"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

o PNR no espectro politico













































os assustados com a fama que o PNR tem de suposto «esquerdismo», não têm razão para isso. vejam em que posição se encontra o PNR na questão do Estado Providência (ou Estado Social) e na questão das finanças e impostos.  não se encontra sequer perto do PS, quanto mais dos «soviéticos» BE e PCP...
o PNR defende Estado Social, como já o NSDAP o defendia (aliás, foi o pioneiro) mas não é de qualquer maneira nem indiscriminadamente.  o PNR defende justiça social mas não à toa. 
o PNR pode, por vezes, parecer dizer o mesmo que o BE ou PCP, mas não o diz pelos mesmos motivos, nem as soluções são parecidas. todos sabemos que alguma Administração Pública prejudica o povo em geral, com as reformas e ordenados milionários dos Funcionários Públicos que mamam na teta do sistema (mas nem todos) - sobretudo do PS. ora, o PNR ao defender um emagrecimento dessa Administração e do Estado, está a ser esquerdista?
o PNR pode parecer esquerdista para aqueles que vivem no conto-de-fadas liberal e extremista, em que tudo o que se afaste desse paradigma seja «esquerdista» ou até «comunista», mas as coisas não são assim.
nem o NSDAP, que era socialista, foi esquerdista ou social-democrata, etc...
 podem fazer esse teste no site bússola eleitoral...não se visualiza a posição do PNR no tocante a Economia (só Estado Providência e Finanças), mas é possível algures ver as respostas que os diferentes partidos deram a cada um dos temas - podem comparar as respostas do PNR com as de qualquer partido - seja PS, BE, PCP, etc
já agora, a lápis o meu posicionamento, até menos à direita que o PNR, embora no cômputo geral seja o partido com que tenho maior grau de concordância (79,1%) seguido do PND (71,4%)...
no extremo oposto, está o BE (44,6%) e o PS (45,5%)

Sem comentários: