"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

a verdade nua e crua sobre o marxismo sionista


anarquistas atacam sede da Lega Nord à bomba

 Duas pequenas bombas explodem em sede da Liga Norte

Duas pequenas bombas explodiram em frente à sede da Liga Norte, partido de direita membro da coligação do Governo italiano, sem fazer vítimas.

 A Liga Norte, de Umberto Bossi, é um partido que tem feito do combate à imigração a sua bandeira. Bossi vive a um quarteirão da sede do seu partido.

Segundo a polícia, os responsáveis por este ataque deverão ser elementos do mesmo grupo anarquista que na semana passada enviou pacotes armadilhados a três embaixadas em Roma, deixando duas pessoas feridas, um delas com gravidade.


FONTE

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

1º candidato a belém defende multiculturalismo

Cavaco Silva defende liberdade religiosa

O Presidente da República e candidato presidencial, Cavaco Silva, defendeu esta quarta-feira a liberdade religiosa, num discurso em que citou o Talmude, o Alcorão e Gandhi, e considerou que o diálogo entre religiões é necessário à Europa.

Na sua qualidade de candidato às Presidenciais de 23 de Janeiro de 2011, Cavaco Silva almoçou com representantes de várias comunidades religiosas, num restaurante de Lisboa.

"Sou cristão, como sabeis. Entendo que todas as religiões do bem nos aproximam de Deus. Acredito firmemente que todas elas fazem parte do plano de Deus para abrir as portas a uma nova era de esperança. Sinto-me, por isso, em casa quando me encontro com os crentes das religiões do bem", declarou, no início da sua intervenção.

Em seguida, Cavaco Silva considerou que os portugueses são "herdeiros de um património histórico no qual a fé iluminou o modo de ser e de estar" e abriram "o mundo ao diálogo universal", tornando-se "um povo vocacionado para o reconhecimento do valor da pluralidade religiosa".

"Entre nós, os crentes das mais diversas religiões vivem a sua fé em liberdade. Por isso, exultamos quando os líderes das diferentes religiões empreendem um diálogo aberto e prometedor - um diálogo necessário à própria Europa", completou.

Cavaco Silva defendeu que "cada ser humano possui o direito inviolável de praticar a religião que entender ou de não praticar nenhuma religião" e que "o exemplo de diálogo e de respeito dado pelas religiões do bem deve ser entendido pelos estados".

"Os poderes públicos que ofenderam a liberdade combatendo e até proibindo a religião não conseguiram abalar a fé dos homens, mas conseguiram algo muito negativo: empobrecer espiritual, moral e socialmente as suas comunidades", criticou.

Segundo o candidato Presidencial apoiado pelo PSD, CDS-PP e MEP, "a religião responde às aspirações mais profundas do homem" e "as religiões do bem apresentam uma virtude preciosa nos tempos atribulados que vivemos: são também religiões de esperança".

"Nestes tempos, deve ser dada a palavra aos portadores de uma mensagem de esperança, deve ser dada a palavra àqueles que se preocupam com o outro e que para ele estão disponíveis", disse.

No seu entender, "todas as religiões do bem têm desde sempre procurado responder à pergunta fundamental que interpela o homem: que fizeste do teu irmão?" e Portugal precisa que "os crentes das religiões da esperança dêem testemunho das suas razões para esperar um mundo melhor".

Antes, discursou o presidente da Comunidade Islâmica de Lisboa, Abdool Vakil, que apontou Cavaco Silva como um garante de que em Portugal continuará a existir "um ambiente de liberdade, de respeito mútuo" entre religiões, numa época em que a "islamofobia" cresce, "infelizmente, em vários países da Europa".

"Tranquiliza-me na pessoa do candidato Cavaco Silva a sua reconhecida competência, as suas excepcionais capacidades de liderança e a determinação que transparece em restaurar a confiança e a credibilidade em Portugal e, muito especialmente, a necessária autoestima dos portugueses", afirmou o antigo presidente do Banco Português de Negócios (BPN).

FONTE



como sempre, a cristandade submissa baixa as calças a islâmicos, judeus e sabe-se lá que mais...
mas mais grave do que isso, é encontrar-se com representantes dessas seitas - como se não bastasse o próprio cristianismo - em solo português.  se ele quer "diálogo" que vá "dialogar" sozinho para o Médio Oriente. aliás, não foi este senhor aqui que disse que se sentia em casa na Turquia????

enfim, depois, lamentar o crescimento da "islamofobia" em vários países europeus (ao mesmo tempo ignorando todos os maleficios, abusos e crimes dessa seita em solo estrangeiro) vai bem na linha dos valores cristãos de submissão e rendição, dos quais este Cavaco é fiel acólito.

é "isto" que vai ser reeleito para o cargo de presidente da Républica mais cinco anos???
pensem bem, senhores, antes de votar em qualquer um.  ou votar no(s) partido(s) que o apoiam.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

camões ignorava que era um galego


o poeta camões ignorava que era filho de galegos , logo um galego, nascesse onde nascesse, fosse em Coimbra, Lisboa ou Alcaber-Quibir.

"A Casa ancestral dos Camões tinha as suas origens na Galiza, não longe do Cabo Finisterra. Por via paterna, Luís de Camões seria descendente de Vasco Pires de Camões, trovador galego, guerreiro e fidalgo, que se mudou para Portugal em 1370..."








porque só essa ignorância explica isto:

"Ó sórdidos Galegos, duro bando,
Que para resistirdes vos armastes,
Aqueles, cujos golpes já provasses."

Os Lusíadas, canto IV; estrofe 10



nota: Camões não faz distinção entre Lusos e Lusitanos, são o mesmo. aliás, atribui a fundação da Lusitânia à personagem mitológica de Luso.

"Este que vês é Luso, donde a fama
O nosso Reino Lusitânia chama."


Os Lusiadas, canto VIII; estrofe 2

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

o polvo

a cabeça do polvo e os seus tentáculos/descendentes directos ou indirectos.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

celtismo, moda e mito galego do séc. XIX ??
















