"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Jobbik dá exemplo de insubmissão

Mesmo contra a vontade do governo húngaro, o partido Jobbik, de extrema-direita realizou uma manifestação anti-semita em Budapeste, este sábado. Cerca de mil apoiantes do Jobbik, o terceiro maior partido no parlamento, participaram nesta espécie de comício, em protesto contra a realização do Congresso Judaico Mundial que começa no domingo na capital húngara. Gabor Vona, líder do Jobbik, afirmou, durante o seu discurso, que “somos especiais na Europa, não porque somos a maior nação anti-semita, mas porque mesmo tendo toda a Europa a seus pés, mesmo que a Europa lhes lamba os pés, nós não o vamos fazer.

A polícia tentou proibir a realização desta manifestação, mas esta intenção foi negada por um tribunal de Budapeste. Mas mesmo com esta decisão judicial, o primeiro-ministro Viktor Orban ordenou que o ministro do Interior usasse todos os meios legais para impedir a manifestação. As autoridades apenas conseguiram fechar todas as ruas de acesso ao local do encontro, mas não interferiu no protesto.

O líder da Federação das Comunidades Judaicas da Hungria, Peter Feldmajer, explica que “o fortalecimento do Jobbik é apenas um sintoma destas questões, o grande problema é que existe cerca de meio milhão de pessoas que apoiam a extrema-direita e muitas mais aceitam a atitude negativa com os judeus.”

Recorde-se que a 21 de Abril deste ano em Budapeste, milhares pessoas realizaram uma grande manifestação e recordaram os cerca de 600 mil judeus que morreram durante a 2ª GM na Hungria.

A escolha da cidade de Budapeste para a realização do Congresso Judaico Mundial não foi inocente: a organização quis fazer este encontro na capital húngara para mostrar que os movimentos anti-semitas estão a crescer cada vez mais.

FONTE



o Jobbik poderá ter outros defeitos, vários defeitos, mas a submissão aos judeus e ao ZOG não é um deles.
este partido é o 3ºmais votado da Hungria, o que demonstra que o anti-semitismo ou anti-sionismo ou como se quiser chamar (apesar de anti-semitismo e anti-sionismo serem coisas diferentes) não afasta a população.
poderá haver prioridades, como a criminalidade estrangeira, a imigração em massa, a corrupção e outras, mas a abordagem à questão judaica não afasta eleitorado dos partidos nacionalistas.
os partidos nacionalistas a sério denunciam o dedinho que há por detrás da destruição das raças europeias e não se limitam a falar em "islão" e outras coisas, para fazer parecer que são nacionalistas e defendem o povo nativo a sério. o Jobbik, juntamente com o Aurora Dourada, o Svoboda, o NPD, e até mesmo o BNP, entre outros, dão o exemplo do que deve ser nacionalismo e envergonham partidos corrompidos como a FN francesa, o FPÖ, o Vlaams Belang, o NRW, o PVV e outros.

4 comentários:

Pedro Lopes disse...

Thor,

E o ataque a Damasco?

Quero posso e mando!!!
Fazem o que querem. Se fosse a Síria a enviar uma míssil a umas instalações perto de Telavive, estaria o mundo inteiro a condenar e Israel a Bombardear a Síria.

Cada vez mais me convenço que o Assad é um gajo dos nossos. Ele não anda de turba. É asseado, ocidental etc. Nas manifs pró-Assad vemos gente branca, sem véus nem turbantes. Há tolerância religiosa, embora isto tenha o valor que tem.

A Síria não é um pais de lunáticos muçulmanos, mas sim de moderados e de gente com uma certa cultura.

Os Sionistas por debaixo da mesa controlam os terroristas muçulmanos. E o povo inacreditavelmente julga que o mau da fita é o Assad, e pior ainda que Israel e o seu Satélite EUA é que combatem os terroristas.
Triste mundo este.

Pedro Lopes disse...


A Nova vaga:
Os Imortais. Brutal!!!!


http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=eHUzD0dWdVY

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=CDD3Xhx0m_s
.
Excelente vídeo. Com a trilha sonora da excelente banda de BMNS Fanisk.
.
Sobre os hungaros, que eu saiba eles são originários de povos mongolicos, creio que inclusive os próprios partidos nacionalistas da Hungria afirmam isto.

Thor disse...

afirmar, afirmam. mas isso não significa que tenham razão.
na verdade isso até me pareceu azia anti-branca e anti-europeia do Jobbik.

há resíduos mongólicos na Hungria, nunca ninguém afirmou o contrário.
mas a esmagadora maioria da população e da base genética da Hungria é branca indo-europeia.