"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

¿por qué no te callas?

«País não recebe lições de ninguém sobre racismo», Miguel Relvas

O ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares mostrou-se hoje irritado com as acusações de racismo aos adeptos do FC Porto por parte do clube de futebol inglês Manchester City e defendeu que Portugal “não recebe lições de ninguém”.

“Isso é uma matéria que me irrita. Se há país que não recebe lições de ninguém em matéria de racismo ou xenofobia é Portugal. Não podemos permitir insinuações de outros povos que não têm a frontalidade de assumir a aproximação cultural e a nossa tradição universalista”, afirmou Miguel Relvas, à margem da apresentação do Plano Nacional de Ética no Desporto (PNED), em Lisboa.

FONTE


que essa matéria te irrita, já todos nós sabemos. só não entendo é porque não te calas, se ela tanto te irrita. ainda mais, para vomitares a mesma K7 riscada de sempre sobre a "vocação universalista" da pátria tropicalista. se até tu próprio e os teus correligionários de partido aconselharam os portugueses a irem embora para latitudes mais quentes e gostam tanto de exaltar a vocação luso-tropical-universalista da pátria, porque raio é que não dão o exemplo de se pirarem para lá, já que é de lá que tanto parecem gostar?
leva toda a merda maçónica de cá para os países tropicais e cala-te de uma vez, porque quem não dá lições de "anti-racismo" és tu e a tua corja. 
aliás, aproveitar um qualquer incidente num jogo de futebol com uma equipa, confundir isso com um país e aproveitar para fazer de "defensor da pátria" perante os papões anglo-saxónicos, é algo de profundamente nauseabundo, nojento mesmo, de dar vontade de vomitar aos porcos.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

nova ordem

«O que é necessário, é praticar por toda a parte a mestiçagem e o controlo dos nascimentos com vista à criação de uma raça única num mundo único sob um governo único.»
George Brock Chisholm, psiquiatra esquerdista, antigo director da OMS

«Teremos um governo mundial, quer isto agrade ou não. A única questão é saber se será criado através da conquista ou do consentimento.»
Paul Warburg, judeu fundador do Banco Central Americano

"Para alcançar o governo mundial, é necessário remover das mentes humanas, o seu individualismo, lealdade à tradição familiar, patriotismo nacional e dogmas religiosos...se isso não poder ser feito suavemente, pode ter que ser feito de forma rude ou até violenta"
George Brock Chisholm, "The Re-Establishment of Peacetime Society," Psiquiatra, Fevereiro 1946. Mais tarde publicado por Alger Hiss.

«É necessário impôr a mestiçagem por toda a parte. A ideia de países etnicamente puros é um resquício do século XIX. O segundo milénio assistirá à vitória da mestiçagem.»
Wesley Clarke, General judeu Norte-Americano


3 pessoas diferentes que assumiram abertamente pretenderem destruir os países e as tradições para formar um governo único mundial através da mestiçagem. entre Wesley Clarke, Warburg e Chisholm, apenas no último há a dúvida sobre uma possível ou provável ascendência judaica. nos outros dois não há. Chisholm, de qualquer forma era um esquerdista. quanto ao banqueiro capitalista Warburg foi um dos financiadores de movimentos marxistas, pelo que não espanta a sua afirmação. Chisholm, além disso, vai ao ponto de falar em controlo dos nascimentos e explica para que serve. o aborto, que muitos julgam "inofensivo", mais não é do que uma forma de destruir povos e de acelerar o processo de mestiçagem e criação da raça única. em certos países, o número de abortos é superior ao de nascimentos, portanto pode-se falar em genocídio, até porque as intenções estão à vista. quanto menos crianças nativas nascem, mais baixa é a população nativa, logo mais rápida se tornará a substituição populacional ou a hibridização pura e simples...

multiculturalismo sim, mas não para israel


"Multiculturalismo não tem lugar em israel.
israel foi criada como um estado judeu para os judeus"
por John Masanauskas  

