"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

terça-feira, 1 de agosto de 2017

was Adolf Hitler a white supremacist?

Was Adolf Hitler a Racist White Supremacist?
video

10 comentários:

WOLF disse...

Esse documentário está bastante bom.

Mas 3 coisas que convém referir:

O ultimo batalhão não-Germânico a defender Berlim foi Gaulês, e não da nacionalidade aí dita.


A questão do islão para mim não foi bem gerida e bem analisada pelas SS. Eu percebo a intenção de querer puxar os islâmicos para junto da mesma barricada combater os judeus, mas os islâmicos na sua maioria são retardados mentais e ALTAMENTE SIGNIFICATIVO é que as leis/ideias do corão estão acima de todas as outras; isto é assumido por eles. Como compatibilizar isto com o NS por exemplo? No que diz respeito aos direitos das mulheres, ou das crianças? Ou na relação com outras religiões, elementos humanos a que o corão chama de infiéis? Vai haver sempre faísca nesta relação...
Como já disse anteriormente, o líder do Hezbollah, o Hassan Nasrallah, é a excepção à regra, visto que é realmente um homem intelectualmente honesto e muito racional, com quem efectivamente se pode ter um debate racional. Mas a maioria, a esmagadora maioria dos islâmicos, NÃO SÃO RACIONAIS.


A dita luta dos Negros pelos direitos civis também não foi bem assim como foi pintada pelo narrador. Tudo bem que eles eram efectivamente alvo de racismo primário e acéfalo, como aqueles retardados do klu klux klan a irem buscar inocentes Negros e a espanca-los e a queimar cruzes, ou o facto de os obrigarem a irem na parte detrás dos autocarros, etc... Obviamente que esse tipo de racismo é condenável, mas não se pode ignorar também os muitos Negros activistas/terroristas comunistas que participavam nesses protestos e aproveitavam a onda para difundir comunismo. É preciso também não esquecer que muito Negros já naquela altura(e que o presente hoje prova-o sem quaisquer dúvidas) andavam a ser financiados por cartéis de droga marxistas, que aproveitavam a questão dos direitos civis como um disfarce para a sua verdadeira agenda: o controle zona, regional, e por fim nacional do do tráfico de drogas pesadas.
Nessa altura os ditos "hispânicos"(termo usado e não muito correcto pelos Americanos para descrever os Ameríndios) não dominavam as ruas(nem tinha número para isso), e portanto os cartéis de droga internacionais aliaram-se sobretudo aos Negros marxistas nos EUA, porque sabiam que aquilo nos EUA era uma mina de ouro; muito procura porque eram muitos habitantes, e ainda por cima com grande poder de compra.

A questão do número de Negros nas Forças Armadas para evidenciar "racismo" é demagógica. Primeiro, porque o mérito tem que ser o principal requisito, e não "quotas raciais"; e segundo, porque por uma questão de segurança nacional também não se deve abusar do multirracialismo dumas forças armadas nacionais. A questão da lealdade entra em cima da mesa, pois antes de soldados eles são seres humanos.
Quais as suas ideologias? Quais as suas referências? Isto é preciso ter muito cuidado antes de fornecer treino e armas, para quem no futuro se pode virar contra nós.
Aliás, temos exemplo disso de diversos operacionais dentro do movimento terrorista e racista "black lives matter". Um movimento que não é nada mais nada menos que uma organização racista e terrorista, e que está 100% ligada umbilicalmente ao narcotráfico de drogas pesadas.
E mais... Aquilo é de tal forma uma cortina de fumo, que os fundadores daquilo são 2 lésbicas comunistas, e mulatas. Como é que se pode ser porta-voz de um grupo designado por "black lives matter", e nem sequer ser-se Negro?
A questão dos Negros não é tão difícil de gerir como a dos islâmicos, mas também é altamente complexa. Não é fácil puxa-los para o nosso lado, e há que ter bem a consciência e o REALISMO que a maior parte deles vão mesmo se virar contra nós.

Primeiro, porque a média de QI deles é muito mais baixa, e portanto a maior parte deles não vai atingir a nossa mensagem porque não tem capacidades biológicas para tal.

WOLF disse...

