"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

quinta-feira, 28 de maio de 2015

a igreja e os judeus

"Pope Gregory I (540 - 604) issued the historic decree Sicut Judaeis. In Sicut Judaeis he affirmed that the jews "should have no infringement of their rights … We forbid to vilify the jews. We allow them to live as Romans and to have full authority over their possessions."

"O Papa Gregório I (540-604) publicou o édito histórico Sicut Judaeis ("Constituição para os Judeus"). No Sicut Judaeis, afirmou que os judeus "não devem ver os seus direitos violados ... Nós proibimos o vilipêndio dos judeus. Nós permitimos-lhes viver como Romanos e ter inteira autoridade sobre os seus pertences.»







Papa Gregório X (1210-1276):

"Inasmuch as the jews are not able to bear witness against the christians, we decree furthermore that the testimony of christians against jews shall not be valid unless there is among these christians some jew who is there for the purpose of offering testimony."

"Na medida em que os judeus não sejam capazes de testumunhar contra os cristãos, nós decretamos, além do mais, que o testemunho de cristãos contra judeus não será válido, a menos que haja entre esses cristãos, algum judeu que esteja ali com o propósito de dar depoimento."

FONTE

segunda-feira, 25 de maio de 2015

ruivismo na Europa



sexta-feira, 22 de maio de 2015

vikings na galécia


A primeira incursão dos vikings na Galiza aparece reflectida nos Anais Bertiniani, e remonta ao mês de Agosto do ano 844 quando un grupo de vikings dinamarqueses procedente de uma expedição de saque entrou pelo Garona, e empurrados por uma tempestade acabaram por chegar à Galiza, saqueando algumas aldeias costeiras até que foram rechaçados nos arredores do Farum Brecantium, isto é, a Torre de Hércules (a quem os vikings chamavam Fár). Naquela época reinava na Galiza Ramiro I.

Durante esta época surgiu a lenda do bispo Gonçalo da diócese da Bretonha: ao chegar à entrada do río Masma um grande número de embarcações vikings os habitantes acudirão a proteger o bispo, que consideravam santo. Gonçalo rezou pedindo a protecção do céu contra o ataque e então desencadeou-se uma grande tempestade que destruiu a maior parte da frota invasora.

"Um desembarque brutal na Galiza"
No ano 858, durante o reinado de Ordonho I, reapareceu nas costas da Galiza uma grande frota viking. Tratava-se de um contingente de cem barcos procedente de expedições de saque nas costas francesas que se dirigirão até à ría de Arousa. Após saquear a diócese de Iria Flavia chegaram até Santiago de Compostela, sitiando a cidade. Os habitantes de Compostela pagaram um tributo para evitar o saque, mas apesar disso, os vikings continuaram a tentar apoderar-se da cidade, até que o cerco foi levantado por um exército dirigido pelo conde Pedro, que os derrotou e destruiu 38 barcos; os sobreviventes dirigiram-se até ao sul da costa galega, saqueando as populações. Como consequência desta expedição, a sede episcopal de Iria Flavia foi trasladada para Santiago de Compostela.

No ano 951, os vikings reapareceram de novo e saquearam a costa galega; nos anos seguintes, as cidades reforçaram-se prevendo novos ataques. No ano 964, os vikings reapareceram de novo, e o próprio bispo Rosendo de Mondoñedo teve que enfrentá-los.

No ano 968, o segundo duque da Normandía, ante o perigo de invasão francesa do seu dominio, pediu ajuda aos seus parentes dinamarqueses e noruegueses que acudirão com uma grande frota viking. 

Uma vez derrotado o rei de França, os vikings permaneceram na Normandía, o que provocou grandes problemas, pelo que o duque os incentivou a partir à conquista da Galiza, essa terra tão rica da qual tanto falam os peregrinos.

Chegaram à Galiza uns duzentos barcos a mando de Gudrød (Guðrǫðr), irmão de Harald Gråfeldr, conhecido como Gunderedo nas crónicas galegas. Cem desses barcos detiveram-se na costa cantábrica da Galiza e atacaram a diócese da Bretonha, enquanto que outras cem internaram-se na ría de Arousa e desembarcaram no porto de Iuncariae (Xunqueira), para dirigir-se por terra até Santiago de Compostela. 

