas não tenho mesmo tempo.
dizer que é só a imigração ou a ideologia multirracial, pura e simplesmente é falso e não corresponde minimamente à verdade. ninguém aponta "só" isso aos judeus.

e ninguém defende coisa nenhuma mistura entre celtas e germânicos ou eslavos e germânicos. eu nunca defendi tal coisa. só digo que não é preciso criar fossos de diferença entre uns e outros e dizer que tudo o que não é germânico, é merda. nunca defendi mistura entre Europeus, isso é falso.

Thor disse...

"Temos a Merkel que incentivou imenso ao acolhimento de refugiados."


é precisamente a Merkel que é meio-judia, aliás, em israel é considerada completamente judia pois a mãe dela é judia.


"É importante estar consciente de todos os problemas e não apenas dos maiores."


mistura entre Europeus neste momento é um problema quase inexistente e irrelevante, pois não há assim muita. e ninguém defende tal coisa. germânicos devem estar na sua terra, celtas devem estar na sua terra e assim sucessivamente. só que, isso neste momento, é um não-problema e falar disso seria rídiculo, alienado e autistíco. quando critico o globalismo ou a UE, já englobo nessa crítica a livre circulação de pessoas, incluindo Europeus, no espaço da UE. seria rídiculo fazer posts a dizer que os celtas se estão a misturar com os germânicos ou vice-versa, basta defender o Nacionalismo e atacar as forças globalistas.

Thor disse...

"É importante estar consciente de todos os problemas e não apenas dos maiores."


ah e isso também eu posso dizer-te.
é importante estar consciente de todos os problemas e não apenas dos MENORES.

eu também não nasci ensinado sobre a questão globalista e a questão judaica/sionista. fui APRENDER.

porquê concentrar-me nos problemas menores e esquecer os MAIORES, que tu próprio admites que são os maiores??? fazer isso seria completamente rídiculo.
não, muito obrigado.
não vou seguir esse conselho. lamento, mas não tenho as prioridades trocadas. não vou falar de problemas (??) menores e esquecer o que realmente é importante, os tabuleiros políticos, a agenda globalista, o sionismo, a geoestratégia, as guerras, o médio oriente, a imigração, a usura, etc
não vou esquecer tudo isso, para falar de mistura entre celtas e germânicos ou entre eslavos e germânicos.

mesmo que essa mistura residual fosse toda evitada e fechada de um momento para o outro, aposto que haveria meninos que passariam a dizer que os germânicos X se estavam a misturar com os germânicos Y e que isso era um problema urgentíssimo e gravíssimo que tinha que ser evitado.
e andávamos nisto eternamente.
não saíamos disto e não falávamos de mais nada, nem de coisas importantes.
não. chega disso. basta de autismo.
isso é mais do que só autismo. isso é fazer o jogo do inimigo e já se perdeu muito tempo com essas conversas sem nexo nenhum.

e é completamente falso que aqui neste blogue, só se fale de judeus ou de imigração não-europeia.

G disse...

"e ninguém defende coisa nenhuma mistura entre celtas e germânicos ou eslavos e germânicos. eu nunca defendi tal coisa."

eu sei que nunca defendeste, mas eu tambem nao disse que defendias. Eu disse é que a maioria dos nacionalistas não tem muita consciencia das diferenças entre europeus e não vêem muito mal nas misturas entre eles.


"só digo que não é preciso criar fossos de diferença entre uns e outros e dizer que tudo o que não é germânico, é merda. nunca defendi mistura entre Europeus, isso é falso."

mas a realidade é que ha esses fossos de diferença como exemplifiquei. Ha grandes diferenças, não vou dizer que nao ha so para nao criar fossos de diferença e estar tudo bem e tudo igual. Agora isso nao quer dizer que sejam merda, eu nao disse que eram merda. Ha povos que não se conseguem desenvolver tanto, nem inventar, desenvolver ciencia, etc, mas isso não quer dizer que sejam merda. Eu nunca disse isso.


"mistura entre Europeus neste momento é um problema quase inexistente e irrelevante, pois não há assim muita. e ninguém defende tal coisa."