Segundo, porque eles não têm referências dentro do seu grupo racial. Há um Negro como o Thomas Sowell que apesar de não ser dos "nossos", nos últimos anos está cada vez mais próximo de nós do que dos ditos conservadores...mas ok, é uma referência intelectual para eles. Mas é pouco, muito pouco.
À falta de referências, eles idolatram os gangsters Negros, os rappers cheios de merda na cabeça, os "pimp", actores prostituídos de Hollywood, e políticos demagogos que usam o "race card" para protagonismo.
A questão dos Negros não é fácil de gerir(e quiçá impossível de gerir) se o número deles for incomportável dentro do território nativo.

Terceiro, porque os Negros são os mais facilmente manipulados pelos judeus, e são usados como armas biológicas contra nós. E esse tipo de manipulação é muitas vezes complexa para a maioria do Negro perceber. E a experiência mostra que enquanto perdemos tempo a elucidar um Negro, estão outros 15 ou 20 ao mesmo tempo a roubar, a violar e a matar os Arianos dentro dos EUA.


Para terminar; é muito fácil refutar a acusação contra Hitler de este ter sido um "supremacista branco". Então a esmagadora maioria dos judeus não são brancos? E o Hitler não lutou contra as pretensões de supremacia dos judeus sobre todas as outras raças e etnias?
Essa acusação é portanto PARADOXAL! Não tem lógica, e como tal é ILEGÍTIMA!
O termo "branco" nem sequer está correcto para designação racial como já expliquei aqui: http://omsilanoican.blogspot.pt/2017/07/pensamentoimagens-do-dia_21.html

Thor disse...

"mas os islâmicos na sua maioria são retardados mentais e ALTAMENTE SIGNIFICATIVO é que as leis/ideias do corão estão acima de todas as outras; isto é assumido por eles. Como compatibilizar isto com o NS por exemplo? No que diz respeito aos direitos das mulheres, ou das crianças? Ou na relação com outras religiões, elementos humanos a que o corão chama de infiéis? Vai haver sempre faísca nesta relação..."


sim, e mesmo o islão se formos ver, é de origem judaica, é um programa judaico-semita e por isso é que não respeita quase nada, mulheres, crianças, etc mas desde que eles fiquem na terra deles e não se venham para cá impôr, eu não levanto grandes ondas. a invasão islâmica de hoje era impensável no tempo do Hitler.
mas acho que não faz sentido culpar uma religião (islão) pelo "retardamento mental", quando tens um Kevin Barrett, que é islâmico e apesar de não ser exactamente dos nossos, é bem adiantado mental. acho que tem mais a ver com raças e etnias do que com religião ou islão. e nem todos interpretam aquilo do mesmo modo.




"Há um Negro como o Thomas Sowell que apesar de não ser dos "nossos", nos últimos anos está cada vez mais próximo de nós do que dos ditos conservadores...mas ok, é uma referência intelectual para eles. Mas é pouco, muito pouco."


esse é neoconservador. pouco ou nada nos diz. mas ainda há outro negro como referência, o Louis Farrakhan, esse sim, bem honesto. tem a coragem, a honestidade e a clarividência de dizer que foram os judeus, e não os Europeus, quem realmente escravizou os negros e durante séculos. é islâmico, mas enfim, não se pode ter tudo. e prova que os islâmicos e os negros não são todos "retardados mentais".
como o Soral diz, o islão também não é uma coisa 100% homogénea e não pode ser vista como um todo único, pois aquilo são milhares de milhões, várias correntes, vários paises diferentes e etnias diferentes, etc mas que eu não gosto daquilo e nunca gostei, lá isso é verdade. as facções do islão mais radicais e mais anti-humanas, são precisamente as mais amiguinhas do sionismo, as que mais radicalizadas foram pelos judeus. (Arábia Saudita, p.exemplo)



"E mais... Aquilo é de tal forma uma cortina de fumo, que os fundadores daquilo são 2 lésbicas comunistas, e mulatas. Como é que se pode ser porta-voz de um grupo designado por "black lives matter", e nem sequer ser-se Negro?"


https://1.bp.blogspot.com/-ArcQ34qjnss/WR6QLi8FQRI/AAAAAAAAMx0/zsbPjL58VBwWnJBVdDqvI5yleWTZAAAxACLcB/s1600/7acf936e8283af30731f51f9129839f9d9889094.jpg

nem um negro se vê aqui nesta imagem:
https://2.bp.blogspot.com/-sxTNqcZ290E/WR6QUiLooFI/AAAAAAAAMx4/MqsS10OF7mgvPJihyn65OfR2zz-HjFHUwCLcB/s1600/76821827781c11e34dbb03e41b1ca6bea3583f83.jpg

Thor disse...

"Para terminar; é muito fácil refutar a acusação contra Hitler de este ter sido um "supremacista branco". Então a esmagadora maioria dos judeus não são brancos? E o Hitler não lutou contra as pretensões de supremacia dos judeus sobre todas as outras raças e etnias?"


sim, mas na América os judeus não são considerados brancos (white).
é estranho, mas é assim. na América, branco tem o mesmo significado de Ariano ou Indo-Europeu.
seja como for, ele também combateu outros brancos mais branquinhos, como o Churchill e combateu ingleses, norte-americanos anglo-saxonicos, etc, embora tenha sido contra a vontade dele, como se sabe. já que ele não queria a guerra contra esses povos.

WOLF disse...

A questão do islão tem uma componente psicológica/filosófica que ninguém aborda e não vejo ninguém abordar, mas que eu já escrevi sobre isso.

Um dos motivos de grande aderência aos islão, nomeadamente as classes mais baixas, é porque o islão fornece PODER ao individuo.
A questão da poligamia+submissão total da mulher, quer queiramos quer não, é uma forma de manifestação de poder/domínio; na psique do homem ele atinge a sua parte divina no sentido que no seu lar sente-se uma espécie de "Deus" ao ter várias mulheres que o satisfazem sexualmente.

Ora o cristianismo nada te oferece, a não ser te ajoelhares e seres um corno-manso perante quem te pisa a vida toda.
Já o judaísmo te oferece a possibilidade de angariares muito dinheiro, estatuto social e vacas, visto que o judaísmo é nada mais nada menos que o corrompimento da alma; e portanto se te corrompes, "Bem vindo ao clube"; fazes parte da pirâmide democrática.

A quem o judaísmo fecha as portas, ou quem o rejeita porque nele não se revê, sobra quem?
Para nós, NS e Fascistas, que somos mentalmente "n" vezes mais fortes vamos para o paganismo. Lá encontramos arquétipos que nos inspiram e nos alimentam a alma. A honra, que é a nossa moralidade superior dá-nos estofo psicológico para nos tornarmos ascéticos se necessário, mesmo em doses extremas. O espírito de conquista, faz-nos querer tornar-nos melhores homens, para dessa forma termos acesso às melhores mulheres.
Mas sejamos honestos, a maior parte dos homens - e isto é quase transversal a todas as raças - deixa-se facilmente dominar pelos mais baixos instintos. A honra é um fardo muito pesado, e o asceticismo uma "tortura" que eles dispensam...

E é por isso que o islão numa crise económica, onde a disparidade de riqueza é pornográfica, a injustiça reina, e a sociedade é multirracial e multicultural onde o máximo "deus" democrático é o Mamon, a Europa decadente é terreno fértil para o islão recrutar.
Eles pegam em gajos que nada têm, alguns deles quase analfabetos, mal-cheirosos e sem quaisquer virtudes e dizem-lhes: Tens direito a 4/5 mulheres que te satisfazem sexualmente de forma diária da maneira que tu quiseres, não refilam, dão-te banho se tu assim ordenares, e tu não tens que pagar como pagas a prostitutas, basta dar-lhes um tecto e comida que facilmente o consegues através de subsídios estatais à custa do corno-manso do contribuinte nativo Europeu democrático.
Nem hesitam, está claro; a conversão é automática!

É esta a questão que os "especialistas" da treta não percebem! A parte psicológica do homem comum/vulgar que vê no islão a possibilidade de ter poder/domínio sem ter que se tornar melhor homem.


