"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

sexta-feira, 28 de junho de 2013

antifas = sionismo






















óbvio...
claro que nem sempre é assim. mas, pelo menos no caso dos antifas conscientes é. um antifa consciente reconhece a origem das suas ideias, e reconhece a casa-mãe.
claro que basicamente estes palhaços aceitam para "outros" aquilo que negam aos seus próprios países, mas isso é um problema do foro mental e psiquiátrico só deles.  eu não tenho competências nem vocação para ser psicólogo.
há outro grupo de antifas, os que criticam as acções de israel, mas que responsabilizam os EUA pelas mesmas.

a diferença entre racismo e racialismo




























para encontrar verdadeiras passagens de racismo e racismo negativo, contra outras raças e povos, não é ir ver o que dizem os Nacional-Socialistas, Nacionalistas ou outros...para encontrar coisas dessas é só ir procurar tais passagens no Talmud, o livrinho que rege os "eleitos" genocidados e vitimados num tal "holocausto".

a verdade sobre os democratas suecos

"os democratas suecos mudaram muito desde que os irmãos Ekeroth (judeus) começaram a destacar-se dentro do mesmo.tanto é que o próprio site do SD dias atras deixou bem claro que abandonou o nacionalismo em prol do "social
conservadorismo".
o partido agora é mais um "amigo de israel" que luta contra a "islamização" da suécia. segundo o partido, todo o imigrante é bem vindo desde que se assimile (ou seja,não tenha o islamismo como orientação religiosa).

o que se lê sobre imigração e identidade no site dos democratas suecos é o seguinte":

"Não à divisão política

Nós não acreditamos na ideia de uma sociedade multicultural, porque é uma ideologia que leva à exclusão, fragmentação e segregação. Multiculturalismo é a idéia de que um Estado sera construído em valores muito diferentes uns dos outros. Acreditamos que, em vez disto devemos defender pontos de vista ocidentais sobre os valores da democracia, da igualdade, bem-estar e os direitos humanos. " 

"Prevenção da exclusão

Acreditamos, portanto, que a assimilação é o fortalecimento da cultura sueca. Com a assimilação, queremos dizer que os imigrantes que vêm para a Suécia para se adaptar à Suécia e não a Suécia para se adaptar aos imigrantes. É a integração de hoje e as políticas de imigração que criaram centenas de zonas de exclusão em torno da Suécia."


outros factos que demostram bem a qual a ideologia defendida pelo SD:

politico do Sd ,Leif Vogel ,expulso do partido apenas por fazer criticas ao comportamento dos imigrantes em aeroportos 
http://www.friatider.se/var-kritisk-mot-invandring-sparkas-ur-sd

(traição, eleitores enganados,mais do mesmo e democratas-sionistas" é o que mais houve nos comentarios do link acima)

judeu que ocupa a vice presidente do partido - filo-judeu anti-nacionalista anti-islão e pró-assimilação - democratas suecos (Sverigedemokrat) ameaça de expulsão partidário após este "curtir", na rede social facebook, link da comunidade do site nacionalista realisten.se .

http://www.nationell.nu/2013/02/08/lankade-till-nationell-sajt-hotas-uteslutas-ur-sverigedemokraterna/


site de judeu - que é um dos lideres do partido filo-judeu anti-nacionalista islamófobo e assimilacionista democratas suecos - diz em reportagem que norte africana - Lorine Zeineb Nora Talhaoui - ganhadora no eurovisão 2012 é tipica representante da étnia sueca.

http://www.nationell.nu/2012/05/27/arabiska-vann-eurovision-song-svenska-dagbladet-kallar-loreen-for-etnisk-svenska/

_nas eleição de 2010 no município de Södertälje ( Condado de Estocolmo ), o SD foi O UNICO PARTIDO com uma MAIORIA DE IMIGRANTES na sua lista eleitoral, a maioria cristãos caldeus do Oriente Médio"

De acordo com o Aftonbladet , 14% dos membros do SD são de origem imigrante,

abaixo mais sob as propostas do partido anti islamização e anti nacionalismo democratas suecos
https://sverigedemokraterna.se/vara-asikter/

judeu Kent Ekeroth ,que é uma das lideranças do partido - anti nacionalista e pró-asssimilação - democratas suecos reafirma em entrevista dada a tv sueca que a identidade sueca não é uma questão de "côr de pele/raça" mas de escolha.
esta opinião é apoiada por todos os lideres do SD (ate porque os contrários à mesma são expulsos do partido ), pois eles não acreditam que os suecos são uma etnia e que a mesma mereça ser preservada.

