"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

estrangeiros cresceram 70% em 10 anos


População estrangeira cresce 70%
A população estrangeira residente em Portugal cresceu cerca de 70 por cento, na última década, revelou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE), indicando que, em Março de 2011, viviam no país perto de 395 mil imigrantes.

ler mais aqui:

FONTE






como é óbvio, vivem muito, mas mesmo muito mais que 395 mil imigrantes em Portugal, só que a maioria já nem contam no papel como imigrantes e sim como "portugueses" de papel, sejam naturalizados ou já imigrantes de 2ª geração. mestiços, etc, etc
no entanto, para o critério jus sanguinis nunca serão portugueses.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

censura totalitária bloqueou fórum pró-branco


ROMA - A polícia italiana bloqueou o acesso a um site supremacista branco e prendeu quatro pessoas por alegadamente incitarem ao ódio racial e disseminarem anti-semitismo.

na Sexta-Feira, as autoridades bloquearam o Stormfront, um site supremacista branco sedeado nos Estados Unidos, e fecharam o fórum de língua italiana.

Eles também confiscaram navalhas,  bastões e tacos de basebol, assim como propaganda neo-Nazi e Fascista, incluindo panfletos e bandeiras com suásticas estampadas, em buscas de propriedades principalmente no nordeste da Itália. 

Os promotores em Roma lançaram a investigação depois do grupo ter publicado listas negras de líderes religiosos, políticos, jornalistas e juízes citando o seu apoio aos imigrantes. Eles também publicaram listas de proeminentes cidadãos judeus.

Os quatro foram detidos na cidade nortenha de Milão e em Frosinone e Pescara, na Itália central.

FONTE


pois. a censura totalitária funciona mesmo assim. quando não concorda com certas coisas, basta-lhe pôr tudo debaixo do rótulo de "supremacismo branco" ou "incitamento ao ódio racial", para estar de antemão justificada toda a censura e até buscas, detenções, prisões politicas, etc, como em qualquer estado totalitário e policial do "grande irmão".
hoje as vitimas são italianos, amanhã serão outros e outros, etc, etc
não que o Stormfront seja um site preferencial para mim, ou da minha eleição, mas nada disso justifica tamanha aberração e intrusão totalitária de um Estado, qualquer que ele seja.

anti-sionismo ou anti-ocidentalismo?

neste artigo do portal do PCP, fica bem claro as verdadeiras intenções por detrás do pretenso "anti-sionismo" e "anti-israelismo" (inexistente) da esquerda, que mais não é do que um pretexto para culpar, como sempre, os EUA, a Europa e o Ocidente em geral de todos os males, no fundo, fazendo até de israel uma pobre vítima manipuladinha pelos altos interesses do imperialismo capitalista, americano, europeu, etc, etc, no fundo recorrendo não só à típica explicação sócio-económica, mas também a uma típica inversão esquerdista: não é o sionismo que manipula tudo e todos, desde os EUA à UE, não senhor!  é o sionismo que é "manipulado" e "usado" como uma arma do capitalismo ocidental, porque no fundo o sionismo é apenas um "testa de ferro" secundário.

atente-se:
"A escalada de violência no Médio Oriente é o resultado da actuação das principais potências imperialistas, nomeadamente os EUA e países da União Europeia, como a França que, em aliança com a Arábia Saudita, o Qatar e outras monarquias ditatoriais do mundo árabe e usando o sionismo de israel como ponta de lança, visa assegurar por via da guerra e da submissão de países soberanos o domínio imperialista sobre os abundantes recursos naturais e energéticos da região."


no fundo, no fundo, até o próprio mundo árabe é mais culpado que o próprio sionismo de israel, se isto for levado a sério.  a questão, a meu ver, não é tanto das potências que possam estar envolvidas ou não, mas sim de motor, de liderança. e dizer que são os EUA, a Arábia Saudita ou a França quem lidera israel, e não o contrário, é como se diz em bom português, a chamada "areia para os olhos", a inversão desinformativa.

quanto à posição do secretário-geral deste partido sobre os judeus e sobre israel, ela está explícita aqui:

"Os comunistas, tal como o povo judeu, pagaram bem caro a barbárie nazi”,

"O secretário-geral do PCP assinalou ainda que as críticas feitas no artigo não eram dirigidas ao povo israelita: “Não confundam sionismo – com tudo aquilo que pratica – com o povo de israel. Confundir sionismo com o povo de israel é um erro de fundo. Hoje, o governo sionista de israel tem um comportamento de terrorismo de Estado em relação à Palestina. Isso não invalida a nossa identificação e solidariedade, tanto com o povo palestiniano como com o povo de israel.


o PCP é portanto um bom lacaio serviçal, como boa filial de Tel Aviv que é, apressando-se a culpar tudo e todos pelos crimes terroristas da casa-mãe, até o próprio mundo àrabe, ao serviço de uma gigantesca tramóia imperialista-capitalista, e apressando-se a fazer festinhas na cabeça do povo de israel e dos judeus.
quanto à denúncia do governo mundial ou dos Protocolos do sião, foi feita apenas, mais uma vez, para culpar o capitalismo e o mundo Ocidental em geral, desse mesmo projecto e de todos os males, procurando convencer os incautos de que a esquerda internacionalista é "oposição" a esse projecto.

domingo, 18 de novembro de 2012

sueca de 87 anos espancada por muslos

















FONTE

selvagens do Médio Oriente que não só não respeitam animais, como nem sequer respeitam mulheres idosas.  isto é as "vantagens" do multiculturalismo e da convivência com a chamada "religião da paz"

judeus querem criar estado na Turíngia











FONTE

mas é claro. afinal a tradição de roubar terras à Alemanha e não só, já vem de longa data (Versailles e etc), tal como hoje em dia invadem e atacam terras actualmente palestinas, cuja propriedade legítima é, no mínimo dos mínimos, muito duvidosa e discutível.  era uma questão de tempo até começarem também a nascerem estados dentro dos estados Europeus.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

imagem de marca


















e a Europa nas mãos desta ex-stasi Rebbekah Kasner Jentsch (verdadeiro nome da judia Merkel).
é caso para dizer que está tudo entregue à bicharada.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

o factor raça na 2ª eleição de um queniano






















como se pode ver acima, o factor raça foi determinante e decisivo na segunda eleição para a presidência dos Estados Unidos de um queniano-esquerdista-maçónico-islamista.
os negros, os lat(r)inos e os asiáticos, ou seja, as chamadas "minorias" unem-se todos para votarem em peso no seu queniano de eleição. no caso dos negros, então, chega a ser unanimista.
já os brancos, pese embora a preferência pelo candidato branco, dispersam-se e dividem-se mais, possibilitando assim que uma farsa queniana continue no poder, apesar de (ainda) serem a maioria da população do seu país.
moral da história: a raça conta mesmo e pesa muito, as minorias são racistas, ao contrário do que deixa a entender a "propaganda oficial". a tendência do ser humano é para preferir os seus, o seu semelhante, o mais parecido consigo, e só uma intensa lavagem cerebral, como aquela a que são submetidos os brancos, é que consegue ainda "equilibrar a balança".

