"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

sexta-feira, 30 de maio de 2014

a grande israel






















o sionismo do início do século passado, visto pelo prisma do seu próprio ideólogo, é isto, é o projecto da "grande israel". pelo que continuar a comparar sionismo com nacionalismo étnico Ariano, como se tivesse alguma coisa a ver, ou dizer que sionismo não é expansionista, colonialista nem terrorista e é só a "terra prometida" de israel, é evidentemente uma falácia grotesca.  será coincidência que quase toda aquela zona esteja ameaçada ou mesmo já debaixo do poderio yankee-sionista?  daí as "primaveras àrabes", as Sírias, as invasões do Iraque e etc


e quem paga no meio disto tudo? é claro, o soldado Ariano e o contribuinte Ariano, com sangue, suor, lágrimas, ou até a própria vida. e acreditando mesmo que está a lutar pelo seu país, pelos "direitos humanos", pela "democracia", contra o terrorismo, a tirania ou armas químicas.

invasão Espanha II

















se calhar, quem tem razão é o Le Pen, quando fala do ebola como forma de conter esta autêntica praga.

a família britânica ideal


casamentos mistos sobem na Alemanha

















FONTE

felizmente que, ao menos, o NPD lá conseguiu pela 1ªvez um deputado no parlamento europeu, depois de anos e anos a penar. pode ser que consiga alavancar e conseguir melhores resultados também a nível legislativo. porque é a única solução, por ora.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

o nacionalista democrata



a argumentação dos nacionalistas democratas é sempre curiosa e resume-se precisamente a falta de argumentário. os nacionalistas que não gostam da democracia ficaram parados lá atrás no tempo :)
ou seja, tudo o que é presente e actual, é bom, tudo o que for passado é mau.
foda-se, cambada de retrógados, evoluam! aceitem a "civilização"! deixem de viver nos anos 30!  aceitem as drogas, a pedofilia, o homossexualismo, e afins. aceitem a democracia, evoluam e adaptem-se! porque se é moderno, é bom. se é antigo, é mau! as coisas são boas, porque existem agora.
ora qualquer "antifa" diz coisas destas, e qualquer gajo da PIDE podia dizer o mesmo a qualquer democratazinho nos anos 60 e afins:  "adapta-te ao presente, meu filha da puta. já não estamos em 1910-1926, o tempo passou."
grandes exemplos de "civilização democrática" são os EUA ou então o Brasil, com cerca de 70.000 mortos nas ruas por cada ano que passa.
agora, quanto a critérios de selecção, esses mesmos democratas mal conseguem explicar e muito menos convencer alguém dos seus próprios critérios subjectivos, irreais e singulares, mas exigem que os outros expliquem muito bem uma coisa que até já foi feita várias vezes na história.
nem conseguem explicar quais são os critérios de selecção dentro dos próprios partidos democráticos, ou quais são os critérios de selecção para um filho quase suceder a um pai (Bush I e II com Clinton pelo meio). ou para um primo em 11ºgrau deste "clã", lhe suceder.
ou para quase todos os presidentes dos EUA e 1ºs ministros de Portugal,de França e outros países, serem maçons.
mas a democracia é boa porque sim, porque é. e porque os seus critérios de selecção são óptimos, limpinhos, transparentes e honestos.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

«diversidade» é genocídio





democracia, estado novo e voto forçado














sinceramente, eu nem queria chegar a publicar nada disto, mas começo a ficar cansado de ler por aí disparates de alguns nacionalistas ditos "esclarecidos", "civilizados" e "modernaços" que gostam de falar por toda a gente e dizer inanidades tipo "nenhum europeu civilizado legitimaria golpes de estado, "ditaduras" ou governos não-democráticos" (como se pudessem garantir uma coisa dessas ou tivessem uma procuração para falar em nome de todos) ou então "isso da abstenção ou de dizerem que não acreditam na democracia, é só forma de protesto ou exagero, não significa que queiram viver noutro regime". 
o gráfico de cima faz parte de uma sondagem do jornal Expresso e da SIC (notícias) cujo proprietário de ambos é/foi um dos pais, promotores e fundadores do regime actual. LOGO, é uma fonte insuspeitíssima, e os resultados com toda a certeza até foram manipulados a favor do regime actual, já para não falar no título flagrantemente desonesto que o "expresso" escolheu: "uma rejeição absoluta e unânime do Estado Novo".
quero ainda deixar claro que eu não me identifico muito com o Estado Novo, não por "falta da democracia", mas por causa da ideologia. logo, eu também estou à vontade, já que não estou a promover o Estado Novo.
aqui se pode ver que o Estado Novo nem sequer era de extrema-direita, da verdadeira extrema-direita fascista, pois não fazia sentido um "golpe de extrema-direita" para derrubar um regime que já fosse de extrema-direita.