http://www.youtube.com/watch?v=liZnjxwR4cw

em relação a quem fomenta o multirracialismo e a assimilação na suécia:

"o imperador não é mulçumano é JUDEU"
http://www.nationell.nu/2013/02/07/ledare-kejsaren-ar-jude-inte-muslim/


Jimmie Åkesson,presidente desde de 2011 do partido filo-judeu, anti-nacionalista ,anti-islão e pró-assimilação democratas suecos(Sverigedemokraterna ou SD) afirma em entrevista dada a tv que não existem suecos étnicos,e que toda e qualquer pessoa pode se tornar um sueco.

http://www.nationell.nu/2013/03/13/jimmie-akesson-det-finns-inga-etniska-svenskar/
.
partido filo-judeu ,anti-nacionalista ,anti-islão e pró assimilação democratas suecos(Sverigedemokraterna ou SD) ameaça de expulsão membro por este ter lido livro escrito por um conservador.

http://www.nationell.nu/2013/03/07/sd-vill-utesluta-omtyckt-partimedlem-for-att-han-last-en-konservativ-bok/

Mikael Höglund,membro do partido filo-judeu, anti-nacionalista ,anti-islão e pró-assimilação democratas suecos (Sverigedemokraterna ou SD) é expulso do mesmo por expôr e criticar o lobby judaico nos paises ocidentais.

http://www.nationell.nu/2013/03/21/sd-utesluter-medlem-som-sa-sanningen-om-judarnas-makt/

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Goebbels sobre o socialismo

Nós somos socialistas porque nós vemos no socialismo, que é a união de todos os cidadãos, a única hipótese de manter a nossa herança racial e de reconquistar a nossa liberdade política, renovando o nosso Estado alemão…

O Socialismo é a doutrina de libertação da classe trabalhadora. Promove a ascensão da quarta classe e a sua incorporação no organismo político da nossa Pátria, e está inextricavelmente ligado ao rompimento da presente escravatura e recuperação da liberdade da Alemanha. o Socialismo, portanto, não é meramente uma questão da classe oprimida, mas uma questão de toda a gente, para libertar o povo Germânico da escravatura, que é o objectivo da política contemporânea. o Socialismo ganha a sua verdadeira forma apenas através de uma total luta fraternal com as energias avançadas de um recém-acordado nacionalismo. Sem o nacionalismo é nada, é um fantasma, uma mera teoria, um castelo nas nuvens, um livro. Com ele, é tudo, o futuro, a liberdade, a pátria!

O pecado do pensamento liberal é ignorar a força de construção nacional socialista, assim permitindo que as suas forças se dispersem em objectivos que não são do interesse da nação. O pecado do Marxismo é ter degradado o socialismo numa mera questão de salários e de comida, colocando isto em conflito com o Estado e a existência nacional. Entender tais factos leva-nos a uma nova forma de socialismo, que vê a sua natureza como nacionalista, fortalecedora do Estado, libertadora e construtiva…

(....)

Nós somos socialistas porque consideramos que a questão social é uma matéria de necessidade e justiça para o bem da existência do estado do nosso povo, não uma questão de lamentação barata e sentimentalismos. O trabalhador tem as suas demandas de um padrão de vida condizentes com o que ele produz. Nós não temos a intenção de implorar por este direito. Incorporá-lo ao organismo estatal não é algo de importância fundamental para ele, mas para toda a nação. A questão é muito maior do que o debate pela jornada de trabalho de oito horas. Mas sim a formação de uma nova consciência de estado que inclui cada cidadão produtivo. Já que os poderes políticos de hoje não estão dispostos ou não podem criar tal situação, o socialismo deve combater por isto. É um slogan de luta tanto interno quanto externo. Ele será direccionado contra os partidos burgueses e o Marxismo ao mesmo tempo, já que ambos são inimigos mortais do vindouro estado dos trabalhadores. Ele é direccionado também a todos os poderes estrangeiros que podem ameaçar a nossa existência nacional e também a possibilidade da criação de um estado nacional socialista.

