"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

marxismo é uma religião























marxismo não passa de uma religião messiânica com verniz «científico» e «sociológico», pelo que todo o ateu que se preze, todo o verdadeiro ateu, não pode subscrever este dogma religioso...por mais anti-teísta que ele pareça ser (pseudo-ateísta).
revolução é igual a redenção cristã, mas em vez de procurar o paraíso celeste, procura o paraíso terreno...com todas as consequências nefastas que isso acarreta, pois o mundo é demasiado imperfeito para esse idealismo religioso.
a religião, em termos parlamentares, está representada por este credo estrangeiro.

13 comentários:

Anónimo disse...

CUIDADO COM JULIUS EVOLA ! No texto abaixo mostrarei que Julius Evola NÃO era racista. Ele também NÃO era pagão e nunca foi politeísta.

Evola achava que os primeiros pagãos eram monoteístas e transcendentalistas, e que o imanentismo politeísta seria uma degeneração que só surgiu posteriormente. Evola escreveu o livro “Il mito del sangue” (de 1937), aonde ele diz que os nórdicos eram monoteístas e transcendentalistas antes dos judeus. O transcendentalismo inclui as religiões que repudiam as forças do cosmos e que desejam escapar do mundo. Já o imanentismo inclui os vários paganismos, que são os sistemas que celebram o contato com as forças deste mundo, que amam a beleza do universo, etc.

Julius Evola também caía de amores pelo Islão e dizia que o Islão é idêntico ao monoteísmo nórdico original. O artigo abaixo foi escrito pelo muçulmano Claudio Mutti, que é o seguidor de Evola que granjeou maior fama e notoriedade:

-----------> http://www.claudiomutti.com/index.php?url=6&imag=1&id_news=130

Além de dizer que o Islão é ariano, Evola sempre defendeu o Cristianismo Gibelino (o Cristianismo que Evola criticava era o Cristianismo Católico e o protestante).

No livro “Against the Modern World. Traditionalism and the Secret Intellectual History ofthe Twentieth Century (Oxford University Press )”, o Mark Sedgwick mostra, citando palavras do próprio Julius Evola, que o siciliano tentou se infiltrar nos vários movimentos de crítica ao mundo moderno (fascismo, nazismo, dadaísmo) existentes na época, com o objectivo de manipulá-los desde dentro.

Também no Stormfront há um excelente tópico em Espanhol, no qual fica provado que Evola rejeitava a existência de raças físicas, e no lugar advogava raças do espírito, além do fato do siciliano ter tentado se infiltrar no nazismo para modificá-lo pelo interior. Como todo bom transcendentalista, Julius Evola despreza a matéria e valoriza o metafísico, e assim o siciliano dizia que a raça ariana NÃO era uma entidade física, mas antes uma mentalidade, e que um chinês com a mentalidade guerreira também pertencia à raça nórdica:

-----------> “HITLER vs EVOLA”: www.stormfront.org/forum/t323429

Julius Evola também tentou se infiltrar no PAGANISMO para transformá-lo em monoteísmo. Durante alguns anos de sua juventude, Julius Evola apresentava-se como um pagão, e até escreveu um livro chamado “Pagan Imperialism”.

Nesse livro ridículo, Julius Evola afirma que o politeísmo é uma degeneração e uma adulteração do MONOTEÍSMO nórdico original. Para Julius Evola, os pagãos originais eram monoteístas e transcendentalistas (para as religiões transcendentais a natureza é vista como decaída, má, ilusória, etc), sendo que qualquer autor sério que tenha analisado o paganismo europeu antigo (Walter Friedrich Otto, Ph.d Prudence Jones, etc) sabe que os pagãos eram politeístas e imanentistas (os deuses são imanentes às forças e princípios do cosmos, e a natureza/universo é vista como “boa”, “sagrada”). As próprias obras pré-cristãs, escritas por pagãos da Grécia e da Roma antiga, mostram que os pagãos eram imanentistas. E também os cristãos que conviveram com pagãos, como Santo Agostinho, perceberam que os pagãos são imanentes e politeístas (Santo Agostinho critica Marcus Terentius VARRO pelo seu politeísmo extremo, com 8 deuses para fazer uma planta frutificar, etc, além de Varro ser um imanentista que considerava Júpiter como uma força cósmica imanente). Assim, a tese transcendentalista e anti-imanentista do Julius Evola está ERRADA.

Anónimo disse...

No final do livro “Pagan Imperialism”, há um capítulo denominado "Ghibelline restoration", no qual Julius Evola defende um Cristianismo Gibelino (o gibelinismo foi um movimento surgido na idade média, nos séculos 12 e 13), que seria diferente do Cristianismo Católico (o “Guelfismo”). Segundo Julius Evola, o Cristianismo Gibelino seria puramente nórdico em espírito.

Porém, nos últimos anos da década de 1930 e início da de 1940, Julius Evola ficou um pouco mais honesto e admitiu que suas ideias NÃO tinham nada a ver com paganismo. Ele pediu para que o livro “Pagan Imperialism” nunca mais fosse publicado (enquanto ele estivesse vivo). Julius Evola continuou defendendo o Cristianismo Gibelino, e em 1942 o siciliano começou a escrever artigos atacando os neo-pagãos:

-----------> “Against the Neo-Pagans: The Misunderstandings of the New “Paganism””, by Julius Evola.

-----------> Em 1943, Julius Evola escreveu um artigo pró-Catolicismo denominado Meditações na Cartuxa: http://www.sophia.bem-vindo.net/tiki-index.php?page=Evola+Cartuxa&structure=Perenialistas

Os monges cartuxos são os responsáveis por uma tradicional organização monástica católica, e Julius Evola vê nos cartuxos a chance para restaurar a Europa Medieval.

Mais ainda, Julius Evola sempre foi pró-Islão (a religião mais ANTI-pagã que existe) !! Em 1934, Julius Evola escreveu o livro “Rivolta contro il mondo moderno”, o qual contém um capítulo defendendo o Islão, e dizendo que o credo de MAFOMA é idêntico ao monoteísmo nórdico da pré-história. Julius Evola também diz que a UMMA (a nação islâmica) é uma raça do espírito (Julius Evola repudiava a raça física, a raça dos genes).

Para ler os elogios que Julius Evola fez ao Islão, ler este artigo do Claudio Mutti (o Mutti é um dos evolianos mais famosos da europa e ele se converteu ao Islão depois de ler os livros do Julius Evola):

-----------> “Islam in the Eyes of Julius Evola”: http://openrevolt.info/2011/09/10/islam-in-the-eyes-of-julius-evola/

E os seguidores do Evola são piores ainda, vide o Marcos Ghio, que é um dos mais influentes evolianos e que defende a miscigenação racial que ocorreu na América latina. Neste artigo ele diz que a miscigenação latina resultou numa “raça cristã”, muito superior ao “yankee“ (branco puro):

-----------> JULIUS EVOLA Y EL NACIONALISMO ARGENTINO: http://www.juliusevola.com.ar/doctrina/nacionalismo.htm

Fica provado que Julius Evola NÃO era racista, o siciliano sempre foi um ferrenho crítico do racismo biológico (ver a teoria evoliana das raças do espírito). Evola defendia um nordicismo do espírito, pois para Evola só o que interessa é o transcendente e aquilo que está além do físico.

E também fica provado que Julius Evola NUNCA foi um pagão, ele NUNCA praticou o politeísmo, o siciliano sempre repudiou a espiritualidade que advêm das forças imanentes do cosmos, das quais ele queria escapar/transcender.

Mesmo durante o curto período de sua juventude no qual se apresentou como pagão, mesmo alí ele já era um ferrenho monoteísta gibelino que acreditava que os pagãos originais eram monoteístas e transcendentalistas, além de defender o Islão (Julius Evola defendia a tese de que os nórdicos de Hiperbórea praticavam um monoteísmo transcendentalista semelhante ao Islão) e de elogiar o Cristianismo Gibelino (que seria superior ao Cristianismo Católico).

Julius Evola sempre foi agressivo ao atacar os renascentistas e o renascimento. E uma das críticas que o siciliano levantava contra os renascentistas era o fato de uma parte deles admirar o paganismo e até de praticar o politeísmo em segredo. E Julius Evola pregava isso já em 1934, no livro “Rivolta contro il mondo moderno”. Evola NUNCA foi um pagão, e os seus principais discípulos atuais seguem religiões abraâmicas, como o Eduard Alcântara (cristão gibelino anti-católico e pró-império) e o Claudio Mutti (muçulmano).

Thor disse...

"CUIDADO COM JULIUS EVOLA ! No texto abaixo mostrarei que Julius Evola NÃO era racista. Ele também NÃO era pagão e nunca foi politeísta."


foda-se, este blogue não é pagão nem políteista, caralho.
quando é que vão perceber isso?
logo no cabeçalho está escrito:
«blogue racialista, etnicista, ateísta e anti-semita»

caralho, parecem atrasados mentais! já alguma vez viram neste blogue alguma referência ao paganismo??

Thor disse...

além disso, o blogue também não é Evoliano, pelo que não concorda com o seu pró-islamismo.

Anónimo disse...

Thor, eu sei que o blog é ateísta. Mas há muitos nacionalistas não-ateus que ingenuamente se deixam enganar pelo Julius Evola e pelos evolianos. E quando há debates entre ateístas e cristãos, eu dou apoio aos ateus. Aliás, essa é uma aliança que tem ocorrido na Rússia (pagãos e ateus juntos, se defendendo dos cristãos).

Anónimo disse...

Existem muitas mentiras cristãs que precisam ser desmascaradas. Por exemplo, cristãos (assim como os muçulmanos) adoram se fazer de vítimas.