Melbourne - O líder Judeu Isi Leibler, um firme defensor do multiculturalismo Australiano, diz que essa política não tem lugar em israel.
"Isto é um país que foi estabelecido e criado como um país judeu para os judeus", disse ele a um jornal de Jerusalém.
Mr. Leibler disse anteriormente que o multiculturalismo na Austrália era algo de que "estamos todos orgulhosos de fazer parte."
O fundador do Travel Jetset mudou-se para israel há dois anos como presidente do Congresso Mundial Judaico. Ele publicou recentemente um ensaio argumentando que o sionismo, ou o nacionalismo judeu, estava sob ameaça dos "pós-sionistas" em israel. 

"Um pós-sionista é alguém que na verdade vê com bons olhos o fim do povo judeu em termos etnocêntricos, como um grupo nacional, e já não vê mais o povo judeu como um povo unido," disse ele ao The Jerusalem Post.
Mr. Leibler diz que os Pós-sionistas estariam a forçar uma agenda universalista nas escolas visando a eliminação do nacionalismo judeu e a criação de um estado multicultural. 

Mas Mr. Leibler, em 65, tinha uma visão oposta do multiculturalismo na Austrália.
Durante o debate de Pauline Hanson em 1993, ele avisou que o multiculturalismo estava sob ameaça
dos extremistas. 
"Existe uma necessidade de nos sentarmos juntos e estabelecermos uma via na qual os Australianos possam recuperar esse espírito do multiculturalismo, do qual eu penso que estamos todos orgulhosos de fazer parte, e que está realmente sob ameaça" disse Mr. Leibler

FONTE


é normal. cinismo e duas caras é a natureza judaica. multiculturalismo é para a Austrália e para as outras nações de raça branca ariana, mas não para israel...
os mais ingénuos acreditam mesmo que como há judeus a defenderem o seu país e o seu povo, que representam um obstáculo ao universalismo...como se o facto de defenderem a existência do seu povo implicasse necessariamente fazer o mesmo para os outros povos.
não surpreende que Isi Leibler fosse também um comunista. na verdade, este cinismo e duas caras é a essência do marxismo e até do sionismo.
também certa elite marxista que defende drogas, gays, feminismo, aborto e 'amor livre' para a sociedade, depois educa os filhos na linha mais rígida, conservadora e patriarcal que existe. é claro que a destruição da família é só a dos outros; não a deles. eles não acreditam nem nunca acreditaram nesses ideais, nem nessas balelas.
e aqui se passa precisamente o mesmo: o multiculturalismo não é (nunca foi) um ideal sincero em que esta gente acredite mesmo, mas sim uma arma conveniente de arremesso contra as civilizações visadas, um projecto de destruição deliberado e calculado.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

israel, o satélite marxista

israel quase se tornou um Estado satélite soviético   
 
israel fundada como um Estado comunista
 
Elliott Roosevelt, filho do Presidente Franklin Roosevelt, escreveu no seu livro "As He Saw It" que quando o seu pai se encontrou com o nosso aliado, o Rei Fuad da Arábia Saudita em 1944, Roosevelt prometeu que ele não iria suportar um estado judeu na Palestina. No entanto, esta política mudou com o Presidente Truman que procurou os votos judeus nas maiores cidades. (mas não só por isso) 


Truman, apoiado pelo Congresso Sionista Mundial, pressionou os membros da ONU a votar a favor do estabelecimento de um estado judeu na Palestina. A 26 de Novembro de 1947, uma moção foi derrotada pelos votos de 32 contra 25. A pressão foi intensa para que os opositores mudassem o seu voto. Com o apoio Soviético, a 29 de Novembro, os votos mudaram para 33 a favor e 24 contra.


Estaline e Truman estavam, então, numa corrida para serem o primeiro a reconhecer oficialmente o novo estado judeu. Truman bateu Estaline por apenas horas. O Partido comunista dos EUA celebrou, e em Nova Iorque, cerca de 2 terços dos seus membros eram judeus. O New York Times de 12 de Março de 1948 trouxe a manchete: "10.000 comunistas e líderes esquerdistas trabalhistas manifestam-se por israel" - "Comunistas jovens e disciplinados deram o seu grito de guerra 'solidariedade para sempre' enquanto marchavam". A parada e comício foram realizados sob o auspício do "Comité Unido para salvar o estado judeu e a ONU" formado recentemente depois dos comunistas internacionalistas decidirem assumir uma causa intensamente nacionalista, a partição da Palestina (num estado judeu). O grande Marechal da parada foi Ben Gold, presidente da International Fur liderada pelos comunistas e pelo Sindicato dos Trabalhadores de Couro."
 
David Ben-Gurion, de Plonsk, na Polónia, tornou-se o primeiro presidente de israel em 1948. Ele chefiou o Partido Mapam Marxista (também conhecido como O Partido Trabalhista Unido). A maioria dos judeus a ir da Europa de Leste para israel, eram marxistas. Eles tinham lançado uma guerra terrorista clandestina contra os Britânicos e os Àrabes.
 
O New York Herald-Tribune de 5 de Agosto de 1948, publicou a manchete: "israel a encostar-se à Rússia, a sua armadura." Estaline ordenou à Fabricante de Armas Skoda na Checoslováquia para enviar armas modernas ao novo estado judeu. O artigo, escrito pelo correspondente Kenneth Bilby em Tel Aviv, israel, continuou: "o prestígio Russo aumentou enormemente entre todas as facções políticas. Alguns carregamentos Checos de armas que chegaram a israel num momento crítico da guerra, desempenharam um papel vital no amortecimento da invasão de cinco exércitos Àrabes. Os judeus, que são certamente realistas, sabem que sem o assentimento da Rússia, essas armas nunca teriam estado disponíveis."

                                                                 Marxismo israelita
Midstream, uma revista judaica, em Outubro de 1996, trazia um artigo altamente significativo de Eli Tzur sobre a tendência pró-comunista da fundação de israel. Ele escreve que o Marxismo começou primeiro em comunas judaicas na Palestina, a partir de 1881. Tzur escreveu: "A União Soviética era um duplicado internacional da construção sionista e criou um sentimento de afinidade. Podem-se encontrar sinais anteriores de admiração pelos Soviéticos no elogio de Ben-Gurion a Lénine, escrito em 1923, onde ele mostra a Lénine o maior respeito ao comparar Lénine a si próprio. Esperando destruir o Império Britânico, os Soviéticos acreditavam que os judeus na Palestina eram um catalisador deste processo e apoiaram o seu esforço para o estabelecimento do Estado de israel."
                                               "Nós Temos Duas Pátrias"
Tzur escreve que os judeus pró-comunistas em israel acreditavam que tinham duas "pátrias". Uma era israel e a outra era a União Soviética como "a sede mundial da Revolução Socialista". Tzur continua: "Há alguns anos atrás, uma caverna usada por soldados judeus foi descoberta com o slogan 'Palmach-Exército Vermelho' escrito numa parede. Os jovens membros da Palmach foram doutrinados a ver-se a si próprios como parte de um campo de luta a que pertenciam os Vietnamitas e Chineses comunistas. Quando um partido de toda a esquerda sionista, o Mapam, foi criado em 1948, ele definiu-se como 'uma parte integrante do campo revolucionário liderado pela União Soviética'" "Nesta próxima guerra, a esquerda internacional deve aceitar directivas de um centro, que é em Moscovo.' O cenário previsto era o do Exército Vermelho avançar vindo do norte e atingir a fronteira norte de israel. Muitos esperavam cumprimentá-lo ali e nós temos casos documentados de jovens que que se juntaram ao Kibbutz norte, para estarem no local quando o Exército Vermelho chegasse. Alguns líderes do Mapan temiam que com o avanço do Exército Vermelho, as potências Ocidentais tentassem utilizar o porto de Haifa como base logística. Um deles declarou no Parlamento que, nesse caso, os trabalhadores paralisariam as instalações portuárias. Claro que a guerra nunca chegou."


