"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

quarta-feira, 28 de junho de 2017

rou(m)bo de 405 milhões


12 comentários:

WOLF disse...

Faz parte das conquistas de Abril.

Os militares que ilegitimamente defendem este regime, têm mais esta história para contarem aos filhos e netos quando estiverem a falar das "virtudes" da democracia!

Amém 3ªRepública!

Maria disse...

Excelente e oportuno tópico, bem como a denúncia do assalto vil aos dinheiros do povo português, praticado desavergonhadamente pelos políticos infames que nos governam e que deixou bem explícito nas poucas e reveladoras linhas que o acompanham. Muitos parabéns.

Os mesmos que Diogo também merece por ter igualmente abordado este escandaloso tema/crime político.
Maria

Thor disse...

"que nos governam"


...que nos desgovernam, queres talvez dizer.

Maria disse...

Isso, isso, Thor. E fazem-no descarada e criminosamente todos os dias desde o dia 25 de Abril. O primeiro grande crime perpetrado mal tinha acabado de arribar ao país a maldita democracia, foi o assalto infame ao Banco de Portugal cometido em plena liberdade e à luz do dia pelos pulhas que têm a supina lata de se auto-intitular "democratas", praticando um rombo no cofre do Banco em mais de metade nas mais de oitocentas toneladas de ouro e de outro tanto em divisas. Tesouro que foi sendo aumentado e religiosamente conservado por Salazar em nome exclusivo do povo português. E estes bandalhos, que tanto difamaram o Estadista ao longo de 43 anos, fingem esquecer-se que tudo o que têm de seu, todos os milhões de milhões em que se rebolam, a ele e só a ele o devem. Toda a fortuna fabulosa que entretanto os políticos-gatunos foram acumulando, a juntar ao ouro roubado e aos dinheiros que têm vindo a ser permanentemente surripiados ao erário público durante os anos que levamos deste regime adulterado, é o que lhes tem permitido levar uma vida de nababos ao longo das últimas quatro décadas. E tudo foi obra do querer de Salazar. Eles, os políticos-bandidos que pra'í andam, que tenham vergonha e penitenciem-se do que disseram de um governante que foi íntegro, honestíssimo e um defensor estrénuo da Nação e do povo, só comparável com os nossos mais valorosos e nobres antepassados e párem de mentir e de roubar os portugueses e desapareçam da nossa vista para sempre.
Maria

Thor disse...

"e à luz do dia pelos pulhas que têm a supina lata de se auto-intitular "democratas""


lá democratas são eles, mas precisamente por isso é que isto está como está...porque as pessoas continuam a ir votar e acreditar neles e na democracia. Portugal precisa de menos democracia e não mais.
nem "democracia directa", nem qualquer partido, seja grande ou pequeno, de esquerda ou direita, alternativo ou não, fazem parte da solução. todos, todos, todos os partidos, mesmo os "micro" e mesmo os que se dizem "solução", "nacionalistas" etc, são parte do problema e não da solução. uns mais que outros, obviamente, mas todos são.

democracia directa, exemplos de que não funciona:
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2016/07/a-fraude-da-democracia-directa.html
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2016/03/suica-rejeita-expulsao-de-criminosos.html
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2014/12/suicos-favor-da-auto-extincao.html

mesmo que funcionasse, e não funciona, devido ao problema da igualdade e outros...mesmo que funcionasse, o sistema nunca deixaria que se transitasse desta democracia para uma "directa" sem passar por uma revolução primeiro. eles não vão desistir do poder assim e entregá-lo às "massas", daí que mesmo na Suiça, os referendos e as democracias directas continuam debaixo do controlo deles. e as ditas "vitórias nacionalistas" que por vezes são conseguidas na Suiça ou outros países em referendos, não passam de vitórias morais, em assuntos menores, nunca temas de fundo e cujos resultados nem sequer costumam ser respeitados e aplicados.

mas já debatemos isso de "democracia directa" no blog do Diogo há uns anos e mesmo sem maçonarias e políticos, não funciona. igualitarismo, egoísmo individual, estreiteza e ignorância das massas, e depois outros problemas de ordem prática. acho um caos e uma pescadinha de rabo na boca. o ideal é o conceito de liderança.
pode ser aplicada a nível experimental e local, mas não a nivel nacional nem nas questões importantes e decisivas da governação. a liderança deve prevalecer.

Maria disse...

