"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

sábado, 23 de abril de 2016

capitalismo e marxismo cultural juntos

antes:




















depois:





























capitalismo e marxismo cultural juntos para sempre.
e há até quem diga que um e o outro são, na prática, a mesma coisa:
FONTE

como eu também já venho a dizer há muito tempo:
FONTE

9 comentários:

Gang2 Ervilha disse...

Há um facto que mesmo muita pouca gente conhece, mesmo poucos. E é raro, muito raro falar-se neste assunto. Eu pergunto-me porquê ? Existe um tabu, à volta deste assunto sobre o “marxismo-cultural”, no sentido que, talvez as origens desta ideologia, não estejam ou não tenham vindo lá de onde vieram. Quem já aqui ouviu falar da “Escola de Chicago” ? Esta sim! Bem anterior à “Escola de Frankfurt”...

Não me atreveria a tanto, mas se afirmasse que, talvez, na realidade a ideologia hoje conhecida por “marxismo-cultural”, nasceu nos USA, se calhar não estaria muito longe do alvo...

Thor disse...

eu já ouvi falar dessa Escola de Chicago.
mas, para ser franco, o meu conhecimento dela é fraco, sobretudo quando comparado à da Escola de Frankfurt.

Gang2 Ervilha disse...

Existe muita pouca documentação sobre isso. O que me leva a pensar, que há um objectivo bem claro de esconder tudo, ou quase tudo, o que se refira à Escola de Chicago. Ela não difere em nada da Escola de Frankfurt. Diria que a de Frankfurt foi mais longe, pois insiste sistematicamente numa inversão de valores, mas a base da de Frankfurt, já estava bem lá, criada e nascida na de Chicago.

Se olharmos para a de Chicago, ela varre o aspecto racial para debaixo da mesa, e culpa sempre a sociedade de todos os males. Não conhece raças, assim como a de Frankfurt, culpabiliza a sociedade no seu todo, tal e qual como a de Frankfurt. Se os negros, ou qualquer outra raça, são incapazes disto ou daquilo, se os seus resultados escolares ou de êxito social estão abaixo de outras populações, nomeadamente a branca, a culpa é da sociedade e sempre da sociedade. Bem entendido: « sociedade = raça branca ».

Não têm diferença absolutamente nenhuma na sua maneira de ver e entender a sociedade e a interacção entre os vários grupos étnicos existentes nessa sociedade. E nesta escola, tal e qual a de Frankfurt, vamos encontrar sempre os mesmos elementos... que azar e coincidência, não ?

Eu não posso afirmar que a verdadeira origem da Escola de Frankfurt seja na realidade a Escola de Chicago, não tenho dados suficientes para isso, mas o meu feeling diz-me que não estou lá muito longe da verdade.

Gang2 Ervilha disse...

O que é flagrante tanto numa Escola como noutra, é a intenção de mudar o curso natural dos eventos de uma sociedade, tentar forçar e mudar o bom correr do que seria de si natural. A insistência na desordem, no caos. Pois se, uma intervenção humana naquilo que seria o desenvolver natural de uma sociedade, origina sempre desordem e caos, a cada golpe desse mesmo caos expressamente provocado, essas escolas têm sempre uma solução. Solução, a um problema, por eles mesmos provocado, que de si provocará mais e mais problemas, com mais e mais soluções e assim constantemente. E como um subir de degraus, cada grau equivale a um caos, e sobe-se mais alto a parada, até ao momento da explosão completa de uma sociedade. Que é na realidade ao que estamos a assistir dia após dia.

Se tiver de mencionar uma diferença entre uma e outra, é que a Escola de Chicago tratava mais da observação e interacção de vários grupos étnicos no seio de uma mesma sociedade, enquanto a de Frankfurt, já agia bem mais além da simples observação.

Se pensarmos bem, onde é que seria o terreno mais propicio para o desenvolvimento de uma ideologia como a de Frankfurt ? A Alemanha ou os USA ? Logicamente os USA! Que naquela altura dava um excelente campo de experiências, pois tinha uma grande variedade de grupos étnicos, o contrário de uma Alemanha, muito homogénea e portanto extremamente difícil ao desenvolvimento e estudo desse tipo de psicologia de massa.

N disse...

O inimigo do capitalismo é o Nacionalismo(Genuíno).
O marxismo cultural é o que contamina o espírito do nativo de modo a que esteja seja neutro, ou até mesmo cúmplice dos inimigos da Nação.
O marxismo político(Não apenas cultural) endivida a Nação deliberadamente. Depois o capitalismo empresta a juros usurários.
O marxismo promove a substituição populacional. O capitalismo agradece pois quebra as resistências nativas, ganha mão-de-obra mais barata que lhe permitirá baixar salários e direitos de forma geral porque é o "mercado laboral" a funcionar, e ainda baixa o nível médio de QI do gado, o que é óptimo, pois quanto mais burro for o povo dominado mais facilmente é enganado, roubado, escravizado...

Marxismo e capitalismo jogam os dois na mesma equipa. A equipa dos judeus.

Anónimo disse...


Vivemos uma guerra silenciosa
Já chegam à Europa mais de 50 milhões de refugiados este ano
http://accao-integral.blogspot.com.br/2016/04/vivemos-uma-guerra-silenciosa.html

Anónimo disse...

guerra silenciosa, genocidio silencioso e sem guerra normal armada.
Enfim, ha muitas maneiras de acabar com um país, um povo. Geralmente é através da guerra, mas hoje em dia é através da manipulação de massas, propaganda, lavagem cerebral que faz as pessoas serem contra a preservação da sua propria identidade, abrirem as fronteiras e ainda se acharem as maiores, as superiores e donas da verdade e não admitirem quem seja contra a sua opinião..

Thor disse...

pois, só que mesmo hoje em dia, ainda utilizam as guerras para acabar com os povos. senão, o que se passa na Ucrânia, por exemplo?
e porque andam a tentar criar guerras entre a NATO e Rússia? ou entre Ocidente e Irão? porque enviam soldados dos EUA e NATO morrer em nome de interesses alheios? porque fazem "primaveras Àrabes", destroem Líbias e Sírias com guerras e criam milhões de refugiados?
utilizam várias maneiras, não é só miscigenação ou abertura de fronteiras. muito longe disso.

Gang2 Ervilha disse...

«porque fazem "primaveras Àrabes", destroem Líbias e Sírias com guerras e criam milhões de refugiados?»

E o próximo da lista parece ser a Argélia....é só o Bouteflika morrer e aquilo ficará outra Líbia. Pior ainda do que a Líbia, pois a Argélia tem um bom exército, bem armado, e vão fazer frente com força aos mandatados de Jerusalém.