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

judeus querem deter Aurora Dourada

Grupos judeus internacionais movem as suas peças para deter o avanço da Aurora Dourada na Grécia

há uns meses, a Aurora Dourada obteve 6,9% dos votos nas eleições parlamentares e agora, a sua popularidade está a crescer rapidamente: um inquérito realizado em Outubro mostrou que se houvessem hoje novas eleições, o movimento grego obteria 14% dos votos, o que o tornaria na terceira força política do país.

Outro inquérito mostrou que 22% dos gregos têem uma opinião positiva da Aurora Dourada, contra os 12% de Maio. Este aumento repentino e significativo da Aurora Dourada causou mais uma enorme polémica  na Grécia, concretamente na comunidade judaica mundial, diz o Jewish Telegraphic Agency.

O diário apontou que não são apenas os mais de 5.000 judeus da Grécia que estão em alerta, mas também várias organizações hebraicas internacionais deram sinal de alarme e procuram deter o avanço da Aurora Dourada.

A agência judaica fala de uma campanha para educar os gregos sobre os perigos de permitir crescer um movimento como a Aurora Dourada. “Definitivamente, creio que una ferramenta muito básica para a promoção da igualdade social e a luta contra o aumento de extremistas como eles, é educar os estudantes”, disse Battinou Zanet, director do Museu Judaico da Grécia.

As organizações citadas querem que os gregos saibam que “80% dos judeus gregos foram assassinados durante a Segunda Guerra Mundial”. O primeiro passo foi o envio de 24 professores gregos para a Escola Internacional para Estudos do Holocausto em Jerusalém, em colaboração com a embaixada israelita em Atenas.

“Sem dúvida é uma arma muito forte contra a desinformação, a intolerância e os preconceitos”, disse Battinou. “Mas a vantagem maior é, e deve ser, ensinar os jovens a pensar por si próprios”, acrescentou.

“O terror e o desespero dos inimigos da Aurora Dourada não tem limites!”, declara, por seu lado, o agrupamento patriótico num comunicado. "Desta vez, a comunidade judaica da Grécia expressou a sua raiva  pelos nossos avanços e realizam inúteis esforços mediáticos para denegrir-nos".

Ainda que a Aurora Dourada não tenha empreendido acção alguma contra os judeus gregos, e sim contra os políticos corruptos, os imigrantes ilegais e os comunistas, a comunidade judaica vê o grupo de Nikos Nichaloliakos como um partido anti-semita. Ou seja, nega à Aurora Dourada a defesa das mesmas coisas que Israel oficializou contra a imigração no seu território.

Entre as razões esgrimidas pelos judeus encontra-se uma polémica entrevista feita ao líder da Aurora Dourada, Nikolaos Michaloliakos, onde questiona os dados oficiais do holocausto, assim como outras declarações suas em que disse que Israel é um “Estado terrorista sionista”. Também mencionam que os membros da AD efectuam a saudação romana. Sobre o facto dos comunistas gregos efectuarem a saudação estalinista, que simboliza a morte de quase 100 milhões de pessoas no século XX, nem meia palavra.

Outra razão defendida é a leitura recente no Parlamento heleno de uma passagem dos ‘Protocolos dos sábios do Sião’ por parte de Ilias Kasidiaris, porta-voz do partido.

“Há que reagir a tudo o que fazem contra os judeus”, declara David Saltiel, presidente da Junta Central das Comunidades Judaicas da Grécia.  “Protestamos, lutamos em todos os casos onde há manifestações de anti-semitismo e não nos deixaremos cair. Tomamos todas as medidas possíveis dentro do espírito da democracia”. E pelos vistos, deu frutos.

Em Outubro, o Parlamento votou a favor de eliminar a imunidade parlamentária de 4 deputados da Aurora Dourada, 3 por serem acusados de atacar imigrantes e um por violência física.

Além disso, o ministro da Ordem Pública Nikos Dendias anunciou a criação de uma unidade especial da polícia para fazer frente à violência racista, especificamente criada para vigilar o movimento nacionalista.

Não são apenas os judeus na Grécia que empreendem acções em resposta ao crescente apoio popular ao movimento nacionalista. Também a Conferência sobre Reclamações Materiais Judaicas contra a Alemanha começou a financiar o museu judaico grego e as suas exposições contra o anti-semitismo.

E desde que o movimento nacionalista entrou no parlamento, organizações como o Parlamento Judeu Europeu e a Liga Anti-Difamação exigiram a sua ilegalização às autoridades.

“O Povo grego verá a verdade”, diz a Aurora Dourada no mesmo comunicado. “A propaganda que difundem já não engana ninguém e o que fazem é silenciar a voz de centenas de milhar de gregos que querem que as coisas comecem a mudar”, acrescenta.

FONTE



propaganda e mais propaganda, lavagem cerebral e mais lavagem cerebral. é os miúdos que têem que ser "educados" (isto é, lavados cerebralmente e formatados), é a imposição do holoconto como religião oficial, é 80% dos judeus gregos mortos na II GM, é os membros da AD que não podem fazer a saudação romana apesar de estarem no seu país e os judeus não, é a ida de 24 professores gregos a israel aprender como se formatam míudos e como se ensina o holoconto com a colaboração da embaixada israelita em Atenas, é os membros da AD que não podem citar os Protocolos dos sábios do Sião, é as exigências de ilegalização da AD, enfim, o descaramento desta "gente" não tem qualquer limite.
o que tem mais graça nesta notícia toda é quando o tal Battinou Zanet, director do museu judaico grego, diz que se vai "ensinar os jovens a pensar por si próprios". não há mesmo limites para o descaramento totalitário desta gentalha.  haverá alguma diferença entre judeus israelitas e os outros?  pelos vistos, não...

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

a verdade sobre o «camarada» Putin

o agente da FSB, ex-KGB (e da globalização) disse que:
«é preciso reconhecer que o colapso da União Soviética foi a maior catástrofe geopolítica do século»

e perante notícias como esta ou esta e ainda esta (ler segundo ponto) e mais esta (“...essas tentativas são acompanhadas de afirmações completamente falsas sobre o direitos dos russos à autodeterminação, sobre a “pureza da raça russa”, bem como sobre a necessidade de destruir completamente o império que é suportado pelo povo russo”), depois não admira que os nacionalistas russos reajam desta maneira:

Rússia: Manifestações dos nacionalistas radicais contra Putin

"Moscovo foi este domingo palco de uma manifestação de nacionalistas radicais que exigiram o fim da era Putin no meio de um coro de protestos xenófobos.