Eu já sei que agora o que eu vou dizer, vai soar a "machismo" para alguns ingénuos que não percebem a realidade do mundo, mas a verdade é esta: O homem sente a necessidade de dominar, e as mulheres Europeias tem que perceber a influência que têm na psique do homem e perceberem que os NS e Fascistas têm que se sentir mais valorizados.
Desde os tempos mais antigos os homens combatiam pela defesa das mulheres, potencializavam-se para ter as mulheres que tinhas as características que achavam certas para criar família com elas. Guerras foram feitas em nome das mulheres.
A decadência e apatia dos tempos de hoje também se explica em parte pela decadência da mulher Europeia.
Lutar por gajas coladas a telemóveis, só com merda na cabeça, vestidas como se fossem putas, dançando kuduros e roçando-se em tudo e todos, simplesmente não vale a pena...

Parafraseando Hitler que foi certeiro nesta citação:"Eu só luto pelo que amo, mas eu só amo o que respeito."

Quantas mais melhores mulheres houverem, automaticamente melhores homens também haverão.
E só aí isto começa a endireitar a sério.

Thor disse...

o islão é uma merda em quase todos os aspectos! isso não está, nunca esteve em questão.
o único aspecto que se aproveita realmente, é o ser contra a usura, juros excessivos.
e, em parte, na questão do homossexualismo. mas mesmo aí defende matar os homossexuais, coisa que eu não defendo e acho que poucos NS defendem. tem razão no problema, mas não na solução que defende.

em tudo o resto, o islão é uma completa merda. e, mais, incoerente. obriga as mulheres a andarem "na linha" (eufemismo ridículo), mas depois os homens já podem fazer tudo e ser o quanto hedonistas quiserem. não é sequer para ser levado a sério.
aquilo é uma mistura de arabismo com judaísmo, claro que só podia sair merda.
mas o proprio judaísmo também é assim para as mulheres, não é só o islão.
mulheres judias também são tratadas abaixo de cão pelos maridos e algumas também andam de cara tapada.
o judaísmo é multifacetado. para os outros quer hedonismo, degeneração, etc mas entre eles é rígido, machista e patriarcal...claro que entre eles há homossexualismo, mas beijos entre homens sempre foi (e ainda é) frequente naquele "povo". mas noutros aspectos é muito rigído e machista. o único aspecto em que o judaismo é coerente e consistente para todos, é o materialismo total. eles só acreditam na matéria total.
eu que sou ateu, não sou materialista como eles.
"aquilo" (o judaísmo, seja religioso ou racial) é uma doença mental, e logo os derivados abrâamicos obviamente que também são doenças mentais contraditórias.
eles são o "povo" em que todas as crianças são chupadas à nascença, o "povo" que condena mas permite o homossexualismo ao mesmo tempo, o "povo" que mais viola crianças (é legítimo pelo livro deles a partir dos 3 anos de idade) e também sacrifica milhares em rituais de morte, o "povo" que condena mas ao mesmo tempo permite o feminismo.

lamento, mas o judaismo é muito, mas muito pior que o islão. de longe. não há nada que o islão faça ou permita fazer que o judaísmo também não faça ou permita fazer. NADA!
mas há coisas que o islão não faz e que o judaismo já faz!

mulheres de cara tapada? existe no judaísmo!
mulheres espancadas e cuspidas "porque sim"? existe no judaísmo!
mulheres mortas e mutiladas? existe no judaísmo!
crianças espancadas, violadas e mutiladas? existe no judaísmo!
tráfico de mulheres e menores? existe no judaísmo!
poligamia? existe no judaísmo!
pedofilia? existe no judaísmo!

WOLF disse...

Tu estás a falar do judaísmo mais ortodoxo.
Há um judaísmo mais liberal, que podes assistir por exemplo no Portugal ocupado entre a classe política e o jet merda 7, onde maridos e mulheres, namorados e namoradas traem-se uns aos outros constantemente, na boa mesmo, e sem grandes dramas.
O judaísmo sem ser o mais ortodoxo seguido essencialmente pelos rabis e aqueles gajos de cabelo ridículo com chapéus igualmente ridículos, e aqueles quipás que mais parecem aquelas bases de proteção dos bolos da confeitaria, é liberal-degenerado.

Basta veres por exemplo a novela decadente que resultou da relação do cliton com a lewinsky e todo o circo mediático à volta disso. O judaísmo liberal em todo o seu esplendor...
Esse judaísmo mais liberal, é o mais representativo entre eles.