"...porque as pessoas continuam a ir votar e acreditar neles e na democracia." (Thor)

Thor, eu não voto desde 2002. Como eu muitos portugueses também já não embarcam nessa farsa monstruosa. A 'democracia', como diz e bem, foi inventada para favorecer aqueles que elaboram as respectivas Constituições, nelas incluídos os handicaps que intencionalmente lhes são favoráveis, pondo-as em prática tal e qual para poderem governar a seu bel-prazer sem crimes políticos que lhes possam ser assacados. As sondagens e as Estatísticas são todas a favor dos pulhas por detrás dos sistemas instituídos. Parece que a percentagem de não votantes já ultrapassa os 60% (como nos Estados Unidos), mas os políticos desvalorizam e até desmentem vergonhosamente este elevadíssimo número, continuando a falsificar as percentagens e mascarando o seu resultado real, prosseguindo na governação com descaro e indiferentes a todas elas. E antes de manipular descaradamente estas percentagens, já o haviam feito no resultado real das eleições. Nada disto é para admirar, já que o fazem com a maior das descontracções desde que elas existem no país. Até ver.
Maria

Thor disse...

eu votei apenas em 2009 e 2011, mas foi no pnr, porque era (ou parecia) menos kosher. mas, se calhar, estava enganado. se calhar, já era tão kosher como hoje, mas disfarçavam.
seja como for, em 2009 eu já avisava que o pnr era insuficiente e que havia sionistas e cristianismo fanático. já tinha idade de votar muitos anos antes disso e nunca fui.

a questão do "luso-tropicalismo" dentro do nacionalismo parecem-me questões menores inventadas precisamente pela escumalha kosher para dividir e para distrair da verdadeira ruptura "ideológica" (com aspas porque não é ideológica e sim de carácter) e que é sionistas e democratas versus restantes. por exemplo, o HNO defende o império, mas já o li dizer que é contra miscigenação. apesar disso, a escumalha kosher insiste que há um fosso enooorme a separar esses gajos de mim e outros, porque lhes convém os anti-sionistas divididos, ao mesmo tempo em que tentam atenuar as verdadeiras diferenças entre sionistas e anti-sionistas. talvez a ruptura do MON (que não é um partido), NOS e etc afinal não tenha sido por questões de "império" (que é uma divisão ridícula) e sim por o pnr estar controlado pelo sistema sionista, como eles já diziam em 2012.



"Parece que a percentagem de não votantes já ultrapassa os 60%"

pois, a abstenção real é sempre maior do que os dados oficiais e vai chegar aos 70% dentro de poucos anos, mesmo em legislativas (porque nas outras já chegou a 69% e a % real foi AINDA MAIOR!), ainda que os dados oficiais possam dizer que foram só 50% ou 60% de não-votantes.

ou seja, o sistema falsifica os resultados para baixar a abstenção real, mas depois existem as Zitas Paivas e outros fdp a dizer que a abstenção não incomoda nada o sistema e até o beneficia. claro, claro...

Maria disse...

Thor, os dados oficiais são todos aldrabados e não só em Portugal mas também todas as democracias do Planeta. Quem os põe no poleiro já os instruiu e eles têm a cartinha toda bem estudada e só lá se conservam se a aplicarem toda direitinha.

E Thor, quem são o MON e o NOS?...
Maria

Thor disse...

"mas também todas as democracias do Planeta."


óbvio. a começar pela dos eua.
ainda agora, na ultima eleição, parece que as eleições foram manipuladas e fraudadas a favor do Trump, pois parece que não teve sequer a maioria dos votos. (não pela Rússia claro, mas sim por um certo pseudo-país do Médio-Oriente)
mas...deixa lá, com a Hillary iria ser muuuiiito pior e o sistema queria que ela ganhasse (céus...mesmo sendo ateu, é de bradar aos céus com tanta inocência e simplicidade bucólica)

o NOS é o movimento do Mário Machado, que nem sei como anda agora, e o MON é uma dissidência do pnr que começou há uns anos atrás. ambos acusavam o pnr de se ter aburguesado e vendido ao sistema. a escumalha para desviar atenções e enganar quem não conhece aquilo por dentro, limitou-se a dizer que eles eram os "saudosistas do império", mas parece que tinham mesmo razão. no início, quando o MON dizia isso em 2012, nem acreditava muito, mas quando o NOS apareceu em 2014 a dizer o mesmo, percebi que havia um fundo de verdade nisso. o Mário Machado dificilmente pode ser acusado de querer o império de volta. e mesmo entre os que o defendem, existem racialistas.
mas a escumalha quer elevar questões menores e secundárias, à condição de "doutrina completa". sempre foi este o modus-operandis da escumalha, radicalizar questões menores e ignorar as realmente importantes para dividir e enganar quem está de fora e não conhece bem o meio. entretanto, no pnr não faltam "saudosistas do império" a começar pelo "líder"(?!?), o que prova que essas divisões absolutamente nada tiveram a ver com esse assunto e que o Mon ou o Nos não se orientam por aí.

Maria disse...

Leia-se "cartilha" e não cartinha.
Maria

Maria disse...

Obrigada Thor. Há um ou outro pormenor sobre este tema (o MON e o NOS) que me deixa curiosa e que valeria a pena debater, mas deixo para mais tarde.
Maria

Thor disse...

podes dizer Maria. sem problemas.
essa "gente" conseguiu meter na cabeça das pessoas, que todos os que defendem o império (e eu não defendo) são adeptos do plano kalergi e da miscigenação, quando no máximo e na pior das hipóteses, abrem uma excepção ou outra em termos de cidadania. ok, considero uma divergência, mas uma divergência menor e minúscula sem importância que não pode ser elevado a "fosso doutrinal" e doutrina completa. só a escumalha kosher acha isso.
mas no Mon ou Nos nem sequer há mais disso que no pnr.