Mas ha imensa. Em países como Inglaterra, França, Suécia, se neste momento expulsasses toda a imigração nao europeia e ficassem so os brancos e nao entrasse mais ninguem no futuro, so isso era suficiente para que daqui a algumas gerações não houvesse Franceses, Suecos e Ingleses. Seriam povos completamente modificados. Seriam mais uma extensão da América branca, uma massa branca sem identidade com misturas daqui e dacola. Em países como Inglaterra, França, Suécia vais pelas ruas de qualquer cidade e vês brancos de toda a Europa e é dificil ver nativos mesmo do país, a % é pequena e muitos deles acabam por se misturar com outros brancos. Muitas vezes até estas a falar com um a pensar que é nativo, mas é da Hungria ou é da Ucrania ou sei la de onde ou entao ja é metade isto e aquilo.


"ah e isso também eu posso dizer-te.
é importante estar consciente de todos os problemas e não apenas dos MENORES."

Mas este não é um problema tão menor como pensas.
Como as coisas estão, se hoje expulsassem todos os nao europeus, a quantidade de europeus de outros lados que ha em França, Inglaterra, Suécia e outros países seria o suficiente para alterar drasticamente os seus povos. Seria como dizer, a operação foi um sucesso, mas o paciente morreu.
Ou seja, morreu, esses povos morreriam. Esses países geneticamente seriam mais uma extensão da América Branca. Com o tempo as economias Francesas, Inglesas, Suecas, etc, aproximariam-se das economias pobres dos países eslavos, com poucas inovações cientificas, escassez de recursos, desemprego, etc.


"não vou esquecer tudo isso, para falar de mistura entre celtas e germânicos ou entre eslavos e germânicos."

eu nao disse para esqueceres tudo isso! nunca disse isso. So disse é que devemos estar conscientes de todos os problemas e nao apenas de alguns.


Ja agora, não é para esquecerem tudo isso, mas se quiserem saber um pouco mais de como ha uns seculos se analisava a raça, entao dêam uma vista de olhos na ediçao de Junho da Super Interessante.
Fala la dum Conselho de Antropologia realizado no Porto em que analisavam a criminalidade, psicologia, etc dos africanos e mestiços. E uma coisa que me surpreendeu terem consciencia no passado, diz la que o Estado considerava os Madeirenses como biologicamente inferiores. Dos Algarvios, por acaso nao falam nada.

Thor disse...

ninguém que eu conheça é apologista de mistura entre Europeus diferentes.
muito menos aqui. ninguém, nem o N ou o Pedro Lopes alguma vez disseram que era bom as misturas entre Europeus ou as defenderam.
o N, em particular, até defende as particularidades de cada povo.
eles só não estão é obcecados com isso, pois isso comparado com outras coisas é ridículo e é um problema minímo e irrelevante, comparado com o que realmente importa. e, portanto, aumentar um problema pequeno, não faz sentido.
eu não me oponho a misturas entre celtas e germânicos, mas a título pontual e só em países celtas, pois esses já sofreram no passado invasões germânicas, mas mesmo isso, é só a título pontual e excepcional.

eu já falei aqui da mistura de germânicos com eslavos (e não só), como no caso das violações do exército vermelho. agora, passar a vida a dizer que, actualmente, há alguma invasão eslava nos países germânicos ou coisa assim, isso não vou fazer. é rídiculo.

e a mistura Europeia de que falas e que já aconteceu nesses países, depois pode resolver-se com eugenias e etc, mas cada coisa a seu tempo.
não se pode ter tudo e resolver tudo ao mesmo tempo.
primeiro é preciso atacar as causas dos problemas e atacar os problemas principais. o resto vem depois e aparece depois por arrasto.
o mesmo para Portugal, vai ser preciso aplicar medidas de eugenia, talvez até expulsões, mas cada coisa a seu tempo, nada de meter a carroça à frente dos bois.

Gang2 Ervilha disse...