FONTE: Descripçam corografica do reyno de Portugal", António de Oliveira Freire, 1739 (séc.XVIII)

conservadorismo

quantas vezes muitos de nós, não ouvimos já o argumento de que todos os "extremos" são maus, seja de "direita" ou seja de "esquerda" e que a virtude está no pensamento politico moderado e supostamente "conservador" ou de centro???
decerto muitas vezes já ouvimos estes argumentos, mas que na realidade não passam de falácias e retórica vazia, sem profundidade.
será que o termo "conservador" significa aquilo que essas pessoas querem que signifique?

conservador é quem conserva. a conservação implica tudo. implica conservar as tradições, a terra, a cultura, a história, o sangue.  quem quer conservar isto tudo, é que é conservador.
haverá, então, alguma coisa mais conservadora do que a politica nacionalista ou nacional-socialista?

um exemplo, quantos de nós não ouvimos já pessoas horrorizadas com o simbolo da suástica, classificando-a de "extremista", "radical", "ofensiva", tentando demonizar e diabolizar esse simbolo, através da estigmatização da imagem, como também fazem com palavras ou sons (rrracista, fasccista, naziii) criando um reflexo negativo imediato na mente de todos quanto ouvem esses sons ou observam esses simbolos.
é ponto assente. a suástica é "radical", "extremista" e nada conservadora.

será mesmo assim??
quem conhece mesmo os factos, e não é ignorante, então sabe que não existe coisa mais conservadora neste mundo do que uma bela suástica, um simbolo milenar usado pelos nossos antepassados indo-europeus.
haverá, afinal, coisa mais conservadora do que a recuperação, conservação e eternização de um belo simbolo ancestral milenar e tradicional.  a suástica é o simbolo do verdadeiro conservadorismo: sangue, terra, cultura, tradição, familia!
ainda por cima, a suástica de 3 braços (trisquel) representa o equilibrio entre mente, corpo e espirito...


os "moderados" (ou os esquerdas) nunca se preocuparam em conservar tradições, nunca se preocuparam com a divulgação histórica, com a preservação étnica, cultural, etc, etc
tudo o que uns e outros buscam é a pura alienação, com vista a estabelecer a sua sociedade de dialéctica puramente materialista e voraz dividida em dois tentáculos: esquerda e direita!
só isto conta para eles, só esta "luta" conta, tudo o resto é como se não existisse e é para abater/alienar, pois é um grande estorvo nesta dialéctica.
por isso tanto medo e tanto ódio dos supostos "extremistas". penso que quem não tivesse medo, não se preocuparia tanto em taxar algo de "extremista".




eis aqui um exemplo de "conservadorismo" dos "moderados" em Portugal.

outro exemplo será o governo e a sua aceitação do acordo ortográfico...ou os casamentos gay, etc

posto isto, quem são, afinal, os verdadeiros conservadores???

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

a crise de 1383-85





























contabilidade:
                                          D. Beatriz (Castela)     Mestre Aviz (Lusitânia)
região a Norte do Douro                  20                              6
Entre-Douro-e-Tejo:                        17                            22
do Tejo ao Algarve:                         11                            32


a diferença é abissal, por exemplo entre o Minho, no extremo-norte com as localidades todas do lado de D.Beatriz e o Algarve, no extremo-sul só com apoiantes do Mestre de Aviz, tal como a Margem Sul ou o Baixo Alentejo.
retirando a localidade asturo-falante de Miranda, que nem pertencia ao núcleo original do Condado Portucalense, são 80% de localidades apoiantes de D.Beatriz na região Norte (20-5).
a zona raiana e alto-transmontana também contava com 100% das localidades do lado de D. Beatriz.
quanto mais a Sul, mais localidades apoiavam o Mestre, e quanto mais a Norte, mais localidades apoiavam Castela. no Centro existe um equilibrio transitório, passando igualmente por várias localidades da raia alentejana, apoiantes de D. Beatriz.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

salazarismo não é nacionalismo...




salazarismo é, sempre foi e será salazarismo, apenas e só salarazismo. poderá, eventualmente, tentar "colar-se" a essa história dos nacionalismos, das identidades ou até das "raças" e "etnias", mas não tem absolutamente nada a ver com essas coisas. até se opõe claramente a elas. tem mais a ver com a igreja católica ou com o judaismo do que com os nacionalismos e nacional-socialismos.
poderá eventualmente dizer que tem simbolos ou gestos parecidos, mas não passa disso mesmo.

já que se fala muito nas supostas ligações do "fascismo" (em particular o português
e ibérico) com o nacional-socialismo, nunca é demais lembrar a neutralidade da Ibéria no conflito da II Guerra. no caso português, não só manteve a neutralidade e a velha aliança com a Inglaterra, como cedeu a base das lajes nos Açores aos aliados (primeiro Inglaterra, depois EUA) e, ainda por cima, recebeu milhares de refugiados judeus em Portugal (tal como Franco o fez em Espanha) que fugiam do regime nazi.
também não é demais lembrar que Franco chegou ao poder em Espanha com exércitos de 60 mil marroquinos e, tal como o homólogo Salazar, também dizia que a Espanha era "multirracial".
até o próprio Mussolini viu, em 1922, milhares de judeus aderir ao seu movimento pela tomada do poder... para não falar das suas conquistas em Àfrica!

essas figuras lutaram apenas para conservar os seus regimes e os seus interesses pessoais imediatos, nunca por uma Europa nacionalista, nacional-socialista nem identitária. e não tiveram a minima hesitação em abrir as portas dos dois estados ibéricos sionistas para "proteger" os seus parentes judeus.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

o mito do NS esquerdista...



“O socialismo é a ciência que se ocupa do bem comum. Socialismo e comunismo não são a mesma coisa. O marxismo não é socialismo, são inimigos eternos. Os marxistas apropriaram-se do termo e mudaram o seu significado. Vou tirar o socialismo dos socialistas. (…) Os nossos antepassados compartilhavam terras e cultivavam a ideia do bem comum. O marxismo não tem o direito de disfarçar-se de socialismo. Ao contrário do marxismo, o socialismo não rejeita a propriedade privada. Ao contrário do marxismo, não implica renegar a própria personalidade. Ao contrário do marxismo, o socialismo é patriótico e nacionalista. Não somos internacionalistas, pois isso é Marxismo(Comunismo). Nós somos Socialistas, pois o Socialismo é Nacionalista" . (…) Exigimos que o Estado satisfaça as justas reclamações das classes produtoras com base na solidariedade racial. Para nós, Estado e raça são a mesma coisa.”
(Hitler, Resposta a George Sylvester Viereck, Liberty, 1932.)
 