A chegada dos vikings coincidiu com o fim das disputas entre os bispos Rosendo e Sisnando II pelo controlo da diócese episcopal. O bispo Sisnando, que acabava de expulsar Rosendo da cidade, tentou detê-los nas proximidades de Iria Flavia, onde tinham chegado remontando o curso do río Ulla, mas não o conseguiu e morreu atravessado por uma flecha durante a batalha de Fornelos a 29 de março. Já sem resistência, os vikings dispersaram-se pela Galiza, chegando até Courel.

Em Lugo o bispo Hermenegildo conseguiu defender a cidade, mas não pôde impedir que os vikings arrasassem as terras de Bretonha, cuja antiga sede ficou destruída, sendo reconstruída posteriormente no actual Mondoñedo.

Os vikings permaneceram durante cerca de três anos em terras galegas, matando e saqueando, mas quando regressavam aos seus barcos carregados com os despojos e com os prisioneiros, foram interceptados por um exército a mando do conde Gonzalo Sánchez, que conseguiu vencê-los nos arredores da ría de Ferrol no ano 970, matando Gunderedo, su sækonungr e queimando a maioría dos seus barcos.

Após deixar a Galiza, os vikings continuaram a navegar até ao sul e saquearam a costa entre o río Douro e Santarém. (...)








diversidade NS


































nas Waffen-SS houve de tudo. africanos, asiáticos, àrabes, indianos, etc
associar NS a racismo básico ou sentimento anti-negro é para idiotas e controlados mentalmente. os negros, asiáticos, àrabes, indianos, turcos, etc todos eles podem ser Nacional-Socialistas, desde que nos países deles. só não os queremos a miscigenarem-se nos nossos países ou a praticarem crimes ou a reproduzirem-se à velocidade da Luz e parasitarem, mas nada temos contra eles enquanto pessoas só por serem de raça diferente. nada mesmo. assim como os Alemães nazis nunca tiveram nada contra portugueses, espanhóis, italianos, etc

quinta-feira, 21 de maio de 2015

coincidências...




































nem é uma questão de homogeneidade, porque 'homogénea' é Detroit e não deixa de ser o esgoto que é. trata-se mesmo de uma questão de etnicidade. arianismo é paz e segurança.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

invasão guerrilheira

"Guerrilheiros do Estado Islâmico estão a entrar na Europa como refugiados

Guerrilheiros do Estado Islâmico (ISIS) estão a entrar na Europa escondidos entre os milhares de refugiados que atravessam o Mediterrâneo. O alerta partiu de um responsável do governo da Líbia, segundo o qual os terroristas forçam os pescadores a transportar activistas nos seus barcos. 

Em entrevista à BBC, Abdul Basit Haroun explicou que os traficantes de seres humanos são forçados a ceder e o ISIS fica ainda com parte dos lucros do transporte de clandestinos. 

Recorde-se que só este ano cerca de 60 mil pessoas tentaram chegar à Europa em embarcações precárias. A maioria deles chega a Itália, onde espera resposta legal da UE em campos de refugiados. 

O esquema dos terroristas resulta porque, como frisou Haroun, "a polícia europeia não sabe quem é do ISIS e quem é um verdadeiro refugiado".

Já antes o Egipto e a Itália tinham alertado para o risco de terroristas estarem a viajar misturados com os imigrantes, mas alguns peritos consideram que nenhum dos países é isento, pois ambos desejam uma intervenção militar na Líbia. 

Seja como for, o certo é que o risco é real e se acentuou pelo caos que se vive desde a deposição e morte do ditador Muammar Khadaffi, caos esse que facilita as operações do ISIS na Líbia."