Empunhando ícones da igreja ortodoxa, cerca de 6000 militantes da extrema-direita, segundo a polícia (20 mil, segundo os organizadores) marcharam pelas ruas de subúrbios operários da capital sob o mote “a Rússia para os Russos”, no dia em que se celebra a unidade do país e se comemoram os 400 anos da libertação de Moscovo do exército polaco.

Puderam ver-se no protesto dos ultranacionalistas xenófobos cartazes a perguntar se “Putin é melhor que Hitler?”


A polícia instalou um forte dispositivo de segurança e não há notícia de incidentes durante as manifestações da extrema-direita que também saiu à rua em São Petersburgo e noutras cidades da Rússia."













ora, a verdade é que o cripto-judeu Radoshkovich nunca foi nacionalista, mas sim agente da globalização e internacionalista imperialista assimilacionista, apostado na ressurreição da nojenta e aberrante URSS.

portanto, Putin é anti-russo, anti-eslavo e não defende os interesses legítimos dos verdadeiros russos.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

israel insiste na lavagem cerebral


Embaixador de Israel insiste na necessidade do ensino do Holocausto em Portugal

O embaixador de Israel em Lisboa, Ehud Gol, insistiu hoje na necessidade do ensino do Holocausto em Portugal, adiantando que o Museu do Holocausto em Jerusalém pode ajudar na formação de professores portugueses.

Num debate na conferência 'Portugal e o Holocausto – Aprender com o Passado, Ensinar para o Futuro', a decorrer em Lisboa, Ehud Gol considerou que «o ensino do Holocausto devia ser do interesse de Portugal» e referiu um acordo com Israel para formação de professores portugueses pelo Yad Vashem.

O diplomata assinalou que Portugal decretou luto oficial pela morte de Hitler e que existem «apenas dois portugueses» entre os premiados pelo Yad Vashem com o título de «Justos entre as nações» (não judeus que durante a II Guerra Mundial salvaram a vida de judeus perseguidos pelo regime nazi), para defender que o país necessita de conhecer melhor a sua história naquele período.

Ao lado dos embaixadores alemão e austríaco em Lisboa, Ehud Gold recordou o seu primeiro encontro em criança, nos primeiros anos do Estado de Israel, com sobreviventes do ‘Shoah’ e a emoção que sentiu com o julgamento em Israel em 1961 de Adolf Eichmann, grande responsável pela logística de extermínio durante o Holocausto.

Os três embaixadores participaram no debate sobre "Ensino do Holocausto: Experiência Local", moderado pelo embaixador dos Estados Unidos em Portugal, Allan Katz.

Helmut Elfenkamper, embaixador alemão em Portugal, declarou que o Holocausto «continua muito presente» na Alemanha, adiantando que «a memória não esmoreceu» sobre o que classificou de «crime único contra a humanidade» que constituiu uma marca na identidade alemã.

O diplomata considerou existir actualmente na sociedade alemã um «sólido consenso» de que o Holocausto «é definidor de como os alemães se vêem e vêem o mundo».

A tarefa hoje é continuar a ensinar as novas gerações, disse o embaixador, depois de referir que o Holocausto faz parte dos ‘curricula’ alemães desde o início dos anos 90 e que é abordado em várias disciplinas.

Bernhard Wrabetz, embaixador austríaco em Portugal, disse que o modo como a Áustria se foi relacionando com o seu passado foi um «processo longo e difícil».

Tal como na vizinha Alemanha, o ensino do Holocausto ao nível dos programas escolares e da formação de professores emergiu nos anos 1990 e, nos últimos anos, tem aumentado a investigação sobre aquele período da história da Áustria, adiantou.

A propósito, referiu que uma investigadora austríaca inicia no próximo ano um trabalho sobre os refugiados austríacos que terão fugido para Portugal durante o Holocausto.

A existência de cada vez menos sobreviventes do Holocausto para contar a sua experiência e ensinar a quarta geração pós-guerra foi apontada como um desafio actual pelo diplomata austríaco.

«Mudámos e estamos a mudar a nossa memória colectiva», declarou Bernhard Wrabetz, adiantando acreditar que os austríacos «registam progressos» no sentido de fazerem o que não fizeram «durante anos: honrar as vítimas do Holocausto».

Organizada pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Embaixada dos Estados Unidos da América, a conferência “Portugal e o Holocausto”, que reuniu investigadores de todo o mundo, iniciou-se na segunda-feira e termina hoje.


FONTE


porque é que o ensino do pseudo-holocausto devia ser do "interesse de Portugal"? porque é que esta gentalha insiste em impingir dogmas completamente alheios às populações ocidentais, quase como se fossem religião? porque não vai impingir o dogma do holocausto lá no país dele e deixa a Europa em paz?
se o holocausto é assim tão "verdadeiro" e "sagrado", então porque é que não se impõe naturalmente e só se impõe e afirma mediante a imposição e a lavagem cerebral? este Ehud Gol pensará que manda em Portugal e na Europa?

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

subida nacionalista preocupa judeus (e israel)


Crescimento da extrema-direita preocupa judeus na Ucrânia

A força que o partido ultranacionalista Svoboda demonstrou nas últimas eleições ucranianas está a preocupar a comunidade judaica.

Há pelo menos 103 mil judeus a viver na Ucrânia, sendo que em Israel vivem 500 mil judeus de origem ucraniana.

Mais de 800 mil membros da comunidade foram exterminados durante a II Guerra Mundial.

A euronews encontrou-se com o rabi Pynchas Vyshedski, num bairro de Kiev que foi palco de um dos maiores massacres dessa altura: “Infelizmente, li os textos desse partido, não uma, nem duas vezes, li várias vezes e não preciso de quaisquer provas para poder dizer que são antissemitas”.

Também os israelitas se mostram preocupados com o crescimento deste partido. Alex Miller, deputado na Knesset, pertence ao comité interparlamentar israelo-ucraniano: “Não percebemos por que razão deram a este partido a possibilidade de participar nas eleições, percebemos a democracia ucraniana, mas este tipo de partido não pode entrar no parlamento”.

O líder do Svoboda rejeita as acusações de antissemitismo. Segundo os analistas locais, o partido é composto por várias correntes de extrema-direita, nem todas antissemitas.

“Quero, mais uma vez, dirigir-me aos líderes do Estado de Israel: respeitamos o vosso patriotismo e o patriotismo dos vossos cidadãos. Peço, em troca, que respeitem esses mesmos sentimentos por parte dos cidadãos ucranianos e o direito dos ucranianos à liberdade de expressão”, diz o presidente do partido, Oleh Tahnnybok.