O meu socialismo é outra coisa diferente do marxismo. O meu socialismo não é a luta de classes, mas a ordem (…) Eu vos peço que leveis convosco a convicção que o socialismo, tal qual nós o compreendemos, visa não à felicidade dos indivíduos, mas sim a grandeza e o futuro da nação inteira. É um socialismo heróico. É o laço de uma fraternidade de armas que não enriquece ninguém e põe tudo em comum”
(Adolf Hitler  – Coopération, Paris 1939, p. 201)

"Nenhum Homem saudável pode ser Marxista(Comunista). Os Homens sadios reconhecem o valor do indivíduo. Enfrentamos as forças do desastre e da degeneração."
(Adolf Hitler)

"O nacional-socialismo é socialista não na forma tradicional de socialismo, mas sim interpretando o socialismo como “exaltação do social”.”
(Adolf Hitler)
 
 

 Palavras do próprio Adolf Hitler para acabar de vez com alguns mitos, confusões e deturpações. Nacional-Socialismo não é comunismo ou semi-comunismo, nem uma mera variante "racista" do comunismo, nem extrema-direita com politicas económicas de esquerda ou marxistas.
 Nacional-Socialismo não é nada disso. Não é comunismo, nem fascismo. Não é "esquerda", nem "direita".  Socialismo também não é, nem nunca foi esquerda ou extrema-esquerda; pelo menos até uns "revolucionários" de 1917 lhe colocarem esse apodo, talvez esperando obter dividendos com essa estratégia politica de "colagem" e "camuflagem".  Socialismo NÃO É "comunismo económico".
não é por acaso que a própria palavra "Nacional" precede a palavra "Socialismo" podendo até essa ordem alterar substancialmente o próprio sentido da palavra "socialismo".
Nacional-Socialismo é o socialismo da nação, ou seja, o bem-estar da nação. Não implica quaisquer medidas económicas mais de "esquerda" ou de "direita". Não implica luta de classes, fim da propriedade privada, colectivização...nada disso. Como o próprio Adolf Hitler diz, o Socialismo é o bem-estar social ...da nação, claro, e não o bem-estar "internacional". 
 Mas o "bem-estar" não implica nenhuma das medidas marxistas.  Aliás, nem implica o Estado absoluto, nem a ausência total de Estado.  Está acima de qualquer "esquerda" ou de qualquer "direita". Está acima dessa falsa dicotomia, criada recentemente por alguns individuos sem escrupulos e com interesses, que somente pretendiam o lucro fácil e pessoal de curto prazo, fossem de "esquerda" ou de "direita".

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

o mito das fronteiras mais antigas...


estes dois mapas do séc.XIII mostram que, à época em que Portugal ainda não tinha conquistado o extremo-sul (Algarve e parte do Baixo Alentejo), já outros países/estados actuais da Europa tinham fronteiras mais ou menos definidas (grosso modo)
é o caso da Escócia (não é independente do RU, mas tem estado e jurisdição separados); da Dinamarca (grosso modo), da Inglaterra (grosso modo, excepto a pequena Cornualha e enclaves em Gales) da Noruega (grosso modo) e da própria Bulgária com fronteiras muito parecidas às actuais.

o facto de estes estados/reinos terem sofrido anexações posteriores de outros reinos em nada invalida o acima exposto, porque, nesse caso, também o Reino de Portugal sofreu anexação da Espanha entre 1580 e 1640, por exemplo. e que não se limitou a ser uma mera anexação politica mas sim uma ocupação militar total (que em alguns casos se prolongou até 1668).

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Portugal=Galécia+Lusitânia












































FONTE: A. H. Oliveira Marques - Nova Historia de Portugal

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

a implosão do World Trade Center


mais uma vez um video antigo que vem parar ao arquivo antigo de 2010.
data da publicação: 4/6/2016

sexta-feira, 16 de julho de 2010

quinta-feira, 15 de julho de 2010

os Algarvios

Os Algarvios

Embora a população do Algarve resulte da miscigenação dos vários povos que colonizaram a região, a influência mais marcante é a mourisca, razão pela qual os algarvios são mais morenos que os naturais do Norte de Portugal. O estilo de vida também é de mais acentuada influência mediterrânica no Algarve. Os muçulmanos deixaram igualmente traços na arquitectura, sendo as habitações tradicionais algarvias caiadas, dotadas de terraços de cobertura (as açoteias) e chaminés características. As noras (engenhos de tirar água) e os produtos agrícolas (citrinos e amêndoas), assim como muitas palavras da língua portuguesa, testemunham também a passagem dos muçulmanos não só na região como em todo o país. (...)

FONTE

quarta-feira, 14 de julho de 2010

ibéria arcaica

UE quer mais «mão-de-obra»...


 UE: Bruxelas quer nova lei para facilitar imigração sazonal

A Comissão Europeia apresentou hoje uma proposta de lei que visa facilitar a entrada de mão-de-obra não europeia para trabalhos sazonais, uma vez que «os cidadãos da UE estão cada vez menos disponíveis para este tipo de trabalho».

De acordo com Bruxelas, a proposta de directiva (lei comunitária) tem como objectivo dar resposta à necessidade estrutural que a Europa enfrenta de trabalho sazonal, «já que se prevê que a disponibilidade de mão de obra da UE neste sector seja cada vez menor», através de uma política de imigração legal bem organizada, com condições comuns e simplificadas de entrada e de residência para os trabalhadores sazonais de países terceiros.

«Os empregadores da UE dependem cada vez mais de mão de obra não europeia para trabalhar em sectores como a agricultura, a horticultura e o turismo (...). Contudo, devemos proporcionar a estes trabalhadores sazonais, frequentemente vulneráveis e expostos, melhores condições de trabalho e um estatuto jurídico seguro que os proteja da exploração», explicou hoje a comissária europeia dos Assuntos Internos, Cecilia Malmström.

FONTE

«é preciso continuar a trazer imigrantes»


«É preciso continuar a trazer imigrantes»

Presidente da «Migration Policy Institute» afirma que «por pior que seja a situação económica na maioria da Europa, vão continuar a ser precisos imigrantes»

Apesar da crise económica e da elevada taxa de desemprego, os europeus precisam de manter as fronteiras abertas à entrada de imigrantes, defendeu o presidente da «Migration Policy Institute», Demetrios Papademetriou.