FONTE



lindo. mas os islamo-centro-fóbicos não precisam de ficar assustados. nem sequer há nenhuma garantia de que os mercenários e guerrilheiros do Isis sejam mesmo islâmicos. ninguém sabe ao certo, quantos são realmente islâmicos e quantos não são. nem ninguém pode garantir, a menos que seja louco. uma invasão guerrilheira é sempre má, seja ela islâmica ou não. e esse é o ponto.
não se trata de aligeirar o islão ou sequer de tentar dizer que o Isis nada tem de islâmico.






































terça-feira, 19 de maio de 2015

reposição demográfica na UE


óbvio que isto é consequência do feminismo, do paneleirismo e outros ismos.
depois, perante o facto consumado da fraca ou nula reposição populacional provocada deliberada e conscientemente pelo sistema, esse mesmo sistema usa isso como pretexto para justificar a entrada massiva de forasteiros, pois se a população está em declínio ou a 'envelhecer', é preciso trazer jovens de cores exóticas para preenchê-lo. e falta aqui os números dos últimos anos.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

os negros e a criminalidade





















































































Year 2003 – Rape/Sexual Assault

White on Black:0
Black on White: 20,309
Black on Black: 21,104

Year 2004 – Rape/Sexual Assault

White on Black: 0
Black on White: 11,610
Black on Black: 35,330

Year 2005 – Rape/Sexual Assault

White on Black : 0
Black on White: 37,460
Black on Black: 36, 620

Year 2006 – Rape/Sexual Assault

White on Black: 0
Black on White: 32, 443
Black on Black: 7,705

Year 2007 – Rape/Sexual Assault

White on Black: 0
Black on White: 14,092
Black on Black: 12,780

Year 2008 – Rape/Sexual Assault

White on Black: 0
Black on White: 19,292
Black on Black: 34,841

Total over six conservative years:

White on Black: 0
Black on White: 135,206
Black on Black: 148,380

Average over six consecutive years:

White on Black: 0
Black on White: 22,534
Black on Black: 24,730

FONTE

sábado, 16 de maio de 2015

terça-feira, 12 de maio de 2015

governo sueco quer legalizar propagação de HIV




























lindo. e falta ainda legalizar a pedofilia, necrofilia, bestialidade, coprofagia, etc

















segunda-feira, 11 de maio de 2015

UE quer quotas para imigrantes

Bruxelas quer ataques militares e quotas para repartir imigrantes. Portugal receberá mais

A Comissão Europeia vai propor a fixação de quotas em função do PIB, da população e do desemprego de cada país. Portugal passaria a receber mais ilegais.
O jornal espanhol El País avança hoje que o Executivo comunitário se prepara para apresentar, esta semana, uma proposta com vista a gerir a chegada de migrantes ilegais através do Mediterrâneo, a qual passará pela fixação de quotas para acolher os estrangeiros que peçam asilo em função do PIB, do desemprego, da população de cada país e também do número de pedidos de asilo registados em anos anteriores.
Actualmente, ainda de acordo com o jornal espanhol, 72% dos pedidos de asilo estão concentrados em quatro países, mas sobretudo na Alemanha e na Suécia. Com a nova norma, os imigrantes seriam repartidos por Portugal, Espanha ou Roménia, que estão entre os Estados-membros que menos imigrantes recebem.
De acordo com o documento a que o El País teve acesso, a Comissão Europeia decidiu agir por duas vias: uma imediata, que consiste na activação do sistema de emergência previsto sempre que se registe um fluxo repentino de migrantes, o que permitiria uma distribuição de requisitantes de asilo de "forma justa e equilibrada" entre os Estados -membros; e uma de caráter permanente, que distribuirá os imigrantes "de maneira obrigatória e automática" sempre que se verifique uma afluência massiva de migrantes.
O carácter vinculativo constitui, segundo o El País, a principal novidade na agenda europeia para a imigração clandestina através do Mediterrâneo, que deverá ser aprovada na quarta-feira.
Até agora, eram os Estados-membros que tomavam decisões em função de situações de emergência, mas perante o grande fluxo de imigrantes que se tem verificado nos últimos meses, Bruxelas quer uma divisão de responsabilidades directa e obrigatória entre todos.
O jornal The Guardian, por seu lado, escreve que Bruxelas vai amanhã pedir à ONU autorização para atacar militarmente nos mares da Líbia, de forma a travar a saída de migrantes dos seus países de origem.

FONTE

(corrigido de abortês para português)


e entretanto...