É limite tentar pretender que os germanos são alguma raça superior aos celtas ou outra. Lembro-te que por exemplo os germanos ainda andavam lá metidos nas florestas, já os celtas eram demasiado avançados em comparação. Será que os celtas em alguma parte tiveram um recuo de civilização graças à mestiçagem com os germanos ? Possível... Agora essa dos celtas se terem misturado com os germanos e estes terem sofrido, é argumento rasca, pois assim que os germanos se misturaram com os celtas, logo após as invasões, foram bem os germanos que acabaram por sair do estado das cavernas e não os celtas. Ora se ouve alguém que aprendeu um com o outro, foram bem os germanos os alunos e os celtas os professores. E isto para não irmos mais longe, pois consta em algumas histórias dos antigos gregos, que os sábios egípcios teriam aprendido algo com os druidas.

Tu falas dos antigos gregos e da sua suposta superioridade – errado! Tudo o que os antigos gregos aprenderam, aprenderam-no com os antigos egípcios e não o contrário. Ademais, a Antiga-Grécia não era assim tão harmoniosa como o pretendes, pois tinham muitos problemas. Lê Políbio e verás a catástrofe demográfica que reinava nesse tempo, que faz bem lembrar o nosso de hoje em dia. Se tinham uma economia avançada, esqueces-te que era uma economia baseada no trabalho escraveiro, e que assim todo o grego tinha o dia e noite toda para poder filosofar e estudar as ciências.

E essa história de que os celtas invadiram os germanos, é treta – foi precisamente o contrário que se passou. E um e outro, invadiram os Iberos. Consta segundo Tácito (para não falarmos da Ibéria), que os habitantes do que se chama a Grande-Bretanha, pelo menos no tempo de Tácito, eram os Iberos. Estes sim é que foram invadidos por celtas e em seguida por germanos.

Se temos vindo a perder um pouco mais da nossa identidade e se vais assim longe no tempo para exemplificar isso, então deixa-me lá ir longe também, pois os Iberos é que são as vitimas dessa perda de identidade graças às invasões celtas. Estes últimos por suas vez, podem-se queixar de ter perdido a sua identidade graças às invasões germânicas. Tu pretendes o contrário ? Que foram os germanos que perderam a sua identidade ? Nada é mais falso!

Agora se me falares logo a partir dos anos 60, a história já é outra. Mas creio bem, que temos capacidade de renovação da população de identidade europeia (de sangue). E deve-se promover uma remigração das populações não-autoctones. Isto é possível, à condição que exista uma economia justa, porque é impensável que os africanos tenham o continente mais rico do mundo em recursos naturais e venham para um dos continentes mais pobres em recursos.Como diz o Thor, isto são coisas que devem ser postas em prática por fases. Não se pode sonhar com isso enquanto a Europa e o mundo inteiro não se livrar destas escravidão financeiro-económica de uma escumalha, que nada mais faz que explorar e destruir a humanidade.

Claro que não somos iguais. Nem entre nós europeus, nem nós com outros povos.

Thor disse...

exacto. aqui ninguém disse que é tudo igual ou que a igualdade existe.
nem irmãos gémeos são iguais, quanto mais.
esta coisa do 8 ou 80, e de reduzir o interlocutor a uma defesa do "igualitarismo"...

só se disse que esses fossos abismais de diferença entre uns e outros, pura e simplesmente não existem. mas não existem MESMO.
e mesmo que existissem, era irrelevante. o nacionalismo não é um meio para um fim (dinheiro, empresas, empresas boas, competição disto e daquilo)
o nacionalismo é um fim em si mesmo. o dinheiro vem ou deve vir em último lugar.

e essa coisa de que se um germânico já tem 1 ou 2 genes eslavos, então já não é bem germânico e é um coitadinho que não sabe fazer isto ou aquilo, e que os germânicos já não existem se não forem puros, eu nisso não me revejo.

isso é racismo bárbaro, mecânico e desumano.
nacionalismo não é racismo bruto e estúpido. nacionalismo não é só genes e raça pura e dura.
a raça importa muito sim, mas nacionalismo não pode ser meramente o apuramento milimétrico, bruto e robôtico da raça. eugenia sim, mas sem cair em racismos anti-eslavos ou anti-isto, anti-aquilo.

os tais cientistas e empresários germânicos que fizeram isto e aquilo, eles próprios também já não eram puros, pois não existe isso de Arianos puros, excepto talvez na Islândia e pouco mais.