«Por pior que seja a situação económica na maioria da Europa, os países vão continuar a precisar de quantidades significantes de imigrantes a curto, médio e longo prazo por causa da sua demografia», disse o especialista, lembrando o actual problema de envelhecimento na Europa.

A imigração é uma parte da resposta para o problema do envelhecimento da população: «É preciso continuar a trazer imigrantes para os países», defendeu.

«Podemos ter um aumento de desemprego e continuar a ter necessidade de imigrantes», disse o especialista em imigração.

«As universidades criam investigadores, sociólogos, professores, mas poucos canalizadores», simplificou Demetrois, acrescentando ainda que em todos os países existem regiões para onde ninguém quer ir e, também por isso, são necessários os imigrantes.

«Eu falei com ministros e eles sabem que estão perante um dilema: a opinião popular quer que eles reduzam a imigração, mas eles sabem que dentro de cinco ou dez anos vão precisar de mais imigrantes e que, se fecharem agora as fronteiras, será depois mais difícil de conseguir persuadir as pessoas, automaticamente, de que precisam deles», justificou.

No entanto, o aumento do desemprego, com especial incidência entre os imigrantes, torna-se um «período mais difícil para explicar ao público que vamos precisar deles».

E lembra que a imigração é um «acordo social implícito» entre a sociedade e o imigrante, «as pessoas não são descartáveis, não se pode simplesmente dizer: desculpe, mas já não precisamos de si».

«Cabe aos políticos a responsabilidade de explicar às pessoas estes paradoxos e tornar público que são precisos x trabalhadores para as obras, por exemplo. Se as pessoas não estão dispostas a ir, então têm de ser claros e dizer que se ninguém quer trabalhar nestas áreas os imigrantes vão aceitar esses empregos», defendeu o especialista que está em Lisboa, reconhecendo que a «opinião popular» dificulta a forma de lidar com as politicas de imigração. 

(...)

FONTE


esta gente sabe que a situação económica é má, que se tem vindo a agravar...e, lá no fundo, até sabem a causa disso (ou uma das principais pelo menos).  mas, no entanto, continuam sempre a defender aquilo que sabem que agrava, piora a crise...
 
o velho argumento do envelhecimento da população, para trazer imigrantes. que falta de originalidade. qual é o problema se a Europa perder população?  vivemos séculos com muito menos população do que hoje, até perdemos imensa gente devido a pestes, epidemias, etc, e nunca precisámos de imigrantes para nada. sempre estivemos bem.

outro argumento, é o de falta de trabalhadores para as obras, logo, vamos trazer imigrantes. e depois ainda se diz preocupado com os "sentimentos" dos imigrantes, quando o argumento dado para trazê-los é o de que eles são mão-de-obra necessária hahaha

não é verdade que "ninguém quer trabalhar nas obras". toda a gente séria vê que existem nativos dos seus países a trabalhar nas obras.  se não existem mais ainda...reflictam porquê. pensem e vejam o ciclo vicioso.  se não existem mais, é porque preferem ir ganhar muito mais noutros países para fazer o mesmo.  por isso, muitos vão para fora, ao mesmo tempo que muitos imigrantes chegam aqui e sujeitam-se a qualquer coisa, pelo mesmo motivo.
é um ciclo vicioso e sinal de que estas politicas estão erradas, não levam a lado nenhum e de que, afinal, a imigração só serve para proteger esses mesmos interesses: para evitar que certos salários subam. não só não sobem, como ainda baixam.  muita gente agradece. 
 
a quem serve, afinal, a imigração ???? 
não se usarão demasiados falsos pretextos para a imigração???

segunda-feira, 12 de julho de 2010

o nacionalismo de Marcelo R. Sousa...









"portugueses são todos! os que têm origem romana, àrabe, judaica, os que vieram dos povos germânicos, celtas, etc" - prof. Martelo


carniceiro com B.I. holandês poupado...

















a imagem do carniceiro não-branco da Holanda que o àrbitro da partida e os comentadores tugas quiseram ver poupado.

parabéns ao novo campeão Mundial, uma selecção quase 100% branca, para desgosto dos multiculturalistas fanáticos.
já tiveram que levar com a vitória da Grécia 100% caucasiana no Europeu de 2004. depois a Itália 100% caucasiana campeã Mundial em 2006 e agora a Espanha de 2010, quase 100% caucasiana, descontando eventualmente o avançado "Pedrito".
e sem esquecer que mesmo a Espanha de 2008 campeã Europeia só tinha um negro nas suas fileiras (o brasileiro naturalizado Senna) e o resto era branco...embora por lá houvesse o ciganito Guiza.

de qualquer forma, de 2004-2006-2010, os multiculturalistas já não se livram, mesmo que queiram transformar o 3º lugar da "multikulti" Alemanha num "sucesso".

o fenómeno "França" já lá vai e foi chão que deu uvas. e o Brasil, nos últimos dois mundiais, foi a desgraça que se viu.
veremos o que se irá passar no próximo torneio, que será recebido pelos brasileiros.

até lá...parabéns à Espanha

quinta-feira, 8 de julho de 2010

judeu fiel ao semitismo


















"Nós Ibéricos, somos o cruzamento de duas civilizações - a romana e a árabe.
Somos, por isso, mais complexos e fecundos...
Vinguemos a derrota que os do Norte infligiram aos Árabes nossos maiores.
Expiemos o crime que cometemos, ao expulsar da Península os árabes que a civilizaram".

