"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

segunda-feira, 31 de maio de 2010

composição racial da Alemanha




















nota: mais detalhado do que no tópico anterior, que era mais generalizado...

sexta-feira, 28 de maio de 2010

sub-divisão racial na Alemanha


























clicar para ver melhor

zona nuclear da toponimia -ipo
























considerado por muitos como indício de "orientalização", a zona nuclear da toponimia -ipo concentra-se sobretudo no Sudoeste Ibérico, mas também na zona central da actual Extremadura Espanhola e também no Sul (Andaluzia)
exemplos: Olisipo, Collipo, etc

terça-feira, 25 de maio de 2010

o lado positivo da crise

Portugal está a perder imigrantes com a crise

Cada vez mais pessoas optam por regressar ao país de origem. Remessas já estão a baixar.

A crise está a levar muitos imigrantes a deixar Portugal e a regressar aos seus países de origem. O aumento do desemprego, a precariedade do trabalho e a deterioração das condições de vida, que contrastam com o crescimento económico de alguns dos países de origem destes imigrantes, estão a conduzir a um verdadeiro êxodo da mão-de-obra estrangeira.

A saída dos imigrantes, que no início de 2009 eram responsáveis por 5% do PIB, já está a reflectir-se financeiramente: de acordo com os últimos números do Banco de Portugal, as remessas dos imigrantes caíram quase 3% no primeiro trimestre do ano, quando comparado com os números do período homólogo (ver gráfico).

Ao todo, foram enviados para fora de Portugal 124,7 milhões de euros nos primeiros três meses de 2010, menos 2,9 milhões do que em 2009, um número que contraria os dados de um estudo da Comissão Europeia e que indica que Portugal foi o país onde mais aumentaram as remessas de imigrantes ao longo dos últimos anos.

"Neste momento, só não sai de Portugal quem não pode", disse ao DN Ailton Santos, responsável da Casa Grande, uma das maiores associações de imigrantes brasileiros em Portugal. De acordo com este responsável, a explicação para esta situação é simples: "Portugal está em crise profunda e há muito desemprego, principalmente na construção civil [onde trabalha grande parte da comunidade radicada em Portugal], enquanto no Brasil não falta trabalho e a economia está a crescer acima das expectativas", adiantou.

Além da comunidade brasileira, responsável por 51% do total das remessas de imigrantes - também os imigrantes dos países do Leste estão a deixar o nosso país. Segundo Alina Dudcó, da associação Kalina, "só os imigrantes que têm cá a família e a situação regularizada é que ficam. Os restantes estão a sair".

A presidente desta associação de imigrantes do Leste revelou ainda ao DN que, além do aumento das saídas, se tem verificado uma redução do número de cidadão do Leste que escolhe Portugal para vir trabalhar. "Portugal já não é um destino atractivo para quem procura uma vida melhor do que a que tem na Ucrânia ou na Moldávia", sublinhou.

Apesar de a crise ser o principal motivo de saída de muitos imigrantes de Portugal, Ailton Santos garante que esta não é a única razão para o êxodo de Portugal. O responsável pela Casa Grande aponta ainda os incentivos que o Governo de Lula da Silva tem dado a quem regressa com outro forte argumento para justificar o aumento do número de imigrantes brasileiros que estão a regressar ao seu país.

"Agora há condições de crédito muito melhores para quem regressa, com direito a juros bonificados e outros benefícios", sublinhou, frisando que esteve recentemente reunido no Brasil com responsáveis governamentais que lhe asseguraram que a aposta de Brasília para os próximos anos passa pelo regresso dos seus emigrantes. Segundo adiantou ao DN, "o mote do Governo é 'o lugar dos brasileiros é no Brasil', e isso está a cativar muita gente".

Uma das provas da melhoria das condições de vida no Brasil é o número das vendas de automóveis naquele país. Segundo um estudo divulgado pelo Santander, nos últimos 18 meses cerca de oito milhões de famílias brasileiras compraram carro novo, aproveitando a queda de 6,5% dos impostos que incidem directamente sobre o preço dos veículos.


FONTE



a frase que mais gostei e que resume tudo, foi:

"Neste momento, só não sai de Portugal quem não pode"

óptimo. ainda bem. só faltava agora termos um governo minimamente competente e responsável para ajudar financeiramente esses imigrantes que não podem, a voltar aos seus países de origem.

quanto à falta de trabalho na construção civil, não é motivo para grandes euforias, pois os nossos politicos encarregam-se de arranjar trabalho para esses imigrantes "desfavorecidos", com o TGV, mais uma ponte, etc, etc

sexta-feira, 21 de maio de 2010

europa ocidental negróide??
















clicar para aumentar

das duas uma:  ou quem fez este mapa é algum visionário futurista (a este ritmo, a Europa Ocidental realmente ficará "negróide" em poucas décadas) ou então quem fez este mapa era simplesmente algum tresloucado sem a minima noção do que estava a fazer...

mas como o mapa é uma aparente reconstituição da Eurásia no ano de 1600 a.C., eu não posso fazer a primeira interpretação algo "ingénua" (no minimo), uma vez que não se trata aqui de "futurismo" e sim de pura incompetência.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

ascenção nacionalista preocupa judeu sampaio

Crescimento da extrema-direita na Europa preocupa Jorge Sampaio
Ex-presidente da República dissertou em conferência sobre governação democrática e diversidade cultural

A boa governação depende da «imediata e completa aplicação dos direitos humanos, cívicos, económicos, sociais e culturais», defendeu esta terça-feira, em Lisboa, o Alto Representante das Nações Unidas para a Aliança das Civilizações.

Jorge Sampaio, que intervinha na conferência que assinalou o 20.º aniversário da criação do Centro Norte-Sul, do Conselho da Europa, dissertou sobre a governação democrática e diversidade cultural.

«Basicamente, boa governação e diversidade cultural quer dizer: democracia», sintetizou Sampaio.

Jorge Sampaio abordou ainda a situação dos direitos das minorias, considerando que «há muito ainda a fazer» para garantir o respeito pelos direitos humanos destes grupos.

«Sabemos que existe crescente mal-estar nas sociedades europeias, que pode degenerar numa bomba relógio social em toda a Europa, a menos que sejam adoptadas acções extraordinárias» (e que medidas serão essas, já agora?) defendeu Jorge Sampaio, considerando «não ser possível ignorar o facto de este tipo de atitudes etnocêntricas estar a aumentar na Europa».

«Penso que o crescimento da extrema-direita na Europa é uma tendência perigosa que precisa de ser considerada, porque as tensões crescem aí e existem grupos de vários tipos e natureza preparados para as manipular», alertou.

A resposta assenta na actuação desde a base ao topo, envolvendo organizações não governamentais, líderes locais, intelectuais, líderes políticos e religiosos.

FONTE



que surpreendente...o marrano Sampaio (sim, marrano. apesar de ter sangue irlandês e outros, quem é neto de uma judia de Marrocos, seria considerado judeu não só pelas leis da Alemanha nazi, como pela própria israel. aliás, Sampaio é considerado judeu em israel)  preocupado com o crescimento da extrema-direita na Europa.  que "surpresa". porque será?

- "diversidade" para o marrano, não é cada povo viver no seu espaço. não. para o marrano, "diversidade" é todos no mesmo espaço, ao mesmo tempo. a misturada total e obrigatória.  isso é que é "salvaguardar a diversidade"!
- "democracia" para o marrano é envenenar e lavar cerebralmente o povo e tentar impedir à força a livre ascenção de uma determinada força política
- "democracia" para o marrano, significa multiculturalismo à força, quer as pessoas queiram, quer não queiram.

já agora: quando fala em "atitudes etnocêntricas" está-se a referir a quê?  será que se está a referir ao país onde ele próprio é considerado judeu, que coloca muros, constrói colonatos, etc, etc ???

ou será que, afinal de contas, o multiculturalismo só é para ser "obrigatório" na Europa enquanto que fora desta todas as "atrocidades etnocêntricas xenófobas" já são permitidas, porque só a Europa é o alvo a abater???

quarta-feira, 19 de maio de 2010

«mou» sem papas na lingua

«Dão passaporte a um brasileiro e metem-no a jogar»
José Mourinho criticou, ontem, em conferência de imprensa, as selecções que recorrem a jogadores naturalizados. "Para mim a final da Champions é mais importante do que a final do Mundial, os clubes são melhores do que as selecções. Os países não podem comprar jogadores, não são como uma equipa a não ser que façam como já alguns andam a fazer. Dão um passaporte a um brasileiro e metem-no a jogar", disse o ainda treinador do Inter.

FONTE







é assim mesmo, "mou", as verdades são para dizer, por muito que custe.
agora quero ver se alguém aqui na tugalândia se lembra de chamar "racista" ou "xenófobo" ao "special one".

nada contra a selecção brasileira, mas a selecção brasileira deve ser brasileira. e a portuguesa deve ser portuguesa...independentemente de perder ou ganhar, de jogar bem ou jogar mal.


nota: "selecção" escreve-se assim, e não "seleção". por isso tomei a liberdade de corrigir esta passagem do jornal "record" que tem a mania de escrever os textos ao abrigo do "acordo ortográfico", criando a sensação de que estamos a ler algum jornal online brasileiro ou assim...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

cartoonista sueco atacado...

















eis o desenho que provocou a fúria de um bando de "muslos" contra o cartoonista Lars Vilks





e eis a degradante cena...

onomástica gaélica na monarquia galaica

ORDONHO
Nome de quatro reis do primeiro reino da reconquista: Ordonho I, 850 a 866; Ordonho II, de 914 a 924; Ordonho III, de 951 a 956; e Ordonho IV, de 958 a 960. Hoje desusado como nome de pia, subsiste o seu patronímico como sobrenome ou nome de família.
Apesar da opiniom que o tirava do lat. Fortunius através da passagem polo basco (G. Tibón), é de clara e próxima origem céltica. Coromines já o tirava do célt. *ORDOS “martelo; polegar” (DCE CeH I, 365. 13-15). O nome prova a subsistência do céltico para fins do primeiro milénio cristão. Com efeito, *ORDONIOS era “o do Martelo (ou Polegar)”. Martelo e polegar eram e som símbolos da força, como testemunham os nomes de Charles Martel e Hernando del Pulgar. *ORDONIOS é também o étimo do gaélico antigo oirdne “polegada”.

ORRACA
OU O FINAL DO CÉLTICO HESPÉRICO
1. Intriga a origem do sonoro nome, tamanho no medievo, depois subitamente banido; trevas antes, trevas depois. Pouco dá o castelhano urraca “pega”, que para Coromines nom é outro que o antropónimo dado ao pássaro, que em toda a parte leva nome de mulher pelo arremedo dũa voz gárrula que se quer feminina.
Surge no séc. XVI, quando o nome de mulher já saíra do uso. Coromines, trás rechaçar hipóteses caducas,detém a pesquisa julgando-o pré-romano, “quiçá ibérico e mesmo acaso aparentado com o basco”. Qual costumava, Coromines, a nom chegar a termo certo, deixava campo ordenado, com dados suficientes para acabar a busca. Tentá-la-emos, mas antes fixemos uns factos pertinentes, nom computados, talvez úteis na hora de etimologizar.

2. Dados históricos
a) O nome aparece no séc. IX, abunda até o XIII e depois languidece até fins do séc. XIV.
b) Nos três primeiros séculos, as Orracas (e Urracas castelhanas) das crónicas som todas mulheres de reis. Só após o séc. XIII, começam a levá-lo mulheres nem esposas de reis nem reinantes.
c) Quanto ao espaço, dá-se em todo o Norte, de Galiza a Catalunha. Devo contestar respeitosa e firmemente o asserto do DCECeH de julgar raro o nome em galego-português e empréstimo castelhano. Por caso, leva-o a filha de Afonso I de Portugal, casada com Fernando II de Leom.
O segundo ponto é fulcral. A primeira que registo, na Crónica Galega, é a mulher de Ramiro I de Leom (rei de 842 a 850). Em Navarra chama-se assim a mulher de Garcia Éneguez (rei de 851 a 870), morta dũa lança moura que lhe produz o parto. No X destaca ũa filha de Sancho I de Navarra. Das quatro filhas que lhe nascerom, Sancha, Orraca, Maria e Velasquita, só a segunda casa com rei, de Leom. Caso curioso é o das Orracas sucessivas de D. Fernando II de Leom, ũa a ementada filha do rei de Portugal,a outra Orraca López, filha de Lopo senhor de Haro.

Notável é a rainha de Aragom entre 1137 e 1162. Ao nascer “disserom Dona Peroniela (Petronila).
Mas mudarom-lhe depois o nome et chamarom-lhe Dona Orraca. Et esta Dona Peroniela foi casada com o conde Dom Reimom de Barcelona.” (Crónica Galega, pág. 291, 53). Por que lhe muda o nome? Nos IX, X e XI todas som esposas de reis; no XII duas já reinam por direito próprio: Petronila-Orraca de Aragom e Orraca de Castela e Leom, rainha per se de 1109 a 1126.

3. As variantes formais dos documentos
Orraca é nossa forma mais frequente. O O- átono é irrelevante qual todos os átonos (sobretudo o final absoluto, que nom segue o vocalismo lat.-vulg. “napolitano” e sempre soou U). Diz mais o texto castelhano do Norte (Cantábria?) de 1285, que Coromines topa em M. Pidal (Documentos Lingüísticos de España, 67. 18, 23, 24). Três vezes lê-se Vurraca e ũa vez Burraca. Veo-me daí a ocorrência que ainda me pasma e vou expor. A grafia nota ũa inicial semiconsoante, um uau em transe de fechar e consonantizar.
Uau na península e no séc. XIII soa insólito. Pode-se ignorá-lo, despachá-lo com um pretexto qualquer, e cabe seguir a indagar por ver que aguarda ao cabo do túnel.

4. Buscar o étimo, reconstruir o monstro
As grafias O-, U-, Vu- e Bu- convergem no fonema uau. Vurraca –a letra deve estudar-se in situ– mostra a letra W, inventada dos anglo-saxões para o uau e rápido espalhada alhures. Um copista insular é possível, mas nom necessário. Bu- também representa uau, limítrofe com a consoante.
Falar de uau é ousado. Supõe o grupo WR-, nom românico, doutras línguas indo-europeias: é inglês e foi germânico. E céltico; no insular subsistiu até perto do séc. VII: no gaélico fez-se fr-, no britónico gwr-.Aqui nom há WR-, há WRR-, de R símil ao inicial e de evoluçom paralela: o substrato céltico reforçou o R- hispânico e gascom8. Leio Wrraca, que noto WRaka. Nom é palavra românica, bem que sumida em meio bilíngue. O resto é fácil: -C- intervocálico vem de -CC-; reforço do R-/WR- e simplificaçom de geminadas som solidários na leniçom. Logo Orraca-Urraca-Vurraca-*WRaka aponta ao étimo *WRAKKA.
Quadra buscar no pré-romano ou no germânico. Neste nada há. Os casos de leniçom, paralelos aos substráticos dos romanços, induzem a busca no céltico.

5. *WRAKKĀ
Há vozes célticas deste feitio? Existem sim, e nom posso crer nom se notarem antes. O gaélico ant. tinha fracc “mulher, esposa”, hoje só no escocês frag “id.”. No britónico há galês gwrach “bruxa”, córn. ant. gruah, mod. gwrah, bret. méd. groach, mod. groac’h (Léon grac’h) “velha”. Todas do étimo céltico antigo a encabeçar o parágrafo: *WRAKKĀ “esposa”, de câmbios semânticos fáceis de ver: “esposa”, sentido jurídico, deliu-se em “mulher”, que esvarou erraticamente. A forma escocesa é “mulher, esposa”, cf. Thurneysen de conotações positivas: “a kind wife”.

Donde *WRAKKĀ? Era hipocorístico (var. carinhosa) de *WRAKŪ, WRAKONOS f. “esposa”, voz só jurídica, donde galês gwraig (< *wrakī < *wrakū), córn. ant. grueg, greg, méd. gurek, mod. gwrēg, bret. méd. gruec, mod. groek, grouek, Léon grek. A geraçom do hipocorístico é usual: reduçom, geminaçom expressiva, atrair do morfema -Ā, típico do feminino. Para além nom há étimo certo, mas Pedersen compara-o com lat. virgō, virginis, próximo, nom igual, que o Ernout-Meillet declara de origem ignota. Atina Pedersen: célt. *WRAKŪ e lat. virgō nom só têm feitios próximos, também semânticas contíguas. Noçom original é “esposa, desposada”, de puro conteúdo jurídico. O latim só focaria o lapso entre o contrato de esponsais e início da coabitaçom o céltico usou dele todo o tempo de vigor do contrato matrimonial. Será alucinaçom? Como tantas coincidências? Se chegamos aqui, sigamos. A sequência seria: célt. comum *WRAKŪ, WRAKONOS > hipocorísti-co *WRAKKĀ > célt. hespérico *wRaka, já lenizado, > romances orraca e urraca.

6. Corolários
a) Cada vez vemos melhor quam pouco sabemos do meio cultural e linguístico de fins do primeiro milénio. Amiúde saltam dados pasmosos e seguimos a dizer que “o rei vai vestido”.
b) Os montanheses iletrados da cornija cantábrica ainda falavam céltico. Só ficarom rastos toponímicos (só escreviam latim); o nom latino era invisível, mesmos os romances. Das Orracas de reis surge a língua estar viva nos sécs. IX e X.
c) O Reino de Leom (sequela da Gallaecia para cristãos e muçulmanos) era âmbito rude e iletrado. Os montanheses que só falavam céltico –arcaico e próximo do gaélico– nessa língua residual chamavam de Esposa por excelência à do rei. Até o séc. XII foi só de rainhas por casamento. Logo surgem desse nome duas rainhas per se. Petronila-Orraca é dúbia: ementam a mudança de nome e a seguir o matrimónio com o conde de Barcelona. A castelhana, rainha de 1109 a 1126, a meu ver já demonstraria opacidade: em céltico chamariam-na *RĪGANĪ, nom *WRAKKĀ.
d) Nom se vê diferença entre cântabro e calaico: a voz é compartida pela cornija cantábrica.
e) Ser *WRAKKĀ de Navarra e Aragom nota o céltico ainda ser língua franca popular, misturada de romance mas com estruturas vivas, só em parte substituída na funçom pelo latim, língua franca culta. Coincide o facto de Pompaelo e Barcino nom dar os regulares *Pamplon e *Barcelon, dos acusativos latinos Pompaelonem e Barcinonem, senom Pamplona e Barcelona, dos acusativos célts. *POMPAILONAN e *BARKINONAN. Assim é mais clara a etimologia barscunes-bascunes (Tovar). Isolados há muito, os bascos protegiam a identidade usando estruturalmente duas línguas, a própria e íntima, e a externa ou franca. A franca primeiro foi o céltico –mais tempo do suposto–, depois su-perpondo-se latim, ora francês e castelhano. Esse uso nom seria só dos bascos, também dos iberos.

http://www.adigal.org.ar/deonomastica.pdf

sábado, 15 de maio de 2010

àrvore da linhagem r1b1b2a1





























neste mapa é analisado o sub-haplogrupo r1b1b2a1 que agrupa vários haplotipos, nem todos com a mesma origem, como se pode constatar.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

linhagem J2a do YDNA na Itália

mapa do megalitismo atlântico



























1- Grutas funerárias
2- Zona atlântica do megalitismo antigo
3- Hipogeus do Sul de Itália e da Sardenha

AUTOR: Guillaine; 1997

sobre a bentania











só me ocorre dizer que estes últimos dias, com a permanência do papa em Portugal, foram um verdadeiro massacre e uma autêntica falta de respeito dos me(r)dia para com todos aqueles que se estão pura e simplesmente nas tintas para o papa e para "deus".
todavia, nos últimos dias fomos literalmente invadidos em nossas casas durante horas e horas a fio...por todos os canais da TV portuguesa - os 3 habituais, fora da TV cabo - o principal dos quais é sustentado com o dinheiro de todos os portugueses e não apenas "alguns".
como anti-cristão, senti-me violentamente provocado com esta histeria dos últimos dias e com este pseudo-consenso, como se fosse estabelecido que é moralmente "obrigatório" para qualquer português passar por este inferno.

mas felizmente posso dizer que já passou e tão depressa não se repetirá.
o papa já se pirou e despediu-se, depois de passar por Lisboa, Fátima e Porto.
ufa, que alivio...

semana do imigrante em Viana


Viana do Castelo organiza a partir de domingo a Semana do Imigrante

A Câmara Municipal de Viana do Castelo vai promover, a partir do próximo domingo (16 de Maio), a Semana do Imigrante. A iniciativa é organizada pela equipa de trabalho do Projecto “Viana do Castelo Cidade Saudável”, que inclui representantes do Centro Local de Apoio à Integração do Imigrante (CLAI), a Caritas Diocesana, o Gabinete de Apoio à Família (GAF), a Escola Secundária de Monserrate e a Escola Superior de Saúde de Viana do Castelo.

A iniciativa integra um programa diversificado que inclui, já no domingo, o Dia Municipal do Migrante com actividades lúdicas na Pousada da Juventude e Jardim da Maria a partir das 10h00.

No dia 18, e sob o tema “Mitos e Factos da Imigração” e “”Acolher e Celebrar”, decorre uma acção de formação para funcionários da Câmara Municipal. A 21 de Maio, na Biblioteca Municipal a partir das 18h30, decorre a tertúlia “Participação e Cidadania”, dirigida ao público em geral e, a 22 de Maio, na Caravela Vera Cruz, decorrem diversas Cerimónias do Chá, num evento dinamizado pelo Instituto Confúcio da Universidade do Minho. Já nos dias 24 e 25 de Maio, no Jardim da Marina, estará a Unidade Móvel pela Diversidade Contra a Discriminação.

A Semana do Imigrante está integrada no Plano de Acção para 2010 deste grupo de trabalho, no qual são incluídas diversas actividades no sentido de promover a participação, a saúde e a coesão social das populações imigrantes residentes no concelho.

A iniciativa assenta na problemática das migrações, um fenómeno que, na actualidade, percorre toda a Europa, com um elevado impacto quer a nível social quer a nível da saúde.

Consciente das dificuldades que estas populações enfrentam no seu relacionamento com as comunidades onde se inserem, que se manifestam a nível da língua, dos hábitos de sociabilidade, do trabalho/emprego, da participação, com repercussões na saúde e no bem-estar, a Organização Mundial da Saúde (OMS) propôs que as cidades que integram o Projecto Cidades Saudáveis, enquadrassem esta problemática nas estratégias de promoção da saúde, o que acontece agora com estas iniciativas.

FONTE
 
 
semana do imigrante...
o que se seguirá?  a semana do negro? e do mulato?  do brasileiro?  do africano?  do timorense?

quarta-feira, 12 de maio de 2010

evolução politica do NO peninsular




























(a partir de 1128, já sem Portucale)

quadrilha apanhada pelo SEF

SEF apanha quadrilha que comercializava BI falsos

Suspeitos faziam casamentos por conveniência e vendiam bilhetes de identidade falsos a preços elevados

Quatro estrangeiros foram constituídos arguidos na madrugada de sexta-feira, em Setúbal, por suspeita de auxílio à imigração ilegal, falsificação de documentos e casamentos de conveniência. Os suspeitos faziam destas actividades uma forma de obter lucros elevados.

Segundo o comunicado do SEF, a acção foi desenvolvida juntamente com a PSP, pelo menos nas quatro buscas domiciliárias feitas às casas dos indivíduos. O SEF diz que a investigação visa "desmantelar uma organização criminosa de cariz transnacional que se dedica, de forma reiterada, à aquisição de bilhetes de identidade" portugueses. Os documentos de identificação provêm de zonas economicamente degradadas, são falsificados e posteriormente vendidos a cidadãos de outros Estados membros da União Europeia em situação irregular no País.

Da acção policial resultou a apreensão de diversa prova documental, sobretudo comprovativos de transferências e depósitos bancários que totalizam milhares de euros e demais documentação e equipamento de suporte informático com conteúdos relacionados com os ilícitos sob investigação.

Não está descartada a hipótese de haver mais detenções no âmbito desta investigação que prossegue, sob coordenação do DIAP de Lisboa, e que tem contado com o apoio das autoridades de outros Estados membros da UE onde esta rede se movimentava e de organismos internacionais como a Europol.
 
FONTE

«cidade-berço» adere ao genocídio

Imigrantes: centro de apoio à integração abre em Guimarães

“A relação de proximidade é o propósito maior”, disse ontem em Guimarães a alta comissária para a imigração. Rosário Farmhouse falava na inauguração do novo Centro Local de Apoio à Integração de Imigrantes.

Localizado no Complexo Multifuncional de Couros, o espaço — visivelmente assinalado a partir do exterior, evidencia no interior a abertura multicultural, mostrando ao lado de publicações sobre a imigração, matrioskas russas, peças subsarianas de artesanato em madeira, um manequim de uma mulher indiana coberta com um véu. Conta com vizinhos como o Cybercentro, que permite uso gratuito de equipamentos informáticos com acesso à internet, a Pousada de Juventude e o Gabinete de Apoio ao Emigrante.

Regularizar permanência e aquisição de nacionalidade

O CLAII tem por objectivo informar e apoiar os imigrantes em questões como a regularização da permanência em território português, aquisição de nacionalidade e constituição de associativismo. Processos de equivalência de habilitações académicas, redacção de contratos de trabalho e orientação na relação com a justiça — designadamente na apresentação de queixas-crime e de denúncias são outras missões assumidas por este gabinete.

Proximidade local e visão global

Rosário Farmhouse, no seu breve discurso, reconheceu que continua a ser difícil fazer passar mensagens correctas e salientou as vantagens que estes serviços têm vindo a proporcionar, arti-culando a proximidade do poder local com a visão mais alargada do poder central. Ainda a sua intervenção, aquela responsável realçou a vantagem da vizinhança com o Gabinete de Apoio ao Emigrante, elogiou a qualidade da sinalização que permite até a quem não conheça Guimarães aceder facilmente ao serviço e frisou que Portugal tem no âmbito da integração dos estrangeiros imagem positiva no exterior.

Ainda recentemente numa conferência em Itália lhe perguntaram a que se deve esse êxito e ela terá respondido: “com a nossa história, porque desde há séculos que os portugueses sabem o que é sair e começar uma vida a partir do nada”, contou a responsável. António Magalhães, o presidente da câmara, vincou que “o mosaico social enriquece com a integração dos que vêm até nós”.

António Magalhães: vinte e seis solicitações

Em declarações ao ‘Correio do Minho’ António Magalhães explicou que “nós tomámos conhecimento desta necessidade através daqueles que procuravam o gabinete de apoio ao emigrante”. “Entendemos trabalhar nesta parceria para melhorar a qualidade do atendimento aos emigrantes que chegam até nós.

A dimensão numérica dos que nos procuram até agora não é grande. Mas tendo em conta que temos muitos estudantes no pólo de Guimarães — da Universidade do Minho —, provenientes de países lusófonos e que temos uma comunidade romena nas Caldas das Taipas e emigrantes de outras nacionalidades, do nosso ponto de vista valia a pena trabalhar esta realidade, para não nos confrontarmos amanhã com alguma falta de preparação”. “Até agora procuraram-nos vinte e seis, que é pouco, não tem expressão”, explica ainda, acrescentado: “sabemos que essa realidade é diferente e estamos a prevenir para encontrar a melhor receita”. Segundo o autarca, o objectivo “é ver quem são, onde estão, onde trabalham, onde estão os filhos”.

Questionado sobre os recursos humanos afectos a este serviço, o presidente da Câmara Municipal de Guimarães adianta que ficam “dois especialistas directamente ligados ao processo e depois se for caso disso toda a máquina da câmara e pontos de contacto com instâncias nacionais”. Entre outros, estiveram presentes, responsáveis do Governo Civil e da Segurança Social.


FONTE

segunda-feira, 10 de maio de 2010

campeão de Portugal...ou de Àfrica?













 isto passar-se-á em Luanda? Maputo?  não...isto passa-se na capital portuguesa, Lisboa. em pleno Marquês de Pombal festeja-se o titulo de uma equipa afric...ups, portuguesa. peço desculpas pelo lapso, mas afinal de contas, as imagens não deixam perceber muito bem "isso"...

sexta-feira, 7 de maio de 2010

sobre os resultados do BNP...

1,9% pode ser um acréscimo de mais que o dobro, mas é óbvio que considero estes resultados como um fracasso, não só porque este crescimento é demasiado lento e curto, numa altura em que se está numa luta contra o tempo e porque urgem medidas muito sérias para "estancar" este genocídio e invasão da Grã-Bretanha, mas também porque o BNP voltou a não conseguir um assento no parlamento e nem sequer conseguiram ser o quarto partido mais votado, conforme era seu objectivo e expectativa.
o nacionalismo pode estar a "crescer"...mas é um crescimento a conta-gotas e pode já ser demasiado tarde para evitar consequências muito graves no futuro.
o poder fica agora entregue aos conservadores (o CDS - Paulo Portas de lá) que prometeram "limitar" a imigração, embora não tenham conseguido a maioria.
veremos o que o futuro reserva ao povo britânico...mas por enquanto, ele vislumbra-se bastante negro, no meu entender. 

«lógica» teista




























ainda no seguimento do tópico anterior, fica aqui um cartaz que pode parecer "humoristico", mas que, na realidade, espelha de forma incrivelmente fidedigna a maneira de "argumentar" de alguns crentes teístas.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

reduzir teístas ao absurdo...




























pois é...o patético argumento da "ausência de provas" contra a existência de deuses, usado e abusado pelos teístas, vale para praticamente tudo.  dá para tudo.
também não foi provado que não há ciclopes...ou ET´s...ou marcianos...ou dinossauros noutros planetas...ou vida no centro da terra...ou tudo o que se quiser imaginar...
simplesmente, as pessoas estão mais habituadas a "crer" em deuses, por terem sido assim educadas. e querem muito "crer" em deuses.
pela lógica normal, quem quiser afirmar que algo existe, é que tem que demonstrá-lo e não passar aos outros o "ónus" (como se costuma dizer) de ter que arranjar provas contra a existência de algo...invisivel. 
isso não é racional.
quando se diz isto aos "teistas" eles ficam desarmados, sem argumentos e depois só sabem repetir a K7 riscada de sempre...

dia de eleições no Reino Unido


Eleições: Reino Unido pode virar hoje à direita
As eleições gerais, que decorrem esta quinta-feira no Reino Unido, podem significar uma viragem à direita daquele país, após 13 anos de poder Trabalhista, com a vitória do Partido Conservador de David Cameron. Cerca de 45 milhões de britânicos são hoje chamados às urnas, naquelas que são as eleições mais disputadas em terras de Sua Majestade.

Cameron é o vencedor das últimzs sondagens, mas o número de indecisos é muito elevado (40%), o que pode fazer desequilibrar a balança. O Partido Trabalhista, do actual primeiro-ministro, Gordon Brown, surge em segundo lugar, próximos dos liberais democratas, de Nick Clegg. Crê-se que Cameron não consiga a maioria absoluta, o que pode significar, pela primeira vez na história britânica, um governo de coligação.

O partido de extrema-direita, o BNP, espera ser o quarto mais votado, devido aos receios dos britânicos em relação à imigração, sendo favorável à saída da União Europeia (UE).

A campanha teve como novidade os debates televisivos entre os líderes dos principais partidos, com destaque para a ascensão de Nick Clegg, maioritariamente o favorito após cada programa. A popularidade pode dar grande poder negocial ao partido liberal democrata, na hipótese de um governo de coligação.

Gordon Brown insistiu na economia, o seu ponto forte, durante a campanha eleitoral, argumentando que só ele será capaz de consolidar a recuperação económica que se está a preparar.

FONTE
 
 
 
esperamos acima de tudo a subida do BNP, pois uma possivel vitória dos conservadores em detrimento dos trabalhistas é irrelevante.
o único partido que é realmente contra a imigração chama-se BNP.  o resto são "peanuts".

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Guterres e os refugiados...

ONU alerta sobre aumento da rejeição a imigrantes em países mediterrânicos

O alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, o português António Guterres, advertiu nesta quarta-feira sobre o aumento da rejeição social aos imigrantes nos países europeus do Mar Mediterrâneo, diante do surgimento de focos de populismo.

Em entrevista à imprensa, Guterres mencionou particularmente a Itália, que "fechou suas portas aos refugiados africanos" após assinar um acordo com a Líbia.

No entanto, ele felicitou a "esperançosa" intenção da Grécia de reformar em profundidade um sistema de asilo "completamente injusto".

"Os problemas devem ser discutidos de forma racional, e não de maneira emocional", enunciou o dirigente português. Segundo ele, "a Europa não poderia sobreviver sem a imigração", devido ao envelhecimento de sua população.

Guterres - que na semana passada obteve teve o mandato renovado em mais cinco anos - expressou sua preocupação diante da erosão do direito de asilo na Europa e perante a profusão de estereótipos negativos sobre os estrangeiros.

"Todas as sociedades estão em vias de se transformar em multirreligiosas e multiculturais. É irreversível", proclamou Guterres. Para ele, "querer combater essa tendência é uma ilusão, um suicídio".

FONTE: Agencia EFE
 
FONTE
 
 

«combater esta tendência é um suicidio» (mais suicida que o actual genocídio, caro palhaço Guterres?)

linhagens Y-DNA E3b e J2 na itália



terça-feira, 4 de maio de 2010