O Svoboda (“liberdade”, em ucraniano) vai ter deputados na próxima legislatura, já que ultrapassou os 5%, mas não se sabe ainda quantos lugares. A líder da oposição, Yulia Timoshenko, considera-o um parceiro viável para uma futura coligação.

FONTE


o senhor Alex Miller do Knesset (que não é ninguém para determinar que tipo de partidos podem ou não entrar no parlamento ucraniano), deveria estar mais preocupado com os assuntos internos do seu país, em vez de imiscuir-se em assuntos que não lhe dizem respeito, nem a ele, nem ao seu país, que nem na Europa está (e muito menos na UE)

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

juventude hitleriana e mocidade portuguesa

  
Lideres da Juventude Hitleriana (Hitler Jugend) e da Mocidade Portuguesa - 28 Maio de 1938 em Lisboa


mais uma prova para certos antifascistas que insistem em propagandear as suas mentiras de escravização dos sul-Europeus pelos nazis, alemães, nórdicos, etc
mas há muitas, muitas mais. esta é apenas só uma de muitas.

sangue nórdico e o mito dos olhos/cabelos claros


"…Por isso as caras enganam-nos tanto hoje em dia. Muitas pessoas cuja côr dos cabelos e olhos vêm do sul, ainda possuem a maior parte do seu sangue de ancestrais Nórdicos. E muitos…carregam os seus cabelos claros e olhos cinzentos ou azuis apenas como uma máscara enganadora, pois o seu sangue não possui traço algum dos seus ancestrais do Norte. O primeiro possui apenas a aparência do estranho e reteve o seu sangue Nórdico. O outro é possuidor do sangue estranho e mantém a sua face Nórdica como uma máscara ilusória. Qual é melhor?"

Heinrich Himmler com o pseudónimo de Wülf Sörensen






bem, Himmler não seria propriamente uma autoridade para falar da matéria, já que tinha ancestralidade asiática e basta olhar para a sua cara, mas...o seu depoimento também não é de deitar fora.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

marxismo e sionismo, religiões da U.E.?





























cartaz promocional da UE


foice e martelo ao lado do judaísmo e ainda islão, cristianismo, etc

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

trotsky e a maçonaria

  



Leiba Bronstein tornou-se maçon em 1897 e depois um Illuminati de alta hierarquia através do seu amigo Alexander Parvus. Ele também mantinha relações com a B'nai B'rith, uma ordem maçónica judaica que já tinha ajudado os “revolucionários” judeus na Rússia. 
Jacob Schiff, presidente da casa bancária Kuhn, Loeb & Co. e lacaio dos Rothschilds, era o responsável pelos contactos entre o “movimento revolucionário na Rússia” e a B'nai B'rith (Gerald B. Winrod, "Adam Weishaupt – Um Demónio Humano", p. 47). Leiba Bronstein começou a estudar seriamente a maçonaria e a história das sociedades secretas durante os dois anos que passou na prisão em Odessa. Ele encheu mais de mil páginas de notas. O "Internationaler Freimaurer-Lexikon" (Viena/Munique, 1932, p. 204) admite com relutância que Leiba Bronstein-Trotsky chegou ao bolchevismo através do estudo da maçonaria.   
Como Comissário do Povo para Assuntos Militares, Trotsky introduziu o pentagrama – a estrela de cinco pontas – como o símbolo do exército vermelho. Os cabalistas tinham tomado esse símbolo de magia negra das bruxas da antiga Caldeia. Com o auxílio de Alexander Parvus, Trotsky chegou à conclusão de que o verdadeiro propósito da maçonaria era eliminar os estados nacionais, as suas culturas e introduzir um estado mundial judaizado. 
Isto também é afirmado na “Iniciação Secreta ao 33º Grau”: “A maçonaria é nada mais, nada menos que a revolução em acção, a conspiração contínua”. Bronstein tornou-se um convicto internacionalista que, através de Parvus, aprendeu que o povo judeu era o seu próprio messias colectivo e chegaria a dominar todos os povos por meio da mistura das outras raças e da eliminação das fronteiras nacionais. 
Uma república internacional deveria ser criada, onde os judeus seriam o elemento dominante, já que mais ninguém seria capaz de entender e controlar as massas. Leiba Bronstein tornou-se um membro da loja maçónica francesa Art et Travail, à qual Lénine também pertencia, mas juntou-se também à B'nai B'rith, segundo o cientista político Karl Steinhauser ("EG - Die Super-UdSSR von Morgen"/"EU – A Super União Soviética do Futuro", Viena, 1992, p. 162). 
Leon Trotsky tornou-se membro da ordem maçónica B'nai B'rith em New York, em janeiro de 1917 (Yuri Begunov, As Forças Secretas na História da Rússia, São Petersburgo, 1995, pp. 138-139). Ele já era membro da maçonaria de Memphis-Misraim.
Winston Churchill confirmou em 1920 que Trotsky era também um Illuminati (Illustrated Sunday Herald, 8 de fevereiro de 1920.) Trotsky eventualmente alcançou uma alta posição na maçonaria, pois era membro da loja dos shriners, à qual apenas maçons do 32º grau e acima podiam pertencer. Franklin Delano Roosevelt, Alexander Kerensky, Béla Kun e outros políticos importantes também faziam parte desses poucos eleitos (Professor Johan von Leers, O Poder Atrás do Presidente, Estocolmo, 1941, p. 148).” 
(Jüri Lina, Under the Sign of the Scorpion)

domingo, 21 de outubro de 2012

«invasão» em local simbólico


Militantes de extrema-direita invadiram mesquita em construção em França


Cerca de 70 militantes da extrema-direita francesa invadiram uma mesquita em construção, em Poitiers, no centro de França, revelaram à France Press a câmara local e conselho muçulmano.

"São muito jovens e desfraldaram uma bandeira da "Geração Identitária", no local", explicou Rachid Kaci, vice-presidente da câmara de Montmorillon, que se deslocou ao local.

Cerca de 30 polícias foram deslocados para o local com o objectivo de interpelar e deter os activistas, uma operação que se afigura delicada dada a altura do edifício, considerou a câmara.

"Da grande mesquita de Poitiers, a Geração identitária apela à reconquista", escreveram, os activistas de extrema-direita na sua página na Internet, recordando que "há 1300 anos Charles Martel parou os árabes em Poitiers".

O presidente do Observatório Contra a Islamofobia do Conselho Francês do Culto Muçulmano, Abdallah Zekri, condenou "o golpe praticado por extremistas" e acusou-os de "pregar uma vez mais o ódio anti-islão"

FONTE


será o princípio de uma nova reviravolta como em 732? o local, pelo menos, é simbólico...

PS: além das palavras escritas sobre o aborto ortográfico neste artigo do JN (cada vez mais terceiro-mundista), tive também de corrigir certas palavras em "brasileirês", como por exemplo, "prefeitura" em vez de câmara, simplesmente.

sábado, 20 de outubro de 2012

«imigrantes são sub-humanos»

Deputada grega: imigrantes são «sub-humanos»

«Sub-humanos» e portadores de «todo o tipo de doenças». Foi assim que a deputada Eleni Zaroulia, do partido de extrema direito grego Aurora Dourada, se referiu aos imigrantes no seu país, durante uma sessão parlamentar, em Atenas. 

Zaroulia, esposa do líder do partido e nomeada no início deste mês membro do comité de igualdade e anti-discriminação da assembleia parlamentar do Conselho da Europa, recusou retirar estas afirmações polémicas, mesmo depois de fortes protestos. 

As palavras da parlamentar surgiram numa altura em que exigia um tratamento diferente para pessoas de origem grega que estão a regressar ao país desde a Albânia e da Rússia daquele que considera que deve ser dado ao resto dos imigrantes na Grécia. 

«É inaceitável que eles sejam sejam comparados a este tipo de sub-humanos que invadiram o nossa pátria com todo o tipo de doenças que transportam com eles», disse, citada pela agência ANA.

A agência noticiosa salienta que estas afirmações receberam o aplauso do resto da bancada do Aurora Dourada, composta por 18 deputados - lugares alcançados nas últimas eleições, e que poderá aumentar, a julgar pelas sondagens que os colocam como o terceiro partido no país. 

Várias posições assumidas por esta deputada têm sido alvo de fortes críticas, devido ao seu tom xenófobo e racista. 

A deputada é conhecida por negar a existência do Holocausto dos judeus na II Guerra Mundial e também por tiradas polémicas nas redes sociais, como a mensagem que publicou no Twitter, depois de ter sido divulgado um vídeo em que o grupo de paquistaneses agrediu uma jovem grega ligada à esquerda radical. «Uma pena, deviam tê-la violado», escreveu Zaroulia.

O radicalismo da parlamentar já se manifestou também na posição contra o aborto, garantindo que o seu partido vai tentar «levar à justiça os médicos que pratiquem abortos».

No passado mês de abril, viu-se, contudo, envolvida num escândalo indesejado, quando os media gregos noticiaram que ela e o marido eram membros do conselho de administração de um hotel no centro de Atenas conhecido como um local de encontros sexuais. 

O «New Dream» apresenta-se na Internet de forma muito diferente dos valores morais defendidos pelo Aurora Dourada. Define-se como um local «erótico e prazenteiro», com os quartos pintados de rosa, púrpura e vermelho.»

FONTE 


enfim, «radicalismo», «extremismo» e todo o tipo de epítetos e juízos de valor feitos por uma imprensa corrupta.
«moderada» é a imigração em massa. isso é que é «moderado».
e resta ainda saber quem são esses imigrantes  «albaneses» e «russos» que ela classifica como sub-humanos. muito provavelmente são apenas turcos albaneses e extra-europeus do sul da Rússia, já com doenças passadas indirectamente através de mistura racial.
quanto ao caso da grega esquerdista atacada por um grupo de paquistaneses, veja-se o cinismo da imprensa. geralmente abafa estes casos de brancos atacados por alógenos, que é para «não incitar ao ódio» nem «alimentar o racismo». mas quando uma pessoa diz que uma branca esquerdista foi bem atacada e até merecia mais, aí a imprensa já acha muito mal.  ou seja, paquistaneses podem atacar brancos sem problema, agora uma indígena não pode dizer que certos brancos mereciam até pior.
pois eu subscrevo inteiramente as palavras da deputada: quem, como essas esquerdistas radicais, defende a escumalha, só merece levar com o resultado daquilo que defendem e sentirem na pele aquilo que defendem para os outros. ou seja, justiça poética. a esquerdalha atacada precisamente pela escumalha que tanto ama e defende. é ou não é justo?

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

portugal vendido a capital angolano e judeu



Governo aprova admissão da Synergy Aerospace na privatização da TAP

«O Conselho de Ministros aprovou uma resolução que determina a admissão da Synergy Aerospace, como “potencial investidor de referência, a participar no momento subsequente do processo de alienação das acções objecto da venda directa no âmbito da 3.ª fase do processo de reprivatização da TAP - Transportes Aéreos Portugueses, S.A”....»

FONTE




Oliveira vende Controlinveste a grupo angolano

 «Joaquim Oliveira já formalizou a venda do grupo de media que detém os títulos Diário de Notícias, Jornal de Notícias, O Jogo e TSF.

O negócio foi confirmado ao Económico por fonte oficial do grupo. O comprador é um grupo angolano, desconhecendo-se o seu nome e os valores envolvidos.

O Económico sabe também que a participação de 33% na VASP também está incluída na transacção.

Joaquim Oliveira fica assim com o seu negócio centrado na área dos direitos televisivos e desportivos. Mantém-se também a sua participação na Sport tv.

Esta notícia será desenvolvida na edição impressa de amanhã do Diário Económico.»

FONTE



para quem não sabe, o dono da Synergy Aerospace (e Synergy Group) é o judeu brasileiro de origem «polaca» Gérman Efromovich, que vemos na imagem de cima.
já quanto à Controlinveste, de Joaquim Oliveira, ficamos sem saber o nome do grupo ou do investidor, mas a participação de capital terceiro-mundista angolano, não é coisa nova em Portugal, como a participação da Sonangol na Galp ou no BCP, por exemplo...
enfim, mais empresas para mãos estrangeiras e terceiro-mundistas. é o descalabro. a alta finança internacional a mandar em países.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

judeus marxistas no RU



















Durante a era do comunismo, os judeus eram, quer influentes, quer desproporcionalmente representados nos partidos comunistas. O Partido Comunista da Grã-Bretanha (CPGB) não foi uma excepção a isso. Por volta de 1960, dois dos três cargos mais importantes do partido eram detidos por judeus. Na década de 1940, quase um terço de todos os secretários distritais do partido eram judeus. Até ao início dos anos 50, entre 7 e 10 por cento dos militantes do Partido Comunista (os seus quadros) eram judeus, apesar dos judeus representarem menos de 1 por cento da população da Grã-Bretanha. Quase todos os judeus comunistas vieram de um fundo imigrante do Leste Europeu.

- Jason Heppell, Dark Times, Dire Decisions: Judeus e o comunismo, 2005



nomes? o mais famoso foi o judeu sionista (pró-israel) chamado Gerry Gable que vemos na imagem de cima, editor da revista "anti-fascista" "Searchlight", fundada em 1975 (imagem ao lado), por outro judeu comunista chamado Maurice Ludmer. outros nomes ligados ao partido foram Zelda Kahan (negadora do Holodomor), Theodore Rothstein (pai), Andrew Rothstein (filho), Phil Piratin, Sam Aaronovitch, Sam Lesser, Hedi Stadlen, Sue Slipman, Dora Montefiore, Ivor Montagu, Anita Halpin, Monty Goldman, etc, etc, quase todos vindos do Leste, sobretudo URSS, no século passado ou mesmo final do séc.XIX, e quase todos com passagens por outros partidos de esquerda e centro-esquerda. Alguns ajudaram a fundar o CPGB no ano de 1920.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Goebbels, o visionário

 "...A Guerra aproxima-se do fim. A insanidade que as potências inimigas desencadearam sobre a Humanidade já passou o seu ponto culminante no que se refere a esta guerra. A única coisa que deixará atrás de si, e em todo o mundo, será apenas um indescritível sentimento de vergonha e de asco. E não pode ser de outro modo. A artificialmente construída e corruptamente mantida coligação entre plutocracia e bolchevismo acabará por romper-se." 

"A Alemanha terminará dividida. A Áustria terminará entregue ao seu próprio destino. Os sovietes estenderão a sua influência até ao Atlântico. A Inglaterra, tarde ou cedo, perderá a totalidade do seu Império. Até os Estados Unidos logo pensarão de forma diferente sobre este estremecedor fenómeno mundial. Guerras raciais internas e uma decadência imparável far-lhes-ão perder o seu prestígio e poder mundial." 

"Aconteça o que acontecer, a Alemanha renascerá poucos anos depois desta guerra. E não será só pelo seu próprio esforço. A Alemanha é tão imprescindível para a Europa que até os nossos próprios actuais inimigos terão que impulsionar a sua reconstrução. Os nossos campos e províncias destruidas serão repovoadas com novas cidades e populações...voltaremos a ser amigos de todos os povos de boa vontade que habitam a terra e juntamente com eles faremos cicatrizar as feridas que deformam o nobre rosto do nosso continente." 

"Toda a Europa e o Mundo participarão dos avanços que demos à Ciência. Mas a pergunta decisiva é se neste mundo mais novo e brilhante viverão também pessoas mais felizes.  Se os nossos inimigos impuserem a sua vontade, a humanidade irá naufragar num mar de sangue e lágrimas. Irão haver guerras e mais guerras, ininterruptamente, mas mais pequenas e isoladas geopoliticamente do que esta, porque ninguém se atreverá tão irresponsavelmente a causar uma catástrofe como a presente."

"Homens matar-se-ão uns aos outros para possuir mais, para ter coisas em maiores quantidades, mesmo que supérfluas e banais. Os plutocratas irão mergulhar numa desesperada corrida para dar cada vez mais bens luxuosos, a uma humanidade corrompida pela comodidade e ganância, e acabarão por não ser capazes de alimentar uma população cada vez mais numerosa. Haverá fome e desemprego de novo. Então o bolchevismo surgirá outra vez para oferecer, tentadoramente, as mesmas soluções falsas que nos foram oferecidas nesse monstruoso monumento ao fracasso e ignomínia que foi a républica de Novembro."

"Aqueles que querem remediar este estado de coisas, não terão escolha a não ser ver o que nós fizemos e o que também faremos, continuando a lutar até ao amargo fim. Aqueles que querem melhorar este mundo decadente, devem entender que há uma terceira via, e essa é a nossa via. Virão homens e, ainda que não o mencionem porque será proibido ou terão medo de fazê-lo, eles tentarão viajar nesta nossa estrada. E eles serão combatidos e traídos, como nós fomos. Mas no final, nós venceremos, porque o bem e a verdade triunfam sempre no Mundo."


Joseph Goebbels, 19 Abril 1945, penúltimo discurso

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

marxistas «anti-alemães» pró-israel






















"Nieder mit Deutschland/Solidarität mit israel/Für den kommunismus!"
"Down with Germany/Solidarity with israel/For communism!"
"Abaixo a Alemanha/Solidariedade com israel/ Pelo comunismo!"


















ser alemão e contra a Alemanha, já é um nojo.
ser alemão, contra a Alemanha e pró-israel, isso aí, já é asco a triplicar ou quadriplicar...

terça-feira, 9 de outubro de 2012

«teoria da conspiração» é epíteto judeu

Teoria da Conspiração é um epíteto inventado pelo polemista judeu Karl Popper, no seu trabalho de 1945, de apoio ao cosmopolitismo desenraízado, intitulado "The Open Society And Its Enemies". Neste contexto, Popper cunhou a frase numa polémica contra o que ele chamou "totalitarismo" (ie - Nacional-Socialismo e o chamado "Estalinismo"). Ao mesmo tempo Popper afirmou: "Eu não desejo sugerir que as conspirações nunca acontecem. Pelo contrário, elas são um fenómeno social típico".  O seu principal uso é um chavão vazio de condicionamento operativo no sentido de guerrilha psicológica para dissuadir a investigação genuína e a pesquisa sobre eventos e actividades importantes.
Desde então, a frase tem sido mais vulgarmente usada para descrever membros do "Truth Movement" (Movimento da Verdade) e média alternativa, ou num sentido mais geral, pessoas que suportam opiniões de eventos históricos que não agradam ao governo dominante.  Aquilo que foi outrora descrito como sendo "teorias da conspiração" como epiteto, foi mais tarde admitido como verdade histórica pelos "poderes", quando era da sua conveniência política fazê-lo, e a mentira já não era útil.  Por exemplo, o massacre de Katyn contra os Polacos, foi outrora alegado pela imprensa Aliada ter sido efectuado pelos Alemães, contudo é hoje sabido e admitido que ele foi efectuado pelo regime de terror Soviético.
Se alguém é descrito como "teórico da conspiração" na imprensa controlada como um insulto, então provavelmente vale a pena ver o que ele tem para dizer, contudo, há efectivamente malucos que são deliberadamente postos debaixo do mesmo epíteto dos genuínos denunciadores da verdade. Mais famigerados são aqueles que forçam ideias de reptilianos e ovnis, por conseguinte, é necessária a devida diligência.

domingo, 7 de outubro de 2012

zangwill e o melting pot



"No, the real American has not yet arrived. He is only in the Crucible, I tell you - he will be the fusion of all races, perhaps the coming superman. "

Não, o verdadeiro americano ainda não chegou. Ele está apenas no cadinho, digo-vos eu - ele será a fusão de todas as raças, talvez o super-homem vindouro.



"America is God's Crucible, the great Melting-Pot where all the races of Europe are melting and reforming... Germans and Frenchmen, Irishmen and Englishmen, jews and Russians - into the Crucible with you all! God is making the American."

A América é o cadinho de Deus, o grande Melting Pot onde todas as raças da Europa se estão a misturar e a reformar ...Alemães e Franceses, Irlandeses e Ingleses, judeus e Russos - no cadinho com todos vós! Deus está a construir o Americano.
Israel Zangwill



antes de Trotsky cunhar a palavra racismo em 1930, antes do nascimento do marxismo cultural, antes da revolução russa, antes mesmo do programa racial de Israel Cohen de 1912, já existia quem em 1908 tivesse cunhado o termo "melting pot" para designar as várias misturas na América, usando o truque desonesto de meter no mesmo barco, misturas entre Alemães, Ingleses ou Irlandeses, e misturas com judeus, por exemplo. o que serve para meter lá negros e outros grupos raciais, já que segundo esse pressuposto, mistura é mistura...então tanto faz ser com negros, judeus ou arianos.
Zangwill, além de pró-feminista e "pacifista", era um judeu sionista, "socialista" e defensor do governo mundial.
aliás, Israel Zangwill, o já citado Israel Cohen (também judeu) e ainda o famoso escritor Bernard Shaw, foram alguns dos fundadores da Sociedade Fabiana na Inglaterra (organização de esquerda) além de todos terem conhecido de perto e trabalhado com um outro judeu com o pseudónimo de Karl Marx.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

a futura raça Europeia


"As consequências [da mistura racial] é que os mestiços combinam variadamente falta de carácter, falta de contenção, fraqueza de vontade, instabilidade, impiedade e deslealdade com versatilidade, prontidão intelectual, libertamento de preconceitos e largura de horizontes...."

"A futura raça Europeia será uma raça mestiça ... Será a raça Eurasiática-Negróide..."

"Finalmente, das perseguições emergiu uma pequena comunidade, endurecida pelo martírio que heroicamente suportaram por uma ideia, deste modo depurada de todos os elementos influenciáveis e de pobreza intelectual. ..."

"Em vez de destruir a judiaria Europeia, a Europa, contra a sua própria vontade, cultivou e educou este povo para uma futura liderança através deste processo artificial de selecção. Não admira que este povo, que escapou da prisão e do gueto, se tenha desenvolvido numa nobreza espiritual da Europa. Em consequência duma bondosa providência proveu a Europa com uma nova estirpe de nobreza através da benção espiritual. Isto aconteceu no momento em que a aristocracia feudal da Europa foi delapidada, graças à emancipação Judaica."

Coudenhove-Kalergi, Praktischer Idealismus (Practical Idealism), Viena/Leipzig 1925, págs. 20, 23, 50



quem falava assim, era um mestiço, filho de um austríaco e de uma japonesa chamada Misuko Aoyama...

pentagrama já foi simbolo do judaismo


“Conforme uma das teorias, a ‘estrela de David’ com seis pontas, que decora a actual bandeira de Israel, começou a ser um símbolo nacional a partir da cruzada de David al-Roy. ‘Aventa-se’, escreve Baron, ‘que, desde então, o escudo de David, uma estrela com seis pontas (até então apenas um motivo decorativo ou emblema mágico) passou a ser o principal símbolo nacional-religioso do Judaísmo. Utilizado durante muito tempo em alternância com o pentagrama ou o ‘selo de Salomão’, ele foi, a partir do século XIII, atribuído a David em textos alemães místicos e éticos e, em 1527, surgiu na bandeira judaica de Praga’.”

Fonte: “Os Khazares”, Arthur Koestler, p. 145




O talismã nacional israelita é o hexagrama, que é chamado Estrela de David, que se supõe ser o antigo símbolo de Israel.

Este símbolo, na verdade, foi “legado” aos líderes judaicos no século XIV pelo hermético Rei Carlos IV da Boémia e formalmente adoptado como a “estrela de David” em 1898 no Segundo Congresso Sionista na Suíça.

A fonte original do símbolo é andrógina, representando Adam Kadmon, a personificação da união das forças masculinas e femininas num corpo. A doutrina cabalística trouxe o hexagrama ao interior da tradição Judaica (um facto devido ao reconhecimento oficial pelo rei da Boémia).

Michael A. Hoffmann



o pentagrama que hoje vemos no comunismo, na maçonaria, no crescente islâmico e até no paganismo (Wicca) já foi um símbolo do judaísmo. não há coincidências por acaso...
o homem vitruviano, que é símbolo do "humanismo" e que igualmente é simbolizado por um pentagrama, também influenciou certas ideologias...basta ver o símbolo do bloco de esquerda, por exemplo.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

a vergonha da EDL
































enfim, palavras para quê...um grupo definido pelos merdia como "radical" e "extremista" que depois tem como suas bandeiras o sionismo, o homossexualismo, o anti-nazismo e até o anti-racismo.
por detrás dos mascarados anti-nazis pode ler-se um cartaz "black and white united".
que raio de gente é esta, afinal, que prefere um símbolo e uma bandeira de um povo extra-europeu, a um símbolo tão indo-europeu como a suástica?

Hitler sobre a América e a raça










"Na América do Norte, na altura de decidir qual a língua nacional a introduzir, foi um único voto que decidiu que o alemão não deveria ser introduzido como a língua nacional, mas sim o inglês. Perdemos um continente de 120 milhões para o qual enviáramos o material humano mais valioso, tal como ficou provado no ano de 1917"

"Estes jovens altos, loiros e de olhos azuis, na realidade, o que eram? Seriam outrora os filhos dos agricultores alemães. São agora nossos inimigos"

"A União Americana fundiu certamente populações de ascendência diversa num novo povo. Só que um exame mais próximo parece revelar que a maioria avassaladora destas nacionalidades diversas pertence aos mesmos elementos raciais básicos ou, pelo menos, relacionados....a União Americana, na verdade, acabou por se valer dos diversos elementos raciais nórdicos"

"A União Americana estabeleceu quotas de imigração. Deu preferência a populações dos países escandinavos, da Inglaterra e da Irlanda, e apenas em terceiro lugar da Alemanha porque já era racialmente inferior....Ao contrário da Alemanha, aquela União não permite a entrada a qualquer judeu polaco; em vez disso, selecciona o seu povo"

"Todo aquele poderoso material humano que vimos no lado americano durante a Guerra Mundial (primeira Guerra) , acreditem, foram mães alemãs que outrora deram à luz estes homens, pais alemães que outrora os formaram, e depois o destino determinou que, em menos de 50 ou 20 anos, nos confrontassem como inimigos numa luta pela sobrevivência onde estava em causa a nossa própria existência. É esta a horrível maldição a que nos conduziram as politicas mais recentes."

"Aquilo que o caldo de culturas faz na prática pode ver-se no México, onde a absorção do sangue dos conquistadores espanhóis originais pela população índia nativa produziu a mistura racial a que chamamos Mexicanos, e que agora se empenha em mostrar a sua incapacidade de autogovernação. O mundo viu muitas misturas destas, e as implicações da mestiçagem apenas agora começam a ser verdadeiramente compreendidas na sua real dimensão."

"A América do Norte, cuja população é constituída, na sua maior parte, por indíviduos germânicos, misturou-se muito pouco com os inferiores povos de cor, mostrando uma humanidade e cultura diferentes das da América Central e do Sul, onde os imigrantes, na sua maioria latinos, frequentemente se cruzavam com os nativos em grande escala. Com este exemplo apenas, podemos clara e distintamente reconhecer o efeito da mistura racial. O habitante germânico do continente americano, que permaneceu racialmente puro e sem mistura, ergueu-se para ser senhor do continente; irá continuar a ser o senhor enquanto não cair vitimado pela conspurcação do sangue."

Adolf Hitler

FONTE: "A Biblioteca Privada de Hitler"



enfim...bons velhos tempos. Se Hitler imaginasse o grau de decaimento dos Estados Unidos, menos de 100 anos depois destas palavras, seguramente não teria escrito estas linhas, que devem ser entendidas e contextualizadas à altura em que foram escritas (anos 20 do séc.XX)

terça-feira, 11 de setembro de 2012

raça e inteligência

  Em Race, Intelligence and Education, Hans J. Eysenck, após a apresentação do dossier, afirma que as teses dos «mesologistas», partidários da influência do ambiente, são insustentáveis. Que as diferenças de sucesso entre negros e brancos, em matéria de Q.I., resultam de uma diferente constituição genética. E que 90% dos homens de ciência o sabem mas que preferem não falar nisso.
  A opinião fez estremecer, pois Hans J. Eysenck não é um ilustre desconhecido. O Sunday Times diz que ele é «um dos sábios mais influentes» em Inglaterra Em 1934, fugiu à perseguição nazi. É pois díficil acusá-lo de «racismo». (A extrema-esquerda britânica porém não se tem coibido.)
  A sua demonstração apoia-se principalmente em três observações:
  1) Todas as experiências efectuadas com gémeos homozigóticos (isto é, «gémeos autênticos»), separados desde a nascença e educados em meios diferentes, mostram que o seu quociente intelectual é sensivelmente igual, com pequenas diferenças. O que atesta que a sua inteligência é fortemente hereditária;
  2) A diferença média de Q.I. aparece, integralmente, logo que se escolhem negros e brancos educados nas mesmas condições, frequentemente nos mesmos estabelecimentos e gozando do mesmo padrão económico. Subsiste ainda, se se econfrontarem brancos de camadas sociais mais baixas e negros de meios mais favorecidos. O «ambiente» não é pois o factor explicativo determinante;
  3) Os chineses, cujo padrão social nos Estados Unidos é nitidamente inferior ao dos brancos, obtêm nos testes os melhores resultados. Inversamente, os índios americanos, que são vítimas de uma discriminação muito maior do que a imposta aos negros, têm um Q.I. mais elevado do que estes últimos.
  Conclusão do professor Eysenck:  «Existem diferenças raciais no plano da anatomia e da fisiologia e mesmo da bioquímica. Porque será o cérebro uma excepção? É preciso rendermo-nos à evidência: a inteligência é determinada pela hereditariedade»

FONTE: Nova Direita, Nova Cultura; Alain Benoist (págs.173-174)

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

a raíz dos holocaustos
























foi você que pediu um "holocausto"? pensava que a palavra existia por causa de Hitler e da morte de "6 milhões" de judeus?
pensava que o "racismo" era coisa de ideais nazis ou fascistas? que não existia racismo em ideais e pensadores considerados "bons" e "bem-intencionados" à priori?
sabia que existe uma grande diferença entre racismo racialista e racismo no seu pior sentido...o de odiar e desejar o fim de outras raças, etnias, estirpes...?
achava que nos ideais comunistas eram tudo rosas e que um ou outro louco, como Estaline, é que "desvirtuaram" os ideais nobres e purinhos à priori?  que os banhos de sangue e as GULAG foram "desvio" e "traição" aos nobres "ideais humanitários" de esquerda? que tudo foi um acidente ou loucura de 1 ou 2 ditadores agarrados ao poder?


"Among all the large and small nations of Austria, only three standard-bearers of progress took an active part in history, and still retain their vitality — the Germans, the Poles and the Magyars. Hence they are now revolutionary. ALL THE OTHER LARGE AND SMALL NATIONALITIES AND PEOPLES ARE DESTINED TO PERISH BEFORE LONG IN THE REVOLUTIONARY WORLD STORM."

Friedrich Engels ”The Magyar Struggle”, in Neue Rheinische Zeitung, January 1849









se achava isso tudo, pode começar a desiludir-se. bem vindo à realidade vista com olhos de ver, não pintada de cor-de-rosa, ou idealizada...

domingo, 13 de maio de 2012

pseudo-saudação nazi...de punho cerrado

















suposta "saudação nazi" de Breivik com punho cerrado



















juramento de bandeira do RALIS em 1975 (PREC) que rezava assim:
"Nós soldados, juramos ser fiéis à pátria e lutar pela sua liberdade e independência.
juramos estar sempre, sempre ao lado do povo, ao serviço da classe operária, dos camponeses e do povo trabalhador"


todas as notícias, nos jornais ou na TV, deram conta da suposta "saudação nazi" de Breivik como por exemplo aqui  (A saudação de extrema-direita foi a forma utilizada hoje por Anders Behring Breivik para cumprimentar as pessoas presentes no tribunal de Oslo)


resumindo, é a táctica leninista em todo o seu esplendor, a mentira deliberada, de forma aberta e despudorada, sem quaisquer preocupações deontológicas ou éticas, é o insulto descarado à inteligência do receptor da informação, é aquilo que Noam Chomsky chamava de "dirigir-se ao público como se fossem crianças" (eu diria burros, mentecaptos) numa das suas 10 estratégias de manipulação mediática.
mas isto de uma forma deliberada, descarada, primária. é apresentar imagens, para depois afirmar coisas desmentidas por essas mesmas imagens.  o cúmulo da lavagem cerebral, da mentira descarada e da propaganda.

terça-feira, 27 de março de 2012

«pacifismo» de extrema-esquerda...

video
Manifestação em Lisboa no passado dia 22 deste mês...

segunda-feira, 26 de março de 2012

tenham paciência, não é loiro nem nazi











Mohamed Merah, o terrorista de Toulouse



paciência...nem branco, nem loiro de olhos azuis, nem "nazi", nem "extremista anti-islâmico".