Fernando Pessoa "Da Ibéria e do Iberismo".




este Pessoa é do séc. XX e não do XII ou XIII, mas parece algo frustrado com o facto de a peninsula ter sido libertada do jugo àrabe, acto de libertação que o mesmo até chega a considerar como "crime".
e parece preferir ser governado pelos seus primos àrabes.

esta personagem, como todos sabem, era neto de um cristão-novo judeu, e sabe-se lá mais de onde poderia vir o resto do seu sangue, se de mouros ou àrabes...

quem sai aos seus, não degenera. fidelidade ao tronco semita-hamita, acima de tudo...
agora devia é pensar melhor, antes de incluir toda a ibéria nos seus devaneios sobre misturada romano-àrabe.

gracias hermanos

obrigado à Espanha por derrotar a selecção alemã mais "multikulti" de sempre, na qual nenhum verdadeiro alemão ou europeu, se revê a 100%.
estou feliz pela frustração dos multi-culturalistas e anti-racistas alemães que já sonhavam com uma vitória no Mundial, como mais uma bandeira do anti-racismo (como foi a França em 1998) mas desta vez falhou.

porém, nem tudo são rosas. e as vitórias da Espanha (campeã europeia em titulo) são sempre péssimas para as autonomias espanholas.  já se sabe que as massas pura e simplesmente não pensam. vão atrás do rebanho. e o futebol hoje em dia tem um peso merdiático e uma influência incriveis, levando muitos potenciais independentistas a ficar do lado da Espanha (eufemismo para o império castelhano) e a defender a sua "unidade".

por outro lado, mesmo a própria equipa da Espanha tem os seus espinhos, com alguns elementos não-europeus infiltrados. mas é, sem dúvida, mais branca que a Alemanha.

agora, na final, existe pelo menos uma certeza: vencerá sempre uma equipa majoritariamente branca, esmagadoramente branca no Mundial africano, para pesadelo de todos os multiculturalistas fanáticos.

a Holanda é também esmagadoramente branca, apesar de 2 ou 3 mulatos que estragam a pintura, tal como a Espanha apesar de 2 ou 3 exemplares de categoria racial no minimo "duvidosa".

no entanto: qualquer uma que ganhe, considerarei sempre como bem entregue.
em condições normais preferiria a Holanda, mas a Holanda tem mais não-caucasianos do que a Espanha, por isso já não sei. 
que ganhe a que jogar melhor...e que os não-brancos da Holanda fiquem no banco. é o meu desejo!

totalitarismo Europeu sem limites

Autarca condenado por ter feito a saudação nazi em 2006

Olivier Delcourt, conselheiro municipal de extrema-direita, foi condenado ontem a uma multa de 400 euros e foi ainda privado dos direitos civis e políticos durante cinco anos. Tudo por ter feito a saudação fascista quando, em Dezembro de 2006, tomou posse do cargo.

Eleito pela Frente Nacional belga (FN, extrema-direita) em Charleroi, sul do país, Delcourt, de 42 anos, fez questão de prestar juramento com a mão direita estendida e calçada com uma luva preta. Uma queixa "por incitação ao ódio racial" foi apresentada de imediato contra o autarca que a FN acabou por excluir das suas fileiras.

O tribunal de Mons considerou que o gesto do autarca não deixou margem para dúvidas e que, noutra ocasião, Delcourt tinha lançado a um interlocutor: "Cavalheiro, o seu lugar é nos campos." O autarca tem de abandonar o cargo, embora possa, no prazo de 15 dias, recorrer da sentença.

FONTE

quarta-feira, 7 de julho de 2010

toponimia orientalizante na Ibéria




















 com -ci, -urgi, -ipo, -oba

66% de recém-nascidos na Catalunha são estrangeiros

Los bebés con un progenitor extranjero han crecido un 63% en doce años

Dos de cada tres recién nacidos en Cataluña son de padres inmigrantes

Un estudio de Caprabo indica que las catalanas tienen más hijos que el resto de las mujeres españolas.

Si entre la década de los 60 y los 70 Cataluña vivió el «baby boom» de la inmigración del sur español, el nuevo milenio abre fronteras y trae consigo un nuevo repunte gracias a los movimientos migratorios. Así, dos de cada tres bebés que nacieron el año pasado en esta comunidad tenían, como mínimo, un progenitor extranjero. Éstos son los datos aportados por el estudio que ha realizado Caprabo con motivo del 18 aniversario del programa de ayuda a las famílias «Benvingut nadó», un sistema por el que han sido beneficiados un millón de recién nacidos desde 1992, es decir, dos de cada tres nacimientos en Cataluña.

Las conclusiones del estudio, que se ha elaborado a partir de datos del Instituto Nacional de Estadística, el Idescat, y de los datos internos del programa de la empresa, indican que el número de nacidos con padres extranjeros ha aumentado en los últimos 12 años un 63 por ciento, pasando del 6,8 por ciento en 1996 al 32,3 por ciento. Dentro de este grupo de recién nacidos, el 33 por ciento son de madres marroquíes, un porcentaje similar de latinoamericanas, un 15 por ciento de europeas y cerca de un 10 por ciento de asiáticas.

El estudio, que fue presentado por la consellera de Acció Social, Carme Capdevila, el director general de Caprabo, Javier Amezaga y el investigador de la UAB, Marc Ajenjo, concluye que las catalanas se aventuran , por poco, a tener más hijos que el resto de las españolas –con una media de 1,53 hijos frente al 1,40 – y se acerca a la media comunitaria, que se establece en 1,55 hijos.

El estudio indica un bajón de la natalidad en los últimos años, exceptualizando el 2008, debido en parte al bajón migratorio y a que las extranjeras, al establecerse en Cataluña, adoptan los roles de las europeas y estabilizan sus nacimientos.

Por fechas, los nacimientos tienden a decrecer en fin de semana y el mayor número de partos se da los miércoles. Septiembre y octubre se convierten en los meses con más nacimientos y certifican que la Navidad es la época «más fértil».

FONTE

terça-feira, 6 de julho de 2010

genocidio disparou em 2 anos...

Imigração: Aquisição da nacionalidade portuguesa dispara de 4447 para 22 408 em dois anos - Eurostat

Lisboa, 06 jul (Lusa) - A aquisição da nacionalidade portuguesa mais do que quintuplicou entre 2006, ano em que entrou em vigor a nova Lei da Nacionalidade, e 2008, revelam dados hoje divulgados pelo Eurostat.

Segundo o gabinete de estatísticas da União Europeia (Eurostat), 4447 estrangeiros adquiriram a nacionalidade portuguesa em 2006, número que dispara para 22 408 em 2008, não sendo apresentados dados relativos a 2007.

A nova Lei da Nacionalidade em Portugal, que entrou em vigor em Dezembro de 2006, veio facilitar o processo de aquisição de cidadania portuguesa por parte de estrangeiros residentes no país e descendentes de emigrantes portugueses.