eu gosto muito dos germânicos, mas também gosto muito dos eslavos e não os vejo como incapazes disto ou daquilo, seja do que for. e os celtas a mesma coisa.


e não adianta estar a separar a imigração intra-Europeia como se fosse um problema diferente da imigração extra-Europeia. NÃO É!
é tudo a mesma coisa. chama-se globalização e livre circulação de pessoas. temos que atacar é o globalismo sionista que engloba tanto a circulação de extra-Europeus, como a própria circulação de Europeus.
ninguém aqui gosta de ver selecções Alemãs com Podolskis e etc
agora tudo isso, é apenas globalismo. não é um problema diferente e separado do resto

Gang2 Ervilha disse...

Sinceramente não me dá gosto essa atitude de sublinhar esses problemas entre europeus, que face ao problema da invasão kalergiana, não é absolutamente nada. É que se formos por aí, depois entre nós europeus do mesmo país, vai-se começar a rejeitar e criar divisões ainda mais profundas. Por exemplo no que toca à cor dos olhos, à cor do cabelo, etc. É ridículo!

Falei dos celtas mas esqueci-me de falar dos eslavos, que segundo G, andariam ainda a cultivar a terra e os germanos já tinham ido à lua. Primeiro, isso de ir à lua, o que é que trouxe de bom para a humanidade ? Nada! Quanto aos eslavos, G, traz-me seja lá qual for o germano, que tenha tido a carola do eslavo Nicolas Tesla ? Será que andariam assim a cultivar a terra como dizes ???

Gang2 Ervilha disse...

«excepto talvez na Islândia e pouco mais.»

Olha, bem visto. Esse deve ser o único país europeu que tenha verdadeiramente uma grande pureza germânica. Todos os outros, com maior ou menor percentagem, já são mistura entre celtas, eslavos, germanos.

Thor disse...

"Falei dos celtas mas esqueci-me de falar dos eslavos, que segundo G, andariam ainda a cultivar a terra e os germanos já tinham ido à lua. Primeiro, isso de ir à lua, o que é que trouxe de bom para a humanidade ? Nada!"


e tu acreditas sequer na ida à Lua da América?? eu não!
já desde 2007 ou 2008 que não me acredito muito nisso. e nos últimos anos, a minha descrença só tem aumentado.

Thor disse...

"Sinceramente não me dá gosto essa atitude de sublinhar esses problemas entre europeus, que face ao problema da invasão kalergiana, não é absolutamente nada. É que se formos por aí, depois entre nós europeus do mesmo país, vai-se começar a rejeitar e criar divisões ainda mais profundas. Por exemplo no que toca à cor dos olhos, à cor do cabelo, etc. É ridículo!"


sim, epá. nem 8 nem 80. claro que é mau haver Podolskis na selecção Alemã, claro que é mau haver misturas de Alemães com Polacos e outros eslavos, etc
ninguém defende um multiculturalismo Europeu e uma descaracterização Europeia ou germânica.

mas também não é uma altura propícia para uma pessoa se fixar nisso e abandonar ou ignorar uma quantidade de outros problemas muito maiores e mais graves.

quem não critica os judeus ou o sionismo, também não tem moral para andar a apontar isto e aquilo aos Eslavos ou outros, tão simples quanto isto. primeiro temos que atacar os estranhos, em vez de apontarmos o dedo aos nossos primos. é tão simples como isto.

se os Eslavos são isto e aquilo, então que dizer dos judeus? do próprio QI deles? que invenções nos deram? contributos? empresas boas? zero. e nem venham com o charlatão Einstein, porque isso é rídiculo.

Luís Ferreira disse...

Deixaste-me aborrecido.

Concordo com a ideia que aqui queres passar. mas há um aspecto que me fez uma mágua tremenda!
Na fotografia onde aparece Salazar, naquele canto, a minha filha já brincou ali e mais nenhuma outra filha de português verdadeiro nenhum vai ali brincar, porque "alguém" mandou encerrar o Instituto de Odivelas e todos os que se acham verdadeiros portugueses nem uma palavra disseram.

Hoje está ao abandono, quando há três anos era jardim infantil de mulheres verdadeiras!