"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

sábado, 13 de abril de 2013

CGTP ou PCP?

mas quem é que, afinal, promove a manifestação de hoje em todo o país? é a CGTP ou o PCP? a diferença não é muito nítida ou clara, tal a promiscuidade e confusão entre ambas as entidades...



















(...)Uma delegação do PCP composta por Jerónimo de Sousa, Francisco Lopes e Jorge Cordeiro estará presente nesta acção promovida pela CGTP-IN(...)

FONTE

reparem na quantidade de adereços vermelhos, cartazes, bandeiras, bonés, camisolas, etc, reparem também na carantonha inconfundível do criminoso da bandeira central...coisa que tem passado completamente incólume em todas as manifestações desta "CGTP", sem a mais leve crítica, nos "intervalos da chuva".



agora, imaginem o que seria se um grupo de pessoas revoltadas com gangues étnicos ou criminalidade estrangeira vinha para a rua marchar e manifestar-se  nalgum evento organizado por uma instituição "não-partidária isenta" e que nessa manifestação alguém empunhava bandeiras de Hitler ou Mussolini?
qual seria o escândalo nas TVs,  abertura de telejornais, bando de nazis e fascistas ligados ao PNR mas com vergonha de se assumirem e sairem do armário, instituição racista, criminosa e promíscua com o PNR, ligada a ele "umbilicalmente" mas disfarçada de "não-partidária", tudo isto e muito mais se diria, era grandes planos das bandeiras dos líderes nazis/fascistas e parangonas de jornais, era reportagens sobre a "extrema-direita" infiltrada em organizações extra-partidárias, era punições, sanções, cortes e boicotes estatais a essa instituição, era processos em tribunal, era críticas, era ameaças e ataques terroristas de anarcas e comunistas devidamente silenciados ou, pior, legitimados pela CS, era debates semanais, entrevistas diárias, onde os políticos dissertariam sobre os "perigos" da ascensão deste tipo de "fenómenos" e dos riscos de contaminação da "juventude", críticas sobre a "passividade" ou "conivência" com situações "alarmantes" como estas.
enfim...só para se ter uma ideia da discrepância abismal que há entre o tratamento dado a "uns" e a "outros".
em "democracia" somos "todos iguais", mas há uns muito mais "iguais" do que outros. e agora um amén e vivas à "democracia"! e à "imprensa livre, democrática e imparcial"!

10 comentários:

Pedro Lopes disse...

Somos todos iguais o caralho!!!

CGTP é PCP!!!

E isto, meus caros, é absolutamente nojento.

Porquê?
Porque há uma força politica que usa os trabalhadores como sendo seus!!
Como sendo o seu cavalo de batalha.
Esta corja de merda está-se a cagar para o bem estar dos trabalhadores.
É apenas a sua plataforma politica e o seu ganha pão. Dado que lhes dão sempre 5 ~7 % de votos de parolos que caem na esparrela.

Comunismo ==== MERDA

Os comunas de topo são a coisa mais nojenta que pode existir á face da terra. E eu sei do que estou a falar.

O Nacionalismo é que defende os trabalhadores. E defende-os pela lógica unificadora do próprio nacionalismo. Nação estável.

É a Nação acima de tudo.
E são as forças produtivas que tem de ser apoiadas.
Forças Produtivas = Empresários Honestos + Trabalhadores motivados e produtivos.

Empresários com alma e trabalhadores com sentido de pertença da própria empresa e com
com cultura de trabalho e de responsabilidade.

Pedro Lopes disse...

http://www.youtube.com/watch?v=ZeUT3cPns9s

E


http://trutube.tv/video/5321/NEW-WORLD-ORDER-PLEDGED-TO-JEWS

Estes vídeos são importantes, Thor.

Porquê?

Porque podem ser importantes para quem anda por ai perdido, mas já acordado para a realidade da nojeira das elites nacionais e mundiais e não tem ancoramento.

E a ancora são as ideologias nacionalistas ou até nacionalistas pan-europeias, mas sempre com anti-sionismo e anti-multiculturalismo,
anti-Capitalismo e anti-marxismo.

Pedro Lopes disse...


Quem é o Olavo de Carvalho?

A mim sempre me pareceu um cagalhão da Direita Neo-Liberal.

Os nossos inimigos são a merda Neo-Liberla/Capitalista e a merda Marxista/Sionista na mesma medida.

Logo, ser anti-esquerda não significa á partida nada.