FONTE

 
sem comentários...

Garcia de Resende sobre o império...
















“Vimos muito espalhar /portugueses no viver, /Brasil, ilhas povoar, /e às Índias ir morar,/ natureza lhes esquecer./Vimos no reino meter/tantos cativos crescer,/e irem-se os naturais,/que se assim for,/ serão mais/eles que nós, a meu ver”.

Garcia de Resende 1534

segunda-feira, 5 de julho de 2010

cartaz anti-imigração da zona italiana da Suiça






















"os indios não conseguiram parar a imigração; hoje vivem em reservas."

mais palavras para quê?

«jovens» aos tiros em Cascais

Facadas e tiros no areal da Linha de Cascais

Dois grupos de jovens envolveram-se ontem em confrontos nas praias do Estoril e provocaram o pânico no areal e nas esplanadas. Ao JN, o presidente da Câmara Municipal de Cascais, António Capucho, criticou a falta de reforço no policiamento da costa de Cascais.

Tudo terá acontecido entre dois grupos aparentemente rivais que se cruzaram, ontem, na praia do Tamariz, no Estoril. Por razões que se desconhecem, de manhã e à tarde houve agressões mútuas, facadas e tiros. O pânico instalou-se de imediato: os clientes de uma esplanada protegeram-se debaixo de mesas e dezenas de pessoas abandonaram a praia. Quando a polícia apareceu já era tarde. “Quando lá chegámos não conseguimos interceptar os indivíduos”, disse, ao JN, uma fonte da Polícia Marítima.

“Este incidente veio revelar que não houve um sério cuidado por parte das entidades competentes, como o Ministério da Administração Interna, para reforçar a segurança nas praias e no passeio marítimo durante a época balnear”, disse, ao JN, António Capucho.

O autarca lembrou que “nos últimos 15 dias houve vários incidentes gravíssimos nos comboios da linha de Cascais” e que “tudo apontava para que num dia como o de hoje [ontem] os mesmos gangs viessem para Cascais como é seu hábito – e vieram”.

Capucho recusou dizer a quantidade de polícias que gostaria de ver a patrulhar as praias do seu concelho, justificando que isso é matéria da competência do Ministério e da PSP, mas mostrou-se bastante crítico com o número de apenas quatro moto-patrulhas a zelar pelas praias todas. “Como deve calcular não servem para este tipo de incidentes”, comentou.

A autarquia de Cascais emitiu um comunicado onde exige que “o senhor ministro da Administração Interna venha imediatamente a Cascais reunir com a direcção nacional da PSP, as forças policiais locais (incluindo a Polícia Marítima) e a Câmara, a fim de analisar a situação e tomar as medidas de emergência que se impõem”.

O episódio de ontem “revela a negligência do Governo em matéria de segurança”, lê-se no mesmo documento.

Ontem, o CDS-PP exigiu que o ministro Rui Pereira dê explicações ao país relativamente a estes incidentes. "O senhor ministro da Administração Interna deve uma explicação ao CDS, que perguntou atempadamente, mas sobretudo ao país", disse o deputado Nuno Magalhães, para quem estes episódios são sinais claros que a criminalidade em Portugal está mais violenta, mais grupal, mais organizada e com consequências mais preocupantes?.


FONTE

quinta-feira, 1 de julho de 2010

terça-feira, 29 de junho de 2010

deputado da CDU alemã põe dedo na ferida

nota, em primeiro lugar não confundir com a escumalha CDU de cá. a CDU alemã é um partido de centro-direita "conservador" liderado por Angela Merkel, isto muito embora esse partido não seja muito diferente do CDS de cá, ou seja politiquice correcta e não são contra a imigração como o NPD pelos motivos certos.
mas desta vez, um seu deputado resolveu mandar a politiquice correcta às urtigas e dizer as verdades como elas são:
  
Deputado contra imigrantes burros

Um deputado regional do partido da chancelar alemã Angela Merkel causou ontem enorme polémica ao defender a realização de testes de inteligência a todos os candidatos à imigração na Alemanha. Peter Trapp diz que é uma maneira de garantir a qualificação da mão-de-obra que entra no país.

"Temos de determinar critérios verdadeiramente úteis para a admissão de imigrantes no nosso país, além de uma boa formação profissional e da competência. A inteligência deve ser um desses critérios, e por isso sou a favor da realização de testes de inteligência aos imigrantes", afirmou Trapp, deputado regional da CDU por Berlim e porta-voz local do partido para a administração interna, em entrevista ao diário ‘Bild’. O político disse ainda que "esta questão deve deixar de ser um tabu", lembrando que a Alemanha exporta mão-de-obra altamente qualificada e recebe maioritariamente trabalhadores pouco qualificados, o que provoca um desequilíbrio no mercado laboral.
A proposta de Trapp foi imediatamente condenada pela maioria dos partidos. As críticas mais duras vieram do porta-voz do governo, Christoph Steegmans, que afirmou que a ideia, além de "esquisita", "não demonstra particular inteligência". "Considerar que os imigrantes, enquanto grupo, são estúpidos é uma atitude absolutamente discriminatória", afirmou.
Apesar da polémica, o líder da CSU (partido aliado da CDU) no Parlamento Europeu, Markus Ferber, saiu em defesa da proposta de Trapp. "O Canadá é um país avançado e realiza este tipo de testes, além de obrigar os filhos dos imigrantes a fazer testes de QI mais exigentes do que os das crianças canadianas", lembrou.

"IMIGRANTES TORNAM ALEMANHA MAIS ESTÚPIDA" 

Esta não foi a primeira vez que um alto responsável alemão colocou em causa a inteligência dos imigrantes. No passado dia 12, Thilo Sarrazin, executivo do Bundesbank, causou polémica ao afirmar que a "pouca inteligência dos imigrantes está a tornar a Alemanha mais estúpida". Segundo Sarrazin, como os imigrantes têm mais filhos que os alemães, a população alemã está gradualmente a ficar menos inteligente. Sarrazin disse ainda que "70% dos turcos e 90% dos árabes de Berlim servem para pouco mais que vender frutas e vegetais".

PORMENORES 

ELEIÇÕES EM 2011
Para alguns analistas, o timing das declarações de Trapp não é inocente: há eleições regionais em Berlim no próximo ano, e a imigração será um dos temas quentes.