Ou por exemplo as orgias nos templos maçônicos, onde os judeus "portugueses" e os cripto-judeus "portugueses" fodiam todos entre eles, ora todos ao mesmo tempo ou à vez enquanto os outros assistiam. Até bissexualismo se practica...


O islão é muito mais totalitário no mau sentido. É tirânico sempre para com as mulheres, e só varia a "dose"...

Nenhum deles dignifica a mulher, mas não era essa a questão em causa do que escrevi.
Tu se fores um zé-ninguém dum bairro qualquer não tens acesso a essas orgias judaicas por exemplo; precisas seres judeu e provavelmente não só; tens que ter fatiota maçônica e cartão do ps, psd, cds, etc...
O islão vai às classe mais baixas e dá-lhes tão ou mais poder sexual(bem vistas as coisas dá mais, sem dúvida) que o judaísmo.

Basta veres os retardados que fazem atentados ou que andam praí com megafones a pregar o islão.
Achas que sem o islão eles tinham categoria para arranjarem 4/5 mulheres que de livre vontade lhes satisfazessem sexualmente? Nem uma provavelmente... A não ser uma do nível deles claro está, que ninguém lhe pegue.

Thor disse...

"Tu estás a falar do judaísmo mais ortodoxo.
Há um judaísmo mais liberal"


eu disse:
"o judaísmo é multifacetado"
e:
"o "povo" que condena mas permite o homossexualismo ao mesmo tempo"
"o "povo" que condena mas ao mesmo tempo permite o feminismo."

e o judaísmo mais liberal domina no Mundo e na classe política, mas em israel é minoritário, embora exista claro...

mas quanto ao islão ser mais totalitário no mau sentido, só posso discordar...
não foi o islão que inventou o comunismo, foi o judaísmo. e o comunismo não só era totalitário no mau sentido, como era muito mais que o islão e nem sequer discriminava. era com todos, mulheres, homens, crianças, etc
execuções de homossexuais? não faltava nada disso no Mundo comunista e eram judeus os carrascos. opressão e violação de mulheres aos milhões? não faltou nada disso nos "paraísos" judaico-comunistas ou países conquistados por eles.
o cristianismo também é judeu e oprime mulheres, ou oprimia até poucas decadas atrás.
e mesmo o próprio feminismo judaico demo-liberal também é totalitário e opressivo para as mulheres de várias formas. seja com a obrigação da "carreira", seja com a ideologia marxista (cultural e não só), seja quando as empurra para as garras de islâmicos e outros predadores.

quanto aos "atentados" eu não acredito sequer que 90% deles sejam reais e estou a ser simpático. eles são retardados, mas nem tanto...não vejo nenhum "benefício" que eles possam tirar ou tenham tirado dos recentes "atentados" desde 2015, que para mim, são todos forjados, seja parcialmente ou totalmente, segundo indicam todas as provas.
passaportes "esquecidos" (lol) no local não me provam absolutamente nada. bem pelo contrário.

Thor disse...

os gajos do Chabad Lubavitch que andam de braço dado com o Putin, matam, violam, mutilam e traficam mulheres e menores aos milhares e não é em israel.
os judeus da "classe política" enviam ou ajudam a enviar Russas e Eslavas branquinhas para serem violadas, abusadas, traficadas e escravizadas sexualmente pelos seus amigos judeus de israel...eu sinceramente não faço grande distinção entre judaísmo liberal ou não-liberal.
o judaísmo liberal viola e vende menores. ou mesmo mata! tens o caso do Pizzagate, Podesta, Maddie McCain, etc.
o judaísmo liberal escraviza mulheres na prostituição, por exemplo.

Thor disse...

hipocrisia judaica.

para os outros:
http://i.imgur.com/ZgQ5HBn.jpg

para eles:
https://img02.rl0.ru/a3b9fc1daf6f60fafeeb1b6939e4cdbd/c580x421/davidduke.com/wp-content/uploads/2014/10/pink-news.jpg
https://i.ytimg.com/vi/DnLWT3Zbg_M/hq720.jpg
http://markhumphrys.com/Images/522.jpg