O que acham dessa personagem?

Thor disse...

"Quem é o Olavo de Carvalho?

A mim sempre me pareceu um cagalhão da Direita Neo-Liberal.

Os nossos inimigos são a merda Neo-Liberla/Capitalista e a merda Marxista/Sionista na mesma medida.

Logo, ser anti-esquerda não significa á partida nada.

O que acham dessa personagem?"



é kosher-sionista, pelo menos em 50%, se não for mais.
não o considero aliado, é um católico anti-nazi e defensor do holoconto...

agora, lá por ter essas partes más e não ser um aliado, não quer dizer que tudo nele seja mau ou que não se aproveite nada. eu filtro coisas boas nele, talvez uns 40% ou 50%, não sei.

ele denuncia o Marxismo e o Marxismo Cultural de alto a baixo.

ele pode ser a-racial, e é, mas também não me parece "anti-racista", ele denunciou as quotas raciais para os negros, ele já denunciou o racismo anti-branco genocida da Esquerda, ele já desmontou o mito da "escravatura dos negros" pelos brancos, e já tocou nalguns pontos fulcrais do MC, embora realmente ele prefira focar-se em coisas secundárias como aborto, gays, e etc
mas entende do Marxismo como ninguém e da globalização também.

não é por ser "anti-esquerda" que eu estou a dizer isto, é por dominar mesmo profundamente o assunto, só isso.
porque há muitos "anti-esquerdistas" que não valem nada, e até pouco sabem do assunto.


onde ele falha:
- o catolicismo tolda-lhe a visão
- está sempre a comparar o NS ao Marxismo e à esquerda devido a ser um neoliberal mas também católico fanático
- defende o estado de Israel
- não menciona os judeus quando fala em Nova Ordem ou globalização
- não se interessa pelo racialismo
- vê o "holocausto" quase como dogma religioso "sacrossanto"
- e faz também algumas confusões e interpretações delirantes

Thor disse...

"CGTP é PCP!!!"


obviamente.

Thor disse...

"Os comunas de topo são a coisa mais nojenta que pode existir á face da terra. E eu sei do que estou a falar."

que grande novidade, até parece que aqui ninguém sabe...

Anónimo disse...

Grande parte dos escritos de Karl no New York Tribune também foi abertamente anti-semita. Por exemplo, em um artigo publicado Líder em 1856, ele escreveu o seguinte:

"Assim, podemos encontrar todos os tiranos apoiados por um judeu, como é toda Papa por um jesuíta. Na verdade, os anseios dos opressores seria inútil, ea praticidade de guerra fora de questão, se não houvesse um exército de jesuítas para sufocar o pensamento e um punhado de judeus para saquear os bolsos.

Anónimo disse...

"Tome Amsterdam, por exemplo, uma cidade abrigar muitos dos piores descendentes dos judeus que Fernando e Isabel expulsaram da Espanha e que, após um tempo prolongado, em Portugal, foram expulsos de lá também e finalmente encontrei um lugar de retiro em Holanda.

Anónimo disse...

"O fato de que 1855 anos atrás Cristo dirigiu o judeu cambistas para fora do templo, e que os cambistas de nossa época, se alistou no lado da tirania, mais uma vez acontecer de ser judeus, não é uma mera coincidência histórica.

Anónimo disse...

"Assim que esses empréstimos, que são uma maldição para o povo, uma ruína para os titulares, e um perigo para os governos, tornar-se uma bênção para as casas dos filhos de Judá.




"Esta organização judeu de empréstimo-mongers é tão perigosa para as pessoas como a organização aristocrática dos proprietários.




"As fortunas acumuladas por esses traficantes empréstimo-são imensos, mas os erros e sofrimentos decorrentes, assim, sobre as pessoas e, assim, o incentivo concedido aos seus opressores continuam a ser contada.




"Os judeus empréstimo de fautor de a Europa fazer só que em escala maior e mais detestável do que muitos outros fazem em um menor e menos significativo. Mas é só porque os judeus são tão fortes que é oportuno e conveniente expor e estigmatizar a sua organização. "Karl Marx, artigo Líder, New York Tribune, 04 de janeiro de 1856. Como reproduzido em A Questão Oriental: Cartas Escritas 1853-1856 sobre os eventos da Guerra da Criméia por Karl Marx, Eleanor Marx Aveling, Edward Aveling Bibbins, Routledge, 1994 páginas 600-606.