ora, na sondagem acima, 19% responderam que o Estado Novo foi mais positivo que negativo. outros 28% responderam que foi tão positivo como negativo (ou seja neutro), 42% responderam que foi mais negativo que positivo e 11% nem responderam.
portanto, para 42% o Estado Novo foi negativo, para 47%, ou foi positivo, ou foi neutro (eu incluo-me no grupo dos neutros). no entanto, o jornal em questão achou por bem escolher o título que escolheu.
os resultados, ainda por cima, melhoraram a favor do regime anterior desde a última sondagem há 10 anos. em 2004, 50% achavam que o Estado Novo foi mais negativo, agora só 42% acham isso.
tudo isto bate certo com os resultados da abstenção, da desilusão com a democracia, não apenas com o funcionamento da mesma, mas com o sistema em si.  encaixa tudo.
há praticamente 20% de pessoas nesta sondagem que acham o Estado Novo mais positivo que negativo.
se calhar até foram mais, como expliquei, porque essas sondagens são aldrabadas.
mas no entanto temos "iluminados" que nos garantem que "nenhum europeu civilizado do séc.XXI legitimaria golpes ou regimes não-democráticos" e tudo isto com uma certeza arrepiante e impressionante.
faz lembrar a arrogância dos que depois ficaram chateados quando Salazar ganhou o concurso dos "grandes portugueses" em 2007. e eu garanto que não sou admirador de Salazar. nunca fui. e não votei em ninguém nesse concurso.

por outra banda, temos também aquelas figuras sinistras que apesar da sua máscara de "liberais" e "libertários", chegam a defender a obrigatoriedade do voto (num claro atentado à liberdade), no que são acompanhadas por alguns desses ditos "civilizados" e "esclarecidos" que mencionei acima.  porém, o grau de desfaçatez e impunidade é tanto, que chegam ao descaramento de admitir que o voto obrigatório não é apenas para favorecer a democracia, mas inclusivamente o seu próprio partidozeco/estábulo. ora veja-se:

 "Com este PS não é fácil ter consensos de revisão, nem em matérias fundamentais", acrescentou. Por outro lado, os "partidos de contestação" também iriam todos protestar, "porque eles ganham com a abstenção"."O 'PC' vai atirar-se ao ar com defesa da democracia, o BE, uma parte do PS".

ou seja, quem defende o voto obrigatório, além de ser contra as liberdades básicas, também quer transformar cada vez mais o curral da républica numa ditadura bipartidária ou num quintalzinho privado, porque sabe que as pessoas que se abstêm são principalmente dos grandes partidos e que a mentalidade das pessoas é votar, não para o partido A ganhar, mas sim para o partido B perder e que isso é um ciclo vicioso sem fim.

além disso, a preocupação é com os outros partidos que podiam protestar. nem lhe passou pela cabeça a ideia de serem as pessoas a não gostarem dessa imposição, é claro. afinal trata-se de quem se trata.

só falta meterem o voto como obrigatório (nalguns países já é), e depois disso retirar o voto nulo ou em branco, para a pessoa obrigatoriamente votar nalgum partido. e depois disso, o passo seguinte já sei qual é, é apenas poderem votar num dos 5 partidos do curral da républica e etc

que o sistema faça esse papel, eu até entendo. agora que alguns que se dizem "anti-sistema" andem a defender o mesmo sistema de voto obrigatório, como se ele não aproveitasse aos donos do sistema, seja num sistema partidário representativo ou seja noutro, já é coisa que me ultrapassa mesmo.

terça-feira, 27 de maio de 2014

a verdadeira face católica
























o papa ao beija-mão dos judeus.  há imagens que valem por mil palavras.
mas há alguma coisa que distinga esta escumalha entre si?  até a merda do solidéu branco é idêntico à merda do kipá. é apenas um reencontro entre ramos semitas diferentes que se separaram algures lá atrás. esta escumalha merece-se integralmente.
pobres daqueles que ainda acreditarem em dicotomias tipo cristianismo vs judaísmo ou cristianismo vs maçonaria ou cristianismo vs mundialismo.
e de brinde, aqui vai outra imagem concludente:
o papa ao beija-mão a um homossexual.
pobres dos que acreditarem que o cristianismo é aliado de algum nacionalismo. pobres dos que acreditarem que o cristianismo luta contra o homossexualismo ou contra a degeneração da sociedade.
o cristianismo e o vaticano existem apenas para controlar a manada, seja ela branca, preta ou castanha, homossexual ou heterossexual. quantos mais melhor. e quanto mais poder tiverem num futuro governo único mundial, para eles melhor.

duas visões da Europa pelo Jobbik






















parabéns ao Jobbik. quanto à barbuda "austríaca" nem sequer pinta de ser nativo tem.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Europeias

 
o Hyperborea saúda a vitória do DPP (Partido Popular Dinamarquês), desconhecendo eu a sua qualidade, saúda a vitória da N-VA (Nova Aliança Flamenga) na Bélgica e até saúda a vitória da FN francesa, porque quanto mais depressa ficar demonstrado aos olhos de todos que a FN pouco vale, mais depressa se pensa em arranjar uma alternativa que, neste momento, não existe.
saúda também o terceiro lugar da Aurora Dourada na Grécia, do FPÖ na Austria (caso parecido ao da FN) e do Jobbik na Hungria.
por cá, é de felicitar a taxa de abstenção recordista na casa dos 65,5%, que somado aos nulos e brancos, dá uma abstenção partidária de 73%.  é obra e é de felicitar. parece que cada vez mais gente começa a acordar para a realidade política corrupta do bipartidarismo.  em comparação com as europeias de há 10 anos (2004) o PS teve cerca de menos 11% e o PSD menos 4%. 
é muito fácil entender a quem é que a abstenção anda a "comer" votos.  só não percebe quem não quer ou quem usa palas/vendas nos olhos.
 
 
 
por cá o PNR ainda vai ter que esperar mais uns valentes anos, mesmo para meter um deputado na AR. mas até que 0,47% ao fim de 14 anos pode ser considerado bom. quem disser o contrário, está a leste da realidade.  mas há agora imenso terreno bravio por onde crescer.
se há urgência em ir para o poder, o PNR que comece a pensar em juntar-se a militares e outros, para darem um golpe de estado. por mim...quanto mais cedo, melhor.
para os que pensam que a democracia é muito "móvel" e nada estagnada, é só ver o caso do Reino Unido, que só agora ao fim de 103! anos, é que interrompeu o bipartidarismo.
que grande "mobilidade" e "alternância" democrática esta, que só permite eleger dois partidos em qualquer eleição, durante mais de um século.

a colossal dívida americana






































e estes dados estão todos desactualizados.  mas espera lá, não foi o queniano quem disse uma vez que "não somos a Grécia e não somos Portugal"??  não é que o queniano tinha razão?  pois não são, não. são muito piores. e são uma vergonha colossal. enquanto os verdadeiros americanos não correrem com quem os endivida propositadamente desta maneira, estão feitos ao bife.

domingo, 25 de maio de 2014

e é isto, o UKIP (parte 2)



[White immigration from EU countries] “it shuts out immigrants from the places that have traditionally enriched Britain, such as Africa and Asia.”


a frase promocional do UKIP supra-citada é elucidativa e cristalina. e o cartaz ao lado idem. é algo tão óbvio que fala por si mesmo. o UKIP não tem nada contra a imigração em si. se tiver, é contra a de alguns países membros da UE como a Roménia e Bulgária. o UKIP quer apenas ser ELE a controlar a imigração para o RU em vez da UE, e inclusive dar primazia a imigração não-branca.
posto isto, se o próprio UKIP o diz e rediz com todas as letras, seja com cartazes ou frases, ou imagens, seja no parlamento etc, etc, como é que alguns PODEM alegar que a população DESCONHECE estes factos e acredita que está a votar em algo identitário???
como é que alguns PODEM alegar que o voto no UKIP é algo bom, porque revela "saúde" do povo?
é uma mentalidade mais ou menos assim:  não importa que o povo esteja a ser conduzido para a frigideira, o que importa é que o povo PENSA que está no bom caminho (nem isso pode pensar, mas vamos "fingir" que sim, por um momento).
é algo do género: o povo pode ser destruído, mas isso nada significa e é secundário, porque o importante é aquilo em que o povo acredita...ou acreditava, antes de ser extinto. isto é uma abstracção e uma aberração intelectual sem limites e sem precedentes. NÃO HÁ aspectos positivos no facto de um povo caminhar voluntariamente para a extinção. repito: NÃO HÁ!