Passos defende "política de imigração mais aberta" para Europa

Primeiro-ministro diz que "entrada de imigrantes tem sido elemento de dinamismo e de promoção do crescimento". Esta política "só faz sentido a nível europeu", "em cooperação com países de origem". (...)

FONTE


só maravilhas, portanto...

sábado, 9 de maio de 2015

70 anos de martírio

“O 8 de maio de 1945 foi um dia de desgraça, de martírio, de luto. Na Alemanha, o povo alemão lutou pela sua existência durante seis anos, na mais gigantesca guerra de todos os tempos. A bravura e o espírito de sacrifício dos soldados, a inquebrantável força de carácter das suas mulheres e homens durante a pulverização pelas bombas aliadas do terror aéreo, as lágrimas das mães, os órfãos; quem envergonha estas lembranças, paralisa a nossa vontade de afirmação própria. É nisso que deveríamos pensar no 8 de maio. Os vencedores de 1945 explicam que, para salvar a humanidade, eles empreenderam e ganharam uma cruzada contra a Alemanha. Levada a cabo também por meio da guerra aérea, a qual tratou como inimigo crianças, mulheres, refugiados e idosos, da mesma forma que os soldados regulares. O dia da capitulação militar do exército alemão trouxe a paz para os aliados. Mas para milhões de alemães, este dia trouxe o inferno na Terra. Os vencedores de 1945 não tiveram qualquer motivo para perguntar com qual crime eles abriram o lacre para o triunfo da sua cruzada em prol dos ameaçados valores humanos?” [Hellmut Diwald, historiador]

Após a derrota, foram arrancadas as crianças de milhões de mulheres alemãs e transportadas para a Sibéria em Campos da Morte. A República Federal da Alemanha não presta um minuto sequer de homenagem a esses destinos, nenhum discurso político durante as festas da “libertação” menciona estas antigas acções de extermínio. As vítimas alemãs são sempre assassinadas novamente pelos políticos alemães em qualquer ocasião, durante aquele conhecido dia de homenagem aos judeus através de repugnantes incriminações.




























































http://hyperborea-land.blogspot.pt/2011/07/libertacao-paz.html

Le Pen expulsa Le Pen

























no bom caminho, portanto...
se hoje a senhorita Le Pen tem o protagonismo e fama que tem, é graças ao pai, mas isto já se sabe que quando está em causa dinheiro, agendas, poder e fama, os filhos podem ser uns grandes bastardos e cagar para coisas como laços familiares ou gratidão.
nota para aqueles mais atrasadinhos: o pai Le Pen nunca negou 'holocausto' nenhum. pelo contrário, até o confirmou ao dizer que 'as câmaras de gás foram apenas um detalhe da guerra'. e eu pergunto: quais câmaras de gás?
dizer que o que o pai disse, 'agrada' aos Nacional-Socialistas, é efectivamente ser, ou símio, ou desonesto. ou até ambos ao mesmo tempo. isto aqui é a mesma coisa do que quando a filha ficou com imunidade parlamentar levantada por ter criticado o nazismo, e isso serviu de pretexto para banir todo e qualquer 'resquício' de nazismo. estão a entender a lógica?

sexta-feira, 8 de maio de 2015

sub-haplogrupo R1b-DF27






























distribuição do sub-haplogrupo R1b-DF27 que abunda na 'Gasconha' e Ibéria, atingindo o seu ponto máximo no País Basco.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

perigo amarelo

















FONTE: jornal Sol, 24 Abril 2015

sexta-feira, 1 de maio de 2015

depois de Ferguson, Baltimore...
























'Guerras raciais internas e uma decadência imparável far-lhes-ão perder o seu prestígio e poder mundial.' 
(Goebbels sobre os EUA, no penúltimo discurso)


porque, de facto, é isto que se pode esperar da grande democracia avançada e liberal, farol da civilização, fim de história e etc...Detroit, Ferguson, Baltimore, uns atrás dos outros.
eu acredito que a democracia é mesmo um fim de história. mas um fim da humanidade tal como a temos conhecido. é para esse caminho que a grande democracia avançada e farol da 'civilização' leva o Mundo.