(....)
Nós chamamo-nos a nós próprios partido dos trabalhadores porque queremos resgatar a palavra "trabalho" da sua definição corrente e devolvê-la ao seu significado original. Alguém que cria valor é um criador, isto é, um trabalhador.  Nós recusamo-nos a distinguir formas de trabalho. A nossa única escala é se o trabalho serve o todo, ou pelo menos não o prejudica, ou então se ele é nocivo. Trabalho é serviço. Se trabalha contra o bem-estar geral,  então é traição contra a pátria. 
(...)

o Socialismo só é possivel num estado unido domesticamente e livre internacionalmente. A burguesia e o Marxismo são responsáveis por falharem os dois objectivos, união doméstica e liberdade internacional. Não importa o quão nacional e social se apresentem estas duas forças, eles são inimigos jurados de um estado socialista nacional.

Devemos, portanto, destruir politicamente ambos os grupos. As linhas do socialismo Germânico são nítidas, e o nosso trajecto é claro.

Somos contra a burguesia política, e pelo nacionalismo genuíno!

Somos contra o Marxismo, mas pelo verdadeiro socialismo!

Somos pelo primeiro estado nacional Germânico de natureza socialista!

Somos pelo Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães!
(....)


resumindo, o Nacional-Socialismo é a verdadeira forma de socialismo. todas as outras, incluíndo o marxismo são formas corruptas de socialismo.
são formas igualitárias e redutoras de socialismo, ao passo que o Nacional-Socialismo é uma forma desigualitária e abrangente de socialismo, ao serviço de toda a comunidade e não de uma suposta classe "oprimida".
por exemplo, o Trabalhador alemão não era forçosamente o proletário ou o operário "oprimido" e sim todo o trabalhador ou produtor. não há distinção de classes ou trabalhos, daí ser o partido dos Trabalhadores, não do "proletariado", e assim sucessivamente.
é este socialismo que combinado com o nacionalismo, e não de uma forma isolada, garante as bases da manutenção do património racial, isto é, do Povo.

domingo, 23 de junho de 2013

discurso de Mussolini contra o «racismo» NS

video
o fascismo mussoliniano era ambíguo. aceitou leis raciais a partir de 1938 por "pressão" do nazismo, mas isso não o impediu de antes ou depois, mandar umas ferroadas contra o racialismo nacional-socialista.
as leis raciais, de que já aqui falei, nunca foram tema que importasse muito para a itália fascista.

a verdadeira identidade LGBT























"austeridade, troika, racismo"


movimentos "anti-racistas" ou anti-brancos camuflados sob pretextos sexuais...é o que são estes movimentos LGBT, gays, lésbicos (feministas) e outros.

sábado, 15 de junho de 2013

o que é realmente a paz universal

«Só reinará a paz universal quando o domicílio ou território de cada raça ou nação for considerado inviolável por todas as outras, como é ou deve ser o domicílio do cidadão; quando os povos se convencerem de que nada lucram em quererem dominar ou explorar os outros povos; quando se reconheça a cada nação e região o direito de dispor livremente dos seus destinos.
Pelo contrário, os unificadores da humanidade (cosmopolitas, imperialistas e centralistas) são os maiores inimigos da paz universal e tranquilidade das nações. Todos os grandes conquistadores e tiranos têm procedido em nome da "unificação dos povos". Alexandre, César, Mahomet, Gengis-Khan, Napoleão e outros guerreiros destruíram e oprimiram muitos povos a pretexto de os "unificar" e "pacificar".
E ainda recentemente o Kaiser desencadeou a grande guerra para "unificar" a Humanidade sob a égide do "povo eleito" da Germânia.
Todo o unificador é um imperialista, um opressor.
A concepção babélica da Humanidade, sem diferenciação de raças e de nações, é absurda e contra a natureza.»

«Perigos que Ameaçam a Europa e a Raça Branca - III: Adulteração e Eliminação da Raça Branca»

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Radoshkovich (Putin) antes das plásticas...























lei anti-racial por pressão de israel e do zog













FONTE


para ver uma tradução aproximada é só entrar no link e depois traduzir para português na barra cinzenta que aparece em cima.  não consegui uma tradução boa, pelo menos nalguns parágrafos, mas dá para entender o essencial, que esta lei surgiu por pressão tanto do presidente Shimon Peres, como do 1ºministro Netanyahu e também do Congresso Judaico Mundial e das comunidades judaicas aterrorizadas com a ascensão da Aurora Dourada.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

imagens que falam por si




















ao lado de Putin vemos Berel Lazar e o Rabbi Alexander Boroda, presidente da Federação das Comunidades Judaicas da Russia.
lamento se isto desaponta possíveis admiradores de Putin, mas a minha intenção ao escrever e publicar, não é "agradar" e sim informar.

sábado, 1 de junho de 2013

totalitarismo do conselho da europa


Conselho da Europa: os governos devem combater ascensão de partidos racistas
As Nações europeias precisam de reforçar a sua resposta à ascensão de partidos políticos extremistas racistas, diz o lider do Conselho da Europa de direitos humanos.


ESTRASBURGO, França, 16 de maio (UPI) - Os países europeus precisam de reforçar a sua resposta à ascensão de partidos políticos extremistas racistas, diz o líder do Conselho da Europa de direitos humanos.

Nils Muiznieks, comissário do Conselho para os direitos humanos, disse segunda-feira que países como a Grécia e Hungria que viram membros de partidos políticos extremistas eleitos para os parlamentos, são obrigados por um tratado a passar e impôr leis que contribuam para conter a sua influência.

"Preocupa-me profundamente que a comunidade europeia e os líderes políticos nacionais pareçam não estar plenamente conscientes da grave ameaça que estas organizações representam para o Estado de direito e os direitos humanos", disse ele.

Muiznieks, encarregado de avaliar a situação dos direitos humanos entre os 47 membros do Conselho da Europa, disse que o aumento da popularidade de tais partidos como o Aurora Dourada na Grécia e Jobbik na Hungria é cúmplice de uma onda de ataques racistas e de violência em todo o continente.

Por exemplo, 220 ataques racistas foram registados na Grécia, entre Outubro de 2011 e Dezembro de 2012, "cerca de um ataque a cada dois dias", observou.

O surto atingiu o ponto de "uma forma primitiva de terror de extrema-direita", disse ele.

"O fenómeno é tanto mais grave quanto é emparelhado com um aumento da influência dos partidos políticos extremistas, racistas nos parlamentos e governos nacionais, e se esforça por esses partidos para reforçar a sua posição a nível europeu através de alianças", disse ele.

Na Hungria, observou ele, o Jobbik - um partido auto-descrito como "radicalmente patriótico" - surgiu como uma força política em 2010 e rapidamente tornou-se o terceiro maior partido do país, enquanto o "neo-nazi" Aurora Dourada e os Democratas Suecos também obtiveram ganhos políticos.

Muiznieks lembrou que os países europeus estão obrigados pela Convenção Internacional das Nações Unidas de 1966, para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial, a eliminar a discriminação racial, bem como a proibir o discurso de ódio e a criminalizar a participação em organizações racistas.

Ele exortou os governos a actualizar e reforçar as suas leis anti-racistas e a envolver-se em "sistemática e contínua formação anti-racista" de policiais, promotores e a combater o que ele chamou a sua "baixa consciência" da ameaça representada pelos crimes racistas.

O convite veio menos de um mês após Muiznieks ter emitido um relatório sobre a Grécia, no qual ele disse que uma proibição total da Aurora Dourada seria "possível", uma vez que legisladores consideram um projecto de lei pendente desde 2011 que iria introduzir penas mais duras para crimes com motivação racista e evitar que deputados que defendam o neo-nazismo, exerçam os cargos.

A polícia alegou que os deputados da Aurora Dourada estiveram envolvidos em vários casos de ataques racistas e violentos contra imigrantes no ano passado.

O projecto de lei anti-racista grego era para ser submetido ao Parlamento por ministros da Justiça, na semana passada, mas foi adiado devido a divergências entre os membros da aliança governamental, informou Kathimerini.

O jornal, citando fontes do governo, disse que a questão pareceu centrar-se na melhor maneira de combater a Aurora Dourada, com alguns a afirmar que isso só iria tornar o grupo mais popular, lançando-o no papel de uma vítima da opressão.

O governo, por sua vez, afirma que já está a lutar contra o extremismo racista, estabelecendo um promotor anti-racista em Atenas, assim como criando 70 unidades de polícia anti-racistas, relatou o EUobserver.

Numa resposta ao relatório de Muiznieks, advertiu que tomar medidas contra grupos como a Aurora Dourada, que legalmente foram eleitos para o Parlamento é "complexo" por "razões óbvias relacionadas com a função da política democrática."

FONTE


notícia que já tem cerca de duas semanas, mas que é bom divulgar, para que se veja o estado a que chegou actualmente a Europa. lavagem cerebral, inquisição, "formação" (formatação) anti-racista, polícia anti-racista, totalitarismo, proibição, sanções, alegações não provadas, etc. esta é a Europa dos dias de hoje.
mas como se viu pelo tópico imediatamente anterior a este, nem sempre esta gente leva a àgua ao seu moinho.
a propósito, parece que o comissário Muiznieks é judeu.