Farage disse alto e bom som, com todas as letras e mais algumas que QUER imigração, e disse-o à frente de toda a gente!  NINGUÉM pode alegar que desconhece isto. repito, NINGUÉM.
se dúvidas houvessem, ficou escancarado em cartazes, frases promocionais e não só (já lá vamos)
o resto do sistema pode fingir o contrário por conveniência própria, mas a população? que desculpa tem ela? QUANDO é que o UKIP prometeu acabar com a imigração?? onde?
portanto, quem vota no UKIP CONCORDA com a imigração não-branca. ponto final parágrafo.
e para não haver demagogias de que a frase de Farage foi retirada do contexto, está aqui o que ele diz a seguir. chega a dizer que não são discriminatórios nem procuram arranjar "bodes expiatórios", e que querem apenas ser eles a controlar a imigração.

neste video também, o líder do UKIP faz uma humilhante figura, quase a rastejar para não ser chamado "racista", diz e rediz e repete várias vezes e em vários contextos (até na TV) que o UKIP não é racista de forma ou maneira alguma, em aspecto algum. e, claro, aparece rodeado de candidatos não-brancos do partido. quem pode alegar que desconhece tudo isto?  mais aqui

aqui, Nick Griffin explica a política de imigração do UKIP. diz que basicamente o UKIP não tem política de imigração, que está em cima do muro, que é contra a imigração da UE, que o UKIP olha para a imigração apenas em termos de números (população) e que quer substituir lentamente os trabalhadores britânicos por trabalhadores não-brancos no que ele chama de política de imigração "equilibrada".
ou seja, por cada britânico que deixa o país para viver no estrangeiro, um imigrante não-branco (de África, Caribe, etc) deve substitui-lo. Griffin diz que se se olhar para as taxas de natalidade e mortandade e para as políticas de imigração do UKIP, os britânicos serão substituídos à razão de 1 milhão cada ano.

mas será só por isto que o UKIP não é de confiança??  claro que não. há várias outras razões.

aqui, o BNP expõe 5 factos sobre o UKIP.
o UKIP não é sequer anti-islâmico, tem até candidatos islâmicos  nas suas listas e um porta-voz islâmico chamado Mojeeb Bhutto. para o UKIP o Islão não é perigo nenhum.


o UKIP é também um partido capitalista, elitista e thatcherista que quer asfixiar o comum trabalhador britânico, talvez para facilitar a tal substituição populacional, entre outras coisas.
o BNP denuncia também a tanga do UKIP ser a favor dos empregos para britânicos, em detrimento, por exemplo, de polacos.
de facto, o UKIP emprega polacos que recebem fortunas, em vez de britânicos.

agora, mais uns factos, acrescento eu. além de tudo o exposto acima, o UKIP é ainda um partido sionista. ou seja é um partido tão sistémico, como o Cameron ou qualquer outro.

o UKIP não pode sequer ser encaixado na mesma categoria dos minho-timoristas portugueses, porque de facto os minho-timoristas não queriam/querem substituir a população do seu próprio país.
os minho-timoristas dificilmente pactuam com islâmicos, e alguns deles mesmo, também não pactuam com sionistas.
a semelhança com os minho-timoristas é apenas que querem privilegiar os laços com habitantes das ex-colónias falantes da mesma língua. mas nem isso o fazem da mesma forma. os minho-timoristas faziam-no sobretudo lá longe e relativamente pouco cá dentro. já o UKIP quer fazê-lo sobretudo "cá dentro" e em proporções bem maiores.

o UKIP é apenas um partido liberal, capitalista e neo-conservador. nada mais do que isto.
o facto de ser contra a UE não lhe trás qualquer mais-valia.
é que nem sequer vêm os islâmicos como uma ameaça, é que nem isso. nem sequer isso o liga ao BNP, nada de nada de nada. o UKIP é contra a UE (por razões diferentes) e as coincidências ficam por aí.

defende a diversidade

ucranianas, inglesas, suiças, espanholas, italianas, checas, suecas, polacas, irlandesas, francesas, belgas, russas, etc
já temos diversidade que chegue. aliás, até temos pouca, porque a este ritmo, mais 50 ou 70 anos e os cerca de 4% da população mundial que representam as mulheres brancas, podem extinguir-se para todo o sempre.
nada há de mais belo na Terra do que a beleza da mulher ariana.
por isso é um dever preservar esta diversidade.
sem apelos fáceis ao sexo ou ao nudismo, nem nordicismos excessivos e recalcados.
na verdade, foram escolhidos para esta imagem exemplares de países mediterrânicos como Itália ou Espanha e outros como a França que também são parte-mediterrânicos. (faltou Grécia e Portugal)
para que a beleza da mulher ariana nunca desapareça da face da terra.

sábado, 24 de maio de 2014

e é isto, o UKIP






















o que tem mais piada no meio disto tudo, é que apesar de tanto piscar de olhos da FN francesa ao UKIP (além de vilificar o BNP, AD e outros partidos), apesar disso, o UKIP mandou a FN ir bugiar, como se pode ver aqui.
dá, efectivamente, vontade de rir. o circo democrático é, efectivamente, um circo de palhaços tristes.

vadias femen a nú e sem máscaras

não. quando digo "a nú", desta vez não é nesse sentido a que já estamos habituados. é noutro.
desta vez, as vadias femen francesas estão a apelar às francesas para terem filhos com imigrantes, porque segundo as vadias, "os estrangeiros f.... melhor!"



"Las Femen piden a las francesas que tengan sexo con inmigrantes: “¡Los extranjeros follan mejor!”

Hace unos días, en plena campaña para las elecciones europeas, la presidenta del Frente Nacional francés, Marine Le Pen, abogó ante una multitud de simpatizantes por una política natalista, en lugar de la propuesta de la UE de obligar a Europa a aceptar 50 millones más de inmigrantes.
En respuesta a las palabras de Marine Le Pen la organización Femen ha lanzado su propia propuesta en su página Facebook: que las francesas tenga sexo con la mayor cantidad posible de extranjeros antes de las elecciones​. Su mensaje está ilustrado con la imagen de una militante del movimiento Femen con la leyenda siguiente pintada en su cuerpo: “¡Los extranjeros follan mejor!”
La foto va acompañada del siguiente texto:
​”Marine Le Pen ha llamado a la población francesa a “fabricar niños franceses” para hacer frente a “una enorme inmigración”​. ¡Alerta! La epidemia fascista es una ETS que está tratando de contaminar nuestras vaginas. A modo de remedio, las sextremistas Femen se dirigen a todas las francesas invitándolas a follar, chupar, hacerse lamer, meter los dedos y montar tantos extranjeros como puedan antes de las elecciones europeas. Contamos con vosotras para que os metáis tantos bollos como podáis en vuestro horno. Femen da la señal de salida para el maratón del sexo. La Francia cosmopolita vencerá a la mafia FN. ¡LOS EXTRANJEROS FOLLAN MEJOR!”."

FONTE


nem me dei ao trabalho de traduzir porque é tudo evidente e claro demais.
as vadias FEMEN pagas pelo judeu Soros e por outros judeus, estão na linha da frente de tudo o que é miscigenação e destruição do Ocidente, isto de forma deliberada e consciente, mas ainda há palermas idiotas úteis que afirmam: "ah e tal, as feministas só querem defender os direitos das mulheres, não têm nada a ver com nenhuma destruição da Europa e Ocidente em geral". sim, pois claro! como se já não bastassem as Manifs "antirracistas" e anti-nacionalistas, como se não bastassem as Manifs a celebrar Dresden e outros holocaustos, temos agora isto. é maravilhoso...

PS: obrigado ao leitor que deu a conhecer esta notícia.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

democracia não é liberdade

Democracy is not Freedom!
video
"A democracia não é nada mais do que a regra da multidão, em que 51% das pessoas podem tirar os direitos das outras 49%." - Thomas Jefferson
"Democracia são dois lobos e uma ovelha que decidem o que comer ao jantar. Liberdade é um cordeiro bem armado que contesta o voto”. – Benjamin Franklin 

"A democracia é a forma mais vil de governo...as democracias sempre foram espectáculos de turbulência e discórdia: foram sempre consideradas incompatíveis com a segurança pessoal ou com os direitos de propriedade, e têm, em geral, sido tão curtas as suas vidas como violentas as suas mortes." - James Madison

"Democracia...enquanto dura, é mais sangrenta que qualquer aristocracia ou monarquia. Lembrem-se, a democracia nunca dura muito tempo. Ela cedo desgasta-se, exaura-se e comete suícidio. Nunca houve uma democracia que não se tenha suicidado." - John Adams
com uma belíssima banda sonora ariana e celta à mistura, se prova que democracia não só não é liberdade, como pode, se levada a sério e num sentido literal, ir inerentemente contra as liberdades. quer seja representativa ou directa, a democracia nunca é liberdade.
democracia é simplesmente a vontade da maioria, e nada impede que essa vontade vá contra as liberdades de A,B ou C. as duas primeiras frases de Jefferson e Franklin são elucidativas quanto a esse aspecto.
a democracia pode ser também incompatível com a propriedade privada.
o vídeo explica que, ao contrário do que se julga, os Pais Fundadores da América não tinham em mente um governo democrático, mas sim uma républica "aristocrática". (segundo Erik von Kuehnelt-Leddihn)
a constituição foi escrita precisamente para garantir as liberdades básicas e individuais e protegê-las contra a tirania das "maiorias" (ou dos governos).
as ideias democráticas vieram com Andrew Jackson.  a palavra democracia não surge na Declaração de Independência ou na Constituição dos EUA, país fundado como uma républica constitucional.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

genocídio ariano pela violência negróide











a realidade das civilizações
































nota: o propósito não é a apologia do "supremacismo branco" nem nada semelhante. é apenas mostrar a diferença e o contraste civilizacional inquestionável entre as raças branca e negra.
o facto de não se pôr a tónica no racismo negativo ou na "supremacia", também não significa que se vá agora andar a negar factos e evidências com discursos politicamente correctos.  a raça branca é intelectualmente, civilizacionalmente e criativamente superior à raça negra. é um facto antigo.  não é defesa nem de colonialismo, nem de supremacias, escravaturas, extermínios ou tutelas de qualquer espécie, mas tão somente a constatação de um facto empírico. a tónica está na diferença, não na supremacia. e está sobretudo em desconstruir o mito da raça negra vitimizada e coitada que só é como é, porque foi explorada e colonizada pelo "maldito" opressor branco.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

lavagem cerebral na RTP















quem quiser ver como se faz lavagem cerebral de sentido único na estação pública pode ver aqui:
FONTE

o programa devia ser "contras e contras".
aliás, até podia ser "prós e contras". contra o racialismo branco, mas a favor do racismo anti-branco.


frases da noite:
"não há nem nunca houve racismo em Àfrica e toda a gente é bem recebida" (Obikwelu) (sim, como aqui ou aqui)

"tudo o que as pessoas sabem dos ciganos é baseado nos media sensacionalistas" (Piménio, cigano)

"os ciganos têm coisas muito boas para dar" (Piménio)

"a frase mais racista que já ouvi foi Marinho Pinto a dizer que a única coisa que o Brasil exporta é prostitutas"(Mamadou do SOS racismo)

"quais descobrimentos?" (Mamadou)

"a educação (lavagem cerebral) contra o racismo deve começar logo aos 3 anos"  (Rosário Farmhouse, ACIDI)

"há um politicamente correcto instituído na sociedade que faz que as pessoas nem sempre expressem o que sentem" (Rosário Farmhouse) xD xD esta é mesmo para rir!

"descobrimentos é racismo e colonialismo" (Silvia Maeso)

segunda-feira, 19 de maio de 2014

propaganda do BNP

Banned BNP 2014 Broadcast
video
um vídeo que mostra uma propaganda jeitosa do BNP, em que se demonstra que o BNP é o único que defende realmente o povo britânico. logo no início do vídeo se prova que o UKIP é a FAVOR da imigração, e sem precisar de "truques", recorrendo única e exclusivamente às palavrinhas do seu líder (Farage). nunca o UKIP disse ser contra a imigração ou prometeu acabar com ela, pelo contrário.
o resto da propaganda recai quase exclusivamente sobre a invasão islâmica e os seus efeitos, como tanto gostam alguns nacionalistas. e depois termina com depoimentos de apoio ao BNP de alguns britânicos.
antes disso, teve graça a parte do cão com o símbolo do BNP na coleira, a expulsar a maralha do UKIP. :)

sábado, 17 de maio de 2014

delito de opinião na democracia perfeita

Geneva - A 55-year-old man has been found guilty of racial discrimination by a Geneva court for posting antisemitic articles on the internet.