Nos primeiros dias do nascimento do estado judeu, Haifa foi referida como "Haifa Vermelha". Nos feriados, jovens judeus marchavam pelas ruas agitando a bandeira vermelha com os punhos cerrados. Este é um artigo altamente revelador. Por outras palavras, caso a guerra tivesse estalado entre a Russia e a América, os marxistas israelitas estariam preparados para se juntar à União Soviética contra nós! 


Tzur diz que Ben-Gurion decidiu mais tarde que, com a maior parte dos judeus do mundo a residir agora nos E.U.A., esta seria a sua principal fonte de apoio financeiro. Assim, israel tomou uma posição "neutra" durante a guerra fria enquanto usava a história do Holocausto para extorquir milhões da Alemanha e dos Estados Unidos.

FONTE


A URSS de Estaline e os EUA de Truman foram as primeiras potências do Mundo a reconhecer israel. e o que tinham Estaline e Truman em comum, além de terem apadrinhado o novo afilhado e de serem líderes das duas grandes potências mundiais da Nova Ordem?
Talvez estas imagens ajudem a perceber, tal como outros dados:

Harry Solomon Truman era um judeu tal como Joseph David Djugashvili "Stalin" e, além do mais, ambos eram maçons, tal e qual como o marxista sionista Ben-Gurion.
a URSS em particular, apadrinhou o estado de israel e apoiou-o durante décadas.  só mais recentemente é que a URSS e grande parte dos movimentos comunistas passaram a apoiar os países àrabes e por motivos de estratégia. algo que deita totalmente por terra a ideia de que a esquerda é "anti-sionista" per se, ou de que a esquerda nada tem de sionista porque agora apoia os países àrabes e que ser nacionalista é ser sionista, e logo aliado do "nacionalismo judeu", o que, como se viu, é uma farsa, pois nem nacionalismo judeu a sério existe, tanto é que o estado de israel é algo recente na história e muitos judeus até são contra a existência do mesmo, para além da essência do sionismo ser internacionalista.

podeis ainda ver a manchete do "The New York Times" de 15 de Maio de 1948, que confirma o supramencionado reconhecimento de israel por parte de Truman, e numa das colunas do meio, podeis ler que "Soviet Gesture to the New Nation Anticipated":

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

brasileiros matam taxista em Rio Tinto

Matam taxista por 50 euros e vão jantar ao McDonald's

Planearam assaltar um taxista para comprar droga, mas não previram que ele tentasse resistir ao roubo. Foi morto por causa de 50 euros que serviram para pagar um jantar, ainda o corpo estava quente.


Brasuca fazia anos e os amigos juntaram-se todos em Rio Tinto, Gondomar para beber. Com o brasileiro estavam "Medeiros", "Tarreco" e "Jay", que viria mais tarde a servir de motorista. Os amigos ficaram sem dinheiro, mas com vontade de fumar droga. Decidiram então roubar Manuel Jorge Castro, um taxista de Ermesinde, que, segundo a acusação do Ministério Público (MP) de Gondomar, mataram durante o assalto.
Pouco depois da meia noite de 27 de julho de 2008, o grupo estava perto do supermercado Modelo, de Rio Tinto, e sem dinheiro. Resolveram atacar em Ermesinde porque não queriam fazer um roubo muito perto de casa.

Sem automóvel, pediram boleia a "Jay", um amigo, de 22 anos, o único que tinha carro. Este deixou-os perto da Estação da CP de Ermesinde, onde dois taxistas se recusaram a transportá-los. O terceiro motorista, Manuel Jorge Castro, 38 anos, aceitou o serviço e levou-os para a Rua das Carvalheiras, em Rio Tinto, uma zona erma.

O taxímetro marcava 8,70 euros. "Brasuca" entregou uma nota falsa de 50 euros para pagar a corrida e o taxista puxou da carteira para lhe dar o troco. Era o momento esperado. "Medeiros" puxou da pistola. Só que, perante a ameaça, Manuel Jorge Castro tentou resistir e acabou por ser baleado. Os assaltantes levaram a carteira, abandonando a nota falsa e fugiram para a casa de "Medeiros", que vivia a 800 metros. Dividiram os 50 euros e foram jantar ao McDonald's, onde foi ter "Jay".

Para o MP não há dúvidas de que o gangue planeou o assalto ao pormenor. Desde o local escolhido para parar até ao estratagema da nota falsa de 50 euros, destinada a levar o taxista a mostrar a carteira. "Medeiros", hoje com 23 anos, ficou com a missão de ameaçar a vítima com uma pistola. Ao "Tarreco" competia ser mais uma presença ameaçadora.

O jovem que tinha dado boleia nem queria acreditar quando os outros lhe disseram que tinham morto o taxista. Teve de ir ao local para ver com os próprios olhos e voltou irritado para o Mc Donald's, para repreender os amigos. Foram os quatro para o Rio Douro onde atiraram a carteira à água.
Mais de dois anos depois, após intensa investigação da Polícia Judiciária, os quatro foram detidos e três deles estão em prisão preventiva, por homicídio qualificado, roubo e passagem de moeda falsa.

FONTE


este crime abjecto é já antigo, mas só agora os assassinos foram capturados depois de longa investigação.
é as «vantagens» da convivência tropical a chegar a todos os cantinhos do país e da Europa.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

a «bondade» dos nossos aliados israelitas












































isto foi afirmado pelo professor Martin Van Creveld.
não podem existir Europeus ou Ocidentais dignos desse nome, que baixem a cerviz ao ponto de apoiarem explicitamente um estado alienígena, terrorista e genocida que assumiu que tem armas de destruição maciça, e que ameaça a Europa com elas.
sim, isto aplica-se a israel como se aplica ao irão ou a qualquer outro estado não-Ocidental, terrorista e genocida, independentemente de etnia ou religião (judaica, muçulmana...)
não costumo distinguir entre «terrorismo bom» e «terrorismo mau».

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

consegue localizar o «holocausto»?

o PNR no espectro politico










































os assustados com a fama que o PNR tem de suposto «esquerdismo», não têm razão para isso. vejam em que posição se encontra o PNR na questão do Estado Providência (ou Estado Social) e na questão das finanças e impostos.  não se encontra sequer perto do PS, quanto mais dos «soviéticos» BE e PCP...
o PNR defende Estado Social, como já o NSDAP o defendia (aliás, foi o pioneiro) mas não é de qualquer maneira nem indiscriminadamente.  o PNR defende justiça social mas não à toa. 
o PNR pode, por vezes, parecer dizer o mesmo que o BE ou PCP, mas não o diz pelos mesmos motivos, nem as soluções são parecidas. todos sabemos que alguma Administração Pública prejudica o povo em geral, com as reformas e ordenados milionários dos Funcionários Públicos que mamam na teta do sistema (mas nem todos) - sobretudo do PS. ora, o PNR ao defender um emagrecimento dessa Administração e do Estado, está a ser esquerdista?
o PNR pode parecer esquerdista para aqueles que vivem no conto-de-fadas liberal e extremista, em que tudo o que se afaste desse paradigma seja «esquerdista» ou até «comunista», mas as coisas não são assim.
nem o NSDAP, que era socialista, foi esquerdista ou social-democrata, etc...
 podem fazer esse teste no site bússola eleitoral...não se visualiza a posição do PNR no tocante a Economia (só Estado Providência e Finanças), mas é possível algures ver as respostas que os diferentes partidos deram a cada um dos temas - podem comparar as respostas do PNR com as de qualquer partido - seja PS, BE, PCP, etc
já agora, a lápis o meu posicionamento, até menos à direita que o PNR, embora no cômputo geral seja o partido com que tenho maior grau de concordância (79,1%) seguido do PND (71,4%)...
no extremo oposto, está o BE (44,6%) e o PS (45,5%)