DESEQUILÍBRIO LABORAL
Em 2009, 734 mil alemães, na sua maioria altamente qualificados, emigraram para outros países. Em troca, o país recebeu 721 mil imigrantes, incluindo refugiados e exilados políticos, quase todos pouco qualificados."

FONTE



1- repare-se na quantidade absurda de imigrantes que a Alemanha recebeu nos últimos tempos. além dos alemães que acabaram por sair do seu país. é uma subtituição autêntica. é calamitoso.

2- este Peter Trapp, além de chamar os bois pelos nomes, e dizer a verdade sobre o QI da maioria dos imigrantes, também apresenta uma excelente proposta, pois é evidente que se os testes de QI fossem rigorosos,  isso afastaria praticamente todos os imigrantes da Turquia e Médio-Oriente, já para não falar noutras latitudes mais exóticas,  pois não existem milagres no mundo empirico feito pela natureza.

3- claro que a esmagadora maioria dos outros partidos do politicamente correcto, não gostou e guinchou que é "discriminação", "nazismo", "racismo", etc.

4- o que é facto é que este Peter Trapp não só mostrou inteligência, ao contrário do que pretendem os "outros", como atingiu brutalmente mais um dogma sagrado da politiquice correcta: neste caso, de que não existem diferenças de comportamento e de inteligência entre as raças e é tudo uma questão "individual".

5- "outros" adoptam este dogma sagrado, mas abrem apenas uma excepção para os negros. dizem que só existem diferenças entre brancos e negros.  mas o facto é que Turcos, Árabes e mesmo outros imigrantes (Sul da Europa, etc) são pelo menos caucasianos, e não estão à altura da Alemanha.  como se já não bastasse serem prejudiciais para a sua identidade racial, também contribuem para atrasá-la, estupidificá-la, bestializá-la.

parabéns a Peter Trapp pela coragem e frontalidade, por muito que doa aos multiculturalistas fanáticos.

confusão no Monte da Caparica

19 detidos e cinco GNR feridos em confrontos no Monte da Caparica

Confrontos entre moradores do Bairro do Asilo, no Monte da Caparica, em Almada, e a GNR duraram cerca de três horas.

Os incidentes ocorreram depois de a GNR ter recebido, pelas 23 horas de ontem, segunda-feira, queixas de moradores contra o barulho excessivo na rua por causa de uma festa.

Ao chegar ao local, uma patrulha foi acolhida com insultos e arremessos de pedras, o que a levou a pedir reforços.

Os ânimos só acalmaram cerca das 2 horas, tendo sido detidas 19 pessoas para identificação, das quais apenas três continuam sob custódia das autoridades, acrescentou uma fonte da GNR contactada pela Lusa.

Cinco dos cerca de 50 militares da GNR que estiveram no bairro ficaram feridos, mas não inspiram cuidados, acrescentou o oficial de serviço ao Comando Geral da GNR.

Ainda segundo a mesma fonte, cinco viaturas da Guarda ficaram danificadas e a GNR disparou durante os confrontos balas de borracha para dispersar os manifestantes.

O dispositivo da GNR que ficou no local de prevenção foi entretanto levantado, ficando a manutenção da ordem a cargo de uma patrulha que percorre o bairro.

FONTE


veja-se a lata desta "gente",  fazem algazarras de noite como se estivessem em sua casa, lá na pocilga africana de onde vieram, e recebem uma patrulha com insultos e pedradas...mas depois queixam-se, fazem-se de coitadinhos e ainda dizem que foram alvejados (com balas de borracha) sem terem feito nada.  que criaturas tão "santas" e "inocentes". apedrejaram uma patrulha, destruiram 5 carros da GNR...mas não fizeram nada.
o problema sei eu qual é: chama-se sentimento de impunidade e de à-vontade, de estrangeiros a pensarem que estão em casa (leia-se pocilga)

segunda-feira, 28 de junho de 2010

expansão dos nórdicos pré-teutónicos





























FONTE : The Passing Of The Great Race - Madison Grant

domingo, 27 de junho de 2010

afinal imigração continua a crescer

Imigração continua a crescer em Portugal 

Portugal continua a ser um destino de imigração com novas nacionalidades. A crise não levou os imigrantes a regressarem aos seus países de origem. Os números mostram que não só não houve uma diminuição, como se registou um aumento das entradas em Portugal. Tendência que se manteve no primeiro semestre deste ano, como confirmou à Antena 1, o director nacional do SEF, Manuel Jarmela Palos.

País - Imigração continua a crescer em Portugal - RTP Noticias, Áudio

FONTE

Le Pen contra a «Francáfrica»...

Para Le Pen, 'há uma vontade política na origem da equipa francesa'

PARIS — O líder da Frente Nacional (FN), Jean-Marie Le Pen, considerou que há uma "vontade política" em fazer da selecção da França "uma bandeira do anti-racismo", impondo assim uma "imagem" que não é a real do país. Questionado pela rede I-Télé sobre os maus resultados e da crise dos 'Bleus', o político ultradireitista considerou que os resultados foram "merecidos", e que se trata de um "assunto completamente político". "Detestei a politicagem que fez da equipa da França uma bandeira do anti-racismo em vez do desporto", declarou pouco antes o presidente da FN. "Esta decisão de fazer da equipa da França uma bandeira do anti-racismo proibia qualquer crítica", acrescentou, porque "o mito do anti-racismo é algo sagrado na França". "O facto de haver dois brancos na equipa da França deixa claro que há uma vontade política de impor uma imagem da França que não é esta, pelo menos por enquanto", acrescentou.


só discordo do bretão quando diz que a imagem da França não é aquela, pois quem anda em Paris (e não só) vê outra coisa diferente...

quinta-feira, 24 de junho de 2010

judeu Sampaio: «democracia não está em forma»

Democracia na Europa «não está em forma»
O Alto Representante da ONU para a Aliança das Civilizações apelou esta quarta-feira, em Estrasburgo, aos Estados para estarem vigilantes e terem a ousadia de reformar os sistemas democráticos. Jorge Sampaio falava durante a sessão parlamentar do Conselho da Europa, a decorrer até sexta-feira em Estrasburgo, numa intervenção dedicada ao «Islão, Islamismo e Islamofobia na Europa». 