The court heard that the man had directed his comments against all Jews and had denied the Holocaust existed in 50 articles published between January 2010 and May this year.

Although he’d repeatedly been asked by authorities to remove the texts, he refused to do so.

He was sentenced to six months in prison.

FONTE

quarta-feira, 14 de maio de 2014

terça-feira, 13 de maio de 2014

segunda-feira, 12 de maio de 2014

sábado, 10 de maio de 2014

Kennedy foi simpatizante de Hitler

















"as raças nórdicas certamente parecem superiores aos romanos" - 1937 no Rhin

“Fascismo? É o certo para a Alemanha.” -  “John F. Kennedy. Entre alemães. Diários de viagem e cartas 1937-1945″

“O que são as maldades do fascismo comparadas às do comunismo?” - "John F. Kennedy. Entre alemães. Diários de viagem e cartas 1937-1945″

“Os Alemães são realmente muito bons – portanto os povos cercam-se deles para se protegerem.”21 de agosto de 1937

"Alguém que tenha visitado estes dois lugares pode imaginar facilmente como Hitler dentro de uns anos emergirá do ódio que actualmente o rodeia, como uma das personalidades mais importantes que já existiram” - em Berchtesgaden (Baviera)

John F. Kennedy


nota importante: o objectivo deste tópico não é branquear traições ou sabotagens de Kennedy mas apenas mostrar um lado pouco conhecido do mesmo. todas estas afirmações foram feitas antes da II Guerra Mundial, portanto, numa época e contexto diferente.
e isto o mesmo homem que apesar de democrata e de esquerda, foi mais tarde assassinado pela Cia/mossad por discursar contra as sociedades secretas e contra a emissão do dinheiro pela Reserva Federal, nas mãos dos mesmos de sempre.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

a peça de teatro

algumas alminhas menos dadas à honestidade, propagandeiam e juram que a senhorita Le Pen é mesmo racialista a sério, porque viu a sua imunidade parlamentar levantada. claro que acreditam que a sua mentira vai manter-se para toda a vida, mas que fazer? só resta analisar o motivo pelo qual a senhora viu a imunidade parlamentar levantada, e esse motivo foi nada mais nada menos do que ter comparado em 2010 as "orações muçulmanas nas ruas" à "ocupação nazi"
eh que demónio, vê-se logo aqui uma grande dose de racialismo. críticas por motivos exclusivamente religiosos e demonização do regime mais racialista que já alguma vez houve.
chamar "racismo" ou "racialismo" a isto, não é propriamente nenhum delírio. é tão-só a famosa táctica do vender gato por lebre, e até da inversão. só isso.
é evidente que nenhum nacionalismo tem que andar a reboque do nazismo. mas caramba, é preciso descer tão baixo ao ponto de compará-lo com a merda islâmica? eu sei que nem a senhora Le Pen acredita nisso.
quem é que não percebe que isto se trata de uma bela peça de teatro?
a senhora Le Pen faz uns comentários religiosos arraciais, mete o nazismo ao barulho, demoniza-o e ao mesmo tempo "difama" a merda do islão aos olhos do sistema mais do que doentio.
a partir do momento que fica com a imunidade parlamentar levantada, nunca mais manda "bocas" desse tipo e esse "levantamento" passou a justificar a descaracterização que se passou a seguir. é a desculpa perfeita. o álibi perfeito.
ela criticou o nazismo e isso PASSOU a servir de pretexto para banir o nazismo e o racialismo. estão a topar a dinâmica e a lógica da coisa?

mas então se isto não é racialismo, porque é que ela foi acusada pelo sistema, perguntam alguns? ela foi acusada de discriminação religiosa, e muito pior do que lhe fizeram a ela, fizeram ao anormal Breivik e, esse, ninguém tem dúvida nenhuma de que é maçon, neocon e anti-racialista, já para nem falar no resto.
é o sistema que constrói a seu bel-prazer as narrativas que lhe convém e arranja falsos "bodes expiatórios" e "extremistas" para limitar, demonizar e conter os verdadeiros nacionalistas.
de "nazismo" e "racialismo" é que ela não foi acusada.

FONTE