Os cristãos dizem que eram perseguidos nos tempos de Roma, mas Geoffrey Ernest Maurice De Ste. Croix, uma das maiores autoridades em história cristã, diz que na maior parte das vezes o martírio de cristãos NÃO era provocado pelos pagão. Eram os próprios cristãos que buscavam o martírio de livre e espontânea vontade, pois o mártir ocupa posição de destaque no cristianismo. Os cristãos PROPOSITADAMENTE buscavam tal destino, e realizavam (de propósito) ataques contra as autoridades romanas na esperança de que eles punissem os cristãos. O historiador supracitado chama esse fenômeno cristão de “martírio voluntário” (voluntary martyrdom) e escreve:

“was a great deal more common among the orthodox than the Christian apologists have cared to admit. In all probability quite a substantial proportion of the 'noble army of martyrs' of the first three centuries consisted of volunteers .... It is impossible to doubt that the prevalence of voluntary martyrdom was a factor which both contributed towards the outbreak of persecution and tended to intensify it when it was already in progress.” - Christian persecution, martyrdom, and orthodoxy (Oxford University Press) [p. 153].
.
.
.
.
.
.
.
E há mais:

"Jesuit Fr. Delehaye, a Bollandist - that is, an expert on saints and martyrs:

Delehaye has shown in a special study that all stories of Christians being exposed to lions in the Roman Amphitheater [the Colosseum] (which so moved Mr. G.B. Shaw that he based a play on them) are bogus."
- Fonte: http://freetruth.50webs.org/B3b.htm

Anónimo disse...

Rostos Um quarto dos portugueses em risco de pobreza
Agência Financeira - ‎Há 30 minutos‎

O risco de pobreza afecta 25,3% dos portugueses, ou seja, um em cada quatro está em risco de pobreza ou de exclusão social, revelam dados do gabinete de estatísticas da União Europeia. O Eurostat mostra ainda que a percentagem registada no nosso país é ...
Pobreza: Um em cada quatro portugueses vivia em risco de pobreza ...SIC NotíciasPobreza ou exclusão social 23% da população da União Europeia ameaçadaRostos

Anónimo disse...

8 de Fevereiro de 2012 15:12

e os portugueses andaram a gastar dinheiro com os terceiro-mundistas.

a sick noticias sobre a siria - uma convidada a fazer taqiya, alguns espectadores telefonaram com mais taqiya sobre os países arabes, querem dar asilo às crianças da «primavera» arabe!

Anónimo disse...

8 de Fevereiro de 2012 16:04

sick noticias - a convidada taqiya comentou como se o problema fosse a russia... mas a turquia a tentar fazer o império otomano, a irmandade muçulmana nas «primaveras» arabes, etc, já estava tudo bem.

Anónimo disse...

O. j. Simpson e Nicole Brown Simpson tinham divorciado dois anos antes

Anónimo disse...

terceiro-mundista no máquinazero:

Nicolas diz:
02/16/2011 ás 2:52 AM
O que os portugueses destruíram, impondo sua cultura “civilizada” sem nem sequer pesquisar um pouco o que eles tinham na frente dos olhos, foi a rica diversidade humana, culturas que eles nem suspeitam hoje ainda a riqueza.

Os portuguese enfrentaram o resultado duma evolução diferente do que eles tinham costume, mas não foram capazes de perceber (e atê hoje) que todo povo que conquistou, destruiu, explorou, matou, humilhou, desumanizou, escravizou, enganou, exterminou tinha era resultado sim de muita evolução, e isso, OBVIAMENTE em árias do conhecimento nos quais eles (portugueses) eram totalmente ignorantes.

Esses povos simplesmente não pararam de evoluir durante miliares de anos mas INVESTIRAM OUTRAS ÁRIAS DE CONHECIMENTO.

Por exemplo, alguns destes povos tinham um conhecimento tão profundo da mente humana que eles tinham um equilíbrio social muito fino e tinham desenvolvido o que podemos chamar de “psicologia coletiva”. Coisa que faltaria miliares de anos aos portuguese para se aproximar de longe…


http://maquinazero.wordpress.com/2006/11/27/reportagem-da-sic-sobre-uma-familia-de-ciganos/#comment-25694

Anónimo disse...

não são proselitistas, pois não...

Hindu leaders are advocating for changing the existing formulation of the freedom of religion clause in the Universal Declaration of Human Rights since it favours religions which proselytize.

Anónimo disse...

Kosovo War. Wikipedia: From March 24, 1999 to June 11, 1999 NATO launched an air campaign on FR Yugoslavia. This happened despite the fact that General Klaus Naumann (Chairman of NATO Military Committee) stated that “Ambassador Walker stated in the NAC (North Atlantic Council) that the majority of violations was caused by the (Albanian) KLA.”NATO did not have the backing of the United Nations Security Council. NATO argued that their defiance of the Security Council was justified based on the claims of an “international humanitarian emergency”. Criticism was drawn by the fact that the NATO charter specifies that NATO is an organization created for defense of its members, but in this case it was used to attack a non-NATO country which was not directly threatening any NATO member.