"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

segunda-feira, 29 de junho de 2015

domingo, 28 de junho de 2015

em Utøya foi assim...

















só para recordar que em 2011, no acampamento da juventude 'trabalhista' de Utøya pouco tempo antes do massacre do psicopata ziocon Breivik, havia cartazes a apelar ao boicote a israel.
escusado é dizer que nessa juventude trabalhista não havia judeus e nenhum ou quase nenhum islâmico. praticamente só jovens noruegueses Arianos. cerca de 30 foram barbaramente mortos pelo psicopata ziocon. isto, para quem ainda possa ter dúvidas acerca das 'motivações' do atentado. a falsa dialéctica entre 'direita' e 'esquerda' serve para criar conflitos artificiais, mas só entre Arianos, que por vezes passam para lá dos limites. este atentado, os ziocons não puderam mesmo atribuir ao islão, por mais que desejassem (e desejavam muito). o intuito foi culpar não o islão, mas os nacionalistas, a erradamente chamada 'extrema-direita'.

vou-me abster, pelo menos para já, de tecer grandes comentários acerca dos 'atentados' múltiplos de anteontem dia 26, primeiro porque no que concerne a esses supostos 'atentados', para mim, só o de Lyon onde alegadamente uma pessoa foi decapitada, me interessa mais. segundo, porque me parece mais uma vez, um não-facto, uma não-notícia criada pelos mass mé(r)dia, com o intuito de fazer manipulação emocional e jogos psicológicos. e este blogue existe para comentar factos, não para comentar não-factos.

sábado, 27 de junho de 2015

«um dia não haverá portugueses»


Numa conferência organizada pelo Jornal de Notícias, o eurodeputado social-democrata, Paulo Rangel comentou a situação portuguesa considerando que “vai haver um dia em que não vai haver portugueses”, afirmou, acrescentando que o papel dos Estados-nação tem de se transformar.

“Os governos, os parlamentos, já não têm capacidade de resposta para os problemas, que agora têm uma dimensão transterritorial”, referiu Rangel, citado pelo semanário Expresso.

Para o eurodeputado, “os votos valem hoje menos do que valiam no passado”.

Desta forma, “as fórmulas políticas podem morrer e há de chegar o dia em que não vai haver Portugal. Isto pode parecer dramático, mas é real”.

FONTE


















outros contributos do PSD para os valores e identidade do país:
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2011/05/passos-coelho-o-africano.html
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2011/05/nobre-o-africano-ii-nao-quer-ser-so.html
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2012/01/governo-quer-travar-saida-de-imigrantes.html
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2012/02/por-que-no-te-callas.html
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2014/05/ppd-40-anos-mentir-roubar-e-miscigenar.html
http://hyperborea-land.blogspot.pt/2015/05/ue-quer-quotas-para-imigrantes.html
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/as_varias_declaracoes_de_apelo_a_emigracao.html

sexta-feira, 26 de junho de 2015

segunda-feira, 22 de junho de 2015

sensacionalismo anti-branco vs realidade

duplo critério, hipocrisia e sensacionalismo anti-branco.
quando o criminoso é branco, a raça é gritada alto e bom som, e ainda demonizada.
quando o criminoso não é branco, a raça é ocultada e relativizada.














































factos que os mass merda escondem e jamais mostrarão:






























domingo, 21 de junho de 2015

acabou bem a festa...
















um abraço ao Swedish Resistance e parabéns!




quinta-feira, 18 de junho de 2015

quinta-feira, 11 de junho de 2015

25-A, golpe cia e rothschilds


Na véspera de um dia de mistificação, vou-vos contar uma história, esta autêntica... 
Os cravos vermelhos são, desde o Séc. XIX, um dos principais símbolos dos Rothschilds e dos banqueiros da City de Londres. Simbolizam o poder da banca internacional, como muito bem é caracterizado no final do filme «Mary Poppins» do Walt Disney (que detestava os banqueiros e os Rothschilds)...
No dia 22 de Abril de 1974, entra no Tejo uma esquadra da NATO/OTAN, incluindo um porta-aviões e dois navios de guerra electrónica, o USS Warrior e o Iate Apollo. Na noite desse dia, decarregam cerca de trinta contentores no porto de Lisboa, cheios de cravos vermelhos da América do Sul. Para quem não saiba, em Portugal os cravos só florescem nos finais de Maio e início de Junho... Agora há estufas para cultura intensiva, mas na época não...
Na madrugada do dia 25/4, uma frota de camiões da NATO distribuiu esses cravos por várias unidades militares revoltosas, para que os soldados os colocassem nos canos das armas. Finalidade: indicar às forças «amigas» (da banca internacional) que estava tudo bem, e que o golpe era controlado por «eles»... Isto foi-me confirmado por várias fontes militares ligadas à NATO...
Depois, para encobrir a vergonhosa verdade, inventou-se a historieta (para tótós) de que teria sido uma certa D. Celeste Martins Caeiro, empregada da limpeza de um restaurante no edifício «Franjinhas» da rua Brancaamp que, tendo o dono (não era um dono, mas uma dona, e a «história» para tótós está toda aldrabada), que estava a aprontar a sala para a inauguração, dito para os empregados levarem as flores (cravos que ainda não havia à venda nessa altura em Portugal) para casa... A D. Celeste leva-as para o Largo do Carmo - pessoalmente, a comandar uma frota de camiões da NATO - e começa a distribuir os ditos cravos, sabendo de antemão o que nem a PIDE/DGS suspeitava!
Outras «fontes revolucionárias» dão a D. Celeste como florista com lojinha no edifício do Cinema Império, que, com colegas, andou a recolher cravos inexistentes nos stocks para distribuir aos revoltosos... Estava mais bem informada que a PIDE, a CIA e a KGB, não contando o MI6 de Sua Magestade...
Enfim, e assim se alicerçam «a martelo» as mentirolas de Abril... Não a 1, mas a 25... E continuam...

Carlos S Silva


A «Revolução dos Cravos» não passou de um golpe da CIA.
A censura do Facebook apagou-me há tempos um post onde eu explicava detalhadamente a orquestração do 25 de Abril de 1974 pela CIA americana, e descrevia a distribuição dos cravos vermelhos - símbolo da banca da City de Londres - pelas forças da OTAN que haviam entrado no Tejo a 22 de Abril...
Também descrevi, num dos comentários, o episódio em que as forças revoltosas da Escola Prática de Cavalaria foram paradas pelos blindados de lagartas (tanques M47) do Regimento de Cavalaria 7, fiéis ao governo de Marcello Caetano, quando estavam no Terreiro do Paço e avançavam para a Ribeira das Naus (primeira foto). Nesse momento, a fragata Gago Coutinho (segunda foto) posicionou-se frente à praça, para fazer fogo sobre os revoltosos assim bloqueados, caso estes não se rendessem.
Nesse momento, o contratorpedeiro canadiano Huron das forças da OTAN meteu-se entre a Gago Coutinho e a Praça, anulando intencionalmente a manobra da nossa fragata, e abrindo caminho aos revoltosos (terceira foto).
Por fim, na página de Lisboa de Antigamente, encontrei as fotos da sequência funesta, demonstrando que afinal, a «Revolução dos Cravos» não passou de um golpe americano da CIA...
Se calhar, também me vão censurar este post...




quarta-feira, 10 de junho de 2015

terça-feira, 9 de junho de 2015

maravilhas democráticas


























créditos ao leitor Pedro Lopes por este gráfico.

e de brinde ainda trago:










sexta-feira, 5 de junho de 2015

Hellstorm - genocídio alemão

Hellstorm Exposing The Real HOLOCAUST: the Genocide of Nazi Germany

segunda-feira, 1 de junho de 2015

recordar é viver

Vladimir Putin: Those who say "Russia for Russians" are idiots


Putin: "Russia eternally multicultural"
video