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

o espectro do parlamento tuga


o parlamento hemiplégico português só tem partidos que vão da extrema-esquerda ao centro...e, atenção, o maior partido do «clube dos pequenos», é de extrema-esquerda - o pctp-mrpp de inspiração maoísta.
pode-se ter alguma esperança no futuro com este cenário? é preciso ser francamente optimista ou lunático para isso. se num futuro próximo, o mrpp conseguir chegar ao parlamento, o sistema vai ser ainda mais desviado à esquerda, teremos três de extrema-esquerda, um para cada matiz - um estalinista, um trotskista e outro maoísta.  teremos ainda um da centro-esquerda clássica, o ps, e ainda dois centristas - o ppd-psd e o cds-pp.
é o caminho para o totalitarismo «subtil» do partido único e do pensamento único, mas com várias secções ou departamentos. pouco importa quem está no poder, quando a ideologia só difere em banalidades e superficialidades.
já agora, quem considera que o psd e o cds não são direitistas, não sou eu, são os próprios: um tentou inscrever-se na internacional socialista em 1974 (período Sá Carneirista) sem êxito, acabando na internacional democrata centrista, e o outro está filiado na internacional democrata cristã, uma ideologia de centro, e o partido designa-se a si mesmo como centro democrático social ou «centrista» (alcunha como são tratados pelos média em geral)

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

o «resultado» dos casais multirraciais


Seal agrediu Heidi Klum durante discussão

Seal e Heidi Klum separaram-se porque, segundo a revista ‘Star’, o cantor agrediu a apresentadora com violência durante uma discussão.
"Heidi disse que Seal perdeu a cabeça. Ele gritou-lhe e empurrou-a. Foi horrível", contou uma familiar do casal à revista, acrescentando que os amigos tiveram de intervir.





enfim, mais tarde ou mais cedo isto tinha que acontecer. com raças cheias de testosterona, agressividade e violência selvagem, é assim. apenas lamento que não tenha sido mais cedo, a tempo de evitar uma ninhada de mestiços.  quanto a Heidi Klum...sem dúvida que merece isto. quem casa com outras raças, só tem o que merece...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

imigração ao serviço do capital

 «En 1981, nous avons hérité d'une situation gangrenée. Pendant les vingt ans précédents, on avait fait venir les immigrés en masse par besoin de main-d'oeuvre et pour contenir les salaires des travailleurs français. (...)»


«Em 1981, tinhamos herdado uma situação deteriorada. Durante os vinte anos seguintes, fizemos vir os imigrantes em massa por necessidade de mão-de-obra e para conter os salários dos trabalhadores franceses. (...)»

François Mitterrand, 1988





apesar de esta declaração ter mais de 20 anos, convém nunca deixar morrer certas coisas no esquecimento.
a imigração ao serviço do capital...e do patronato...e não só.  ao serviço de todos os interesses, menos dos da população francesa, claro está. a confissão de que a imigração em massa, também serve para prejudicar os interesses dos trabalhadores e reduzir a massa salarial...
e isto vindo de um homem de centro-esquerda, teoricamente anti-neoliberal...
de frisar ainda que eu nada tenho contra o capital em si, desde que não se transforme em «ismo», e desde que o capital seja apenas uma ferramenta subordinada aos interesses das populações.
o capital deve servir o povo, e não ao contrário.

marxismo é uma religião























marxismo não passa de uma religião messiânica com verniz «científico» e «sociológico», pelo que todo o ateu que se preze, todo o verdadeiro ateu, não pode subscrever este dogma religioso...por mais anti-teísta que ele pareça ser (pseudo-ateísta).
revolução é igual a redenção cristã, mas em vez de procurar o paraíso celeste, procura o paraíso terreno...com todas as consequências nefastas que isso acarreta, pois o mundo é demasiado imperfeito para esse idealismo religioso.
a religião, em termos parlamentares, está representada por este credo estrangeiro.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

perigos da expansão racial

EXPANSÃO E PRESERVAÇÃO RACIAL
Parecerá absurdo ou exagerado dizer-se que a raça branca ou europeia tem recuado e tende a ser eliminada, sabendo-se que é ela que mais tem irradiado por todas as partes do globo. Realmente, a raça branca tem irradiado e conquistado por toda a parte; mas quanto mais irradia e conquista, tanto mais se adultera e desaparece!
Vai perdendo em pureza ou qualidade o que ganha em difusão; porque quanto mais se difunde, mais se mistura com outras raças afastadas que lhe acabam por adulterar completamente o seu tipo físico e mental.
Mais valeria ter-se difundido menos e conservado melhor a sua pureza ou tipo étnico; porque ela difunde-se, mas ao mesmo tempo adultera-se, dilui-se e desaparece, devido aos cruzamentos com as raças que vai dominando.
Durante algumas gerações, os mestiços resultantes desses cruzamentos ainda irão apresentando alguns tipos com caracteres da raça branca; mas, passados alguns séculos, as populações mestiçadas acabam por perder toda a semelhança e afinidade com a nossa raça.
Este processo de desaparecimento da raça é tanto mais perigoso quanto é certo que actua por uma forma lenta que passa completamente desapercebida. Assim, os elementos da raça branca que durante a época pré-histórica emigraram da Europa para a América setentrional e para a Ásia, adulteraram-se por meio dos cruzamentos com os elementos negróides e mongólicos que esses antigos Europeus foram encontrar nas regiões africanas e asiáticas para onde emigraram, dando lugar aos tipos étnicos mistos muito diferentes da nossa raça - o euro-africano (desde a Núbia até Marrocos) e o euro-mongólico (Rússia oriental, Ásia Central e Sibéria). É também o que presentemente se está dando com os Europeus que emigraram para a América central e meridional, em virtude de cruzamentos com os descendentes de escravos negros que antigamente foram levados da África para a América e com os restos dos indígenas americanos. Daqui a quinhentos anos, as nações da América do sul e central estarão completamente mestiçadas, como a Núbia, a Abissínia ou a Índia meridional, se não tomarem quaisquer medidas tendentes a dificultar a mestiçagem e a manter a raça branca.

In Perigos que Ameaçam a Europa e a Raça Branca: III - Adulteração e Eliminação da Raça Branca, de José Maria Andrade Saraiva, 1932.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

marcadores genéticos na ibéria























Uma revista catalã desconhecida que mostra a distinção de diferentes regiões da Ibéria por marcadores genéticos.
no primeiro mapa distingue claramente três regiões (grosso modo) - Países Catalães a verde, País Basco a laranja e Noroeste Peninsular a roxo (pelo menos, a costa atlântica)
no segundo mapa, distingue outra vez a região da Catalunha e arredores, a verde e laranja, sendo que, pelo menos parte do País Basco também se inclui, uma mancha roxa na Andaluzia e outra no centro de Castela, depois também distingue toda a faixa Ocidental ibérica e parte das Asturias a verde, embora os tons de verde sejam diferentes, mais claro na zona da Estremadura, Ribatejo e arredores, mais escuro no Algarve, etc...
por fim, no terceiro e último mapa, que se encontra invertido, mas que tive o cuidado de «virar» (na imagem à direita) vemos, a roxo, todo o Noroeste Ibérico, mais ou menos correspondente à área do antigo reino Suevo e depois uma gradação de azul, verde, laranja, etc, pelo resto da península.

A cartografia é de Jaume Bertranpetit e Cavalli-Sforza (1991)

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

mistura europeia no continente
























FONTE: Eupedia

diz que é baseado em estudos autossomais. será...?