«Nos nossos dias, a democracia na Europa não está verdadeiramente em plena forma», referiu o ex-Presidente português, citado pela Lusa.

«Sabem todos, tão bem como eu, que na política nada é adquirido e sobretudo que a história dos povos não representa necessariamente um caminho contínuo para o progresso, pelo contrário, é sempre possível existirem recuos», reforçou.

Jorge Sampaio apelou por isso aos Estados para «permanecerem vigilantes» sobre as democracias, mostrarem visão e coragem e «ousarem reformar os seus sistemas democráticos, caso for necessário».
Para o Alto Representante, os desafios dessa boa governação são a globalização, o fluxo permanente de população e a diversidade cultural.

FONTE



nota: o titulo deveria ser "totalitarismo na Europa não está em forma".
já se nota e bem o desespero desta escumalha com a subida do nacionalismo por todo o continente.
e curiosamente este senhor que fala não é "um qualquer", nem ocupa um "cargo qualquer".  é só neto de uma judia de marrocos considerado judeu em israel.
porque será que lhe causa tanto pavor a aversão à corja islâmica? que interesse tem ele em que haja "fluxo permanente de população" e "diversidade cultural" dentro do espaço Europeu que considera como reflexos da "boa governação" ?

veja-se quando diz: «Sabem todos, tão bem como eu, que na política nada é adquirido»
ou seja, ao contrário do que diz, este senhor não está preocupado com liberdade nenhuma. está precupado é única e exclusivamente em que a sua agenda genocida contra os povos Europeus seja um "dado adquirido", num processo a que chama democracia.

o descaramento não tem mesmo limites.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

da higiene ao esgoto em 50 anos











































au revoir França, és uma selecção tão "Europeia" como o Senegal ou qualquer outra vizinha.
não deixas saudades nenhumas neste campeonato do Mundo e, em boa verdade, nem devias ter entrado na competição, pois roubaste a vaga à Républica da Irlanda de forma desonesta e vergonhosa.
a uma selecção branca que teria provavelmente feito melhor figura do que 1 ponto em 9 possiveis.

vai e não voltes. ou volta só depois de te regenerares. até lá és uma selecção tão alienigena como uma qualquer do continente africano, que de "gaulesa" tem rigorosamente nada.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

sub-raças do continente Europeu























AUTOR: Bertil Lundman

quarta-feira, 16 de junho de 2010

expansão indo-europeia

















interessante mapa, que curiosamente até mostra uma longa migração para a América do Norte, possivelmente pelo Estreito de Béring...
as outras são todas mais ou menos conhecidas, quer para a Europa Ocidental, quer para o Irão e (Norte da) Índia e também para a a actual China Ocidental, pelas estepes asiáticas, onde mais tarde foram assimilados por povos amarelos.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

territórios antropológicos da Europa











































AUTOR: Jan Czekanowski


nota: algumas regiões não apresentam apenas uma caracteristica antropológica, mas sim mistura entre mais de uma.
por exemplo, a Sicilia e o Sudoeste Ibérico (incluindo partes da Andaluzia) são mistura do elemento mediterrânico, com o "oriental". 
outro exemplo, a Lapónia (Norte da Escandinávia) mistura o elemento nórdico com o elemento lapónico (sami, de origem amarela)

quarta-feira, 9 de junho de 2010

piores do que antes...

População cresceu devido a imigração, mortes foram superiores a nascimentos em 2009 - INE

Lisboa, 09 jun (Lusa) - A população residente em Portugal registou um ligeiro crescimento em 2009 devido à contribuição do saldo migratório positivo, já que o número de mortes foi superior aos nascimentos, tal como tinha acontecido em 2007, revelam indicadores demográficos hoje divulgados.

Em 2007, o número de mortes registadas em Portugal tinha sido superior aos nascimentos, o que aconteceu pela primeira vez em 90 anos, uma situação que se inverteu em 2008.

No ano passado, as estimativas do Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam para um saldo negativo em 4945, mais acentuado do que a diferença de 1020 de dois anos antes.

FONTE 
 

conclusão a tirar: piorámos. 
temos mais população...e depois? 
houve mais mortes que nascimentos em 2009. e daí?
compensa alguma coisa tanta imigração só para ficarmos com mais população?
eu prefiro perder população. não estou interessado em quantidade, mas em qualidade.  Portugal e muitos outros países já sobreviveram com muito menos população do que hoje.  porque é que agora precisamos de mais e mais, e nunca podemos regredir ou perder população?
 
olhando para o aspecto económico, eu prefiro menos população, mas mais produtiva, que produza mais riqueza (coisa que a maioria dos imigrantes não faz) e que "gaste" menos. menos população também são menos bocas e menos subsidios. mais população, significa mais gente no desemprego, mais bocas para alimentar, mais gastos em subsidios....sobretudo porque esse "excesso" de gente, são imigrantes que muitas vezes nada fazem, e até "comem" da segurança social do país, etc, etc quando não são criminosos.
 
mas, sobretudo, eu prefiro poucos e bons (ou seja indigenas) do que muitos e maus (alienígenas)
 
resumindo: estamos piores que antes.  mas para "alguns" agora estamos melhores, porque gánhamos população. o objectivo deve ser a sobrelotação total do país, presumo...

terça-feira, 8 de junho de 2010

altura-cumpr. cranial na Europa























AUTOR: Bertil Lundman

segunda-feira, 7 de junho de 2010

«moral» cristã

sexta-feira, 4 de junho de 2010

já há dinheiro para isto?

"O ministro da Administração Interna admitiu hoje que Portugal poderá aumentar a quota anual que permite receber refugiados que necessitem de protecção internacional, actualmente com um limite de 30 pessoas."

FONTE


note-se que uma "pequena comparticipação" virá do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social fora os fundos do MAI...

nestas alturas, o que é feito da suposta "crise" tão badalada? não há dinheiro para nada, os impostos aumentam, os salários são uma miséria, tudo baixa...mas para "isto" já há dinheiro...

bem, afinal quando o ex-primeiro ministro Guterres vem dizer que "lamenta" a crise, se esta afectar a "obrigação moral" de receber refugiados, já nada me espanta.
depois de atrocidades destas, só me apetece é rir...para não ter que chorar.

enfim, é mais uma vergonha e um escândalo.