"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

terça-feira, 17 de novembro de 2015

«a busca de um pretexto para a NATO intervir»






























não, este tópico não é para discutir a autenticidade ou a autoria dos atentados múltiplos de Paris, mas sim para explicar o como se pretende tirar partido deles, uma vez que a Síria inclusivamente nada tem a ver com o fantoche Isis (Estado Islâmico)

18 comentários:

Gang2 Ervilha disse...

Tudo converge para o Médio-Oriente. Aquela zona da Síria e Iraque, está ali um barril de pólvora pronto a explodir a qualquer momento. A meu ver, está em questão a divisão do território da Síria.

Os americanos estão a ver Putin e Bashar a progredirem no território, lentamente mas lá vão indo seguramente, e antes que consigam dominar todo o território sírio, a NATO quer salvaguardar uma boa parte do território em seu poder de maneira a impedir a Bashar e Putin de irem mais além. Para assim provocar a divisão da Síria em vários partes, como estipulado no Oded Yinon, vão tentar salvaguardar parte desse plano. Isto porque Putin defende a integridade territorial da Síria e não concede divisões nenhumas seja a que grupo for. É uma corrida a contra-relógio entre as forças sírias de Bashar e as forças sionistas. Isto vai dar certamente origem a um conflito de grandes proporções, mundial, ou um grande conflito localizado naquela zona. Isto cheira mal, muito mal. Seja lá o que for que tenha de sair dali, não vai ser nada bom...

Thor disse...

não vai ser conflito mundial, vai ser conflito localizado na zona.
mas vão tentar esgotar ao máximo a Nato, os EUA, a Rússia, etc, vão tentar levar meio-mundo para lá. e o Putin não defende coisa nenhuma, ele é um fantoche ao serviço de israel, faz o que lhe mandarem, e tenta salvaguardar os interesses do gás e petróleo judeu.
quanto ao plano Oded Yinon, estás certíssimo.

Gang2 Ervilha disse...

Não descarto a possibilidade de Putin estar metido no esquema, embora sinceramente não o creio, mas mais vale ter um pé atrás e outro á frente. Mas mesmo se a NATO chegue a controlar directamente (sem ser por via de Daesh e outros grupos) boa parte do território sírio, Putin vai certamente evitar um confronto e será obrigado a ceder. Ao contrário da NATO, Putin tenta sempre evitar tanto quanto possível a guerra e não é gabarolas como os americanos.

Thor disse...

o Putin é um psicopata judeu-sionista. mete isso na mona.
e é amigo dos americanos.
caga se ele é "cristão" ou deixa de ser.

Gang2 Ervilha disse...

De momento até os cristãos lhe agradecem, pois salvou a vida a muitos. Não fora ele talvez o bairro cristão de Damas já não existisse, só haveria corpos degolados. Igualmente todos os sírios de Damas, seja cristão ou muçulmano, sunita ou xiita, estão-lhe muito agradecidos. Parece que é mesmo um ídolo muito amado lá por aquelas bandas.

Thor disse...

ele não é um "libertador". é, isso sim, um ocupador com uma "capa" diferente (de bonzinho). só isso. mais nada.

Thor disse...

"O velho ditado português que eu aprecio: Ninguém dá nada a ninguém.

Se ele fez isso, vai ter de obter algo em como retorno, nem que seja o controlo estratégico da siria."


claro.




"Agora, a minha duvida é a seguinte, será que as acções positivas dele não são apenas jogadas ou movimentos que são apenas um meio para obter um fim?"


vamos analisar as acções positivas dele:
- acabou com o casamento gay. isso até a URSS fez. nem a URSS quis gays, pois queria uma sociedade militarizada e forte.
- recuperou ligeiramente a economia. isso é a única forma de ter uma Rússia competitiva e militarizada para poder entrar em guerras artificiais, como na Ucrânia, Síria, Ossétia, etc
- mandou bocas aos EUA. grande coisa. isso até a URSS fez.
- mas os média Ocidentais fazem propaganda contra ele. e contra a URSS também faziam.
- mas ele impediu a Síria de ser atacada em 2013 - falso. isto é MENTIRA ABSOLUTA. até porque a Síria FOI atacada em 2013. inclusive nuclearmente!
- mas ele agora atacou o Isis. grande coisa. para ser ele a dominar a região (ao serviço de israel, evidentemente)
- mas ele é anti-Nova Ordem. não é nada. pode fazer parte de um bloco diferente, mas faz parte da mesma máfia. e está de braço dado com o Chabad Lubavitch.

Pedro Lopes disse...

Este sequência dos atentados de Paris este "nacionalista" está preocupado com os judeus. Granda Filho da puta.

Reparem bem no que este filho da puta deslarga lá no seu curral:

"É patético: fala-se a toda a hora de “islamofobia”, se criticarmos o islão ou as "comunidades muçulmanas" somos rotulados de “racistas”, mas o verdadeiro acto racista do nosso tempo tem sido direccionado contra judeus franceses, que deixaram de se sentir seguros na sua própria terra"

http://a24opinions.blogspot.pt/2015/11/nao-ataquem-siria-ataquem-o-medo-de.html

Pedro Lopes disse...

Escrito nos protocolos dos ratos de sião

“Our State marching along the path of peaceful [i.e, world] conquest has the right to replace the horrors of war by less notable and more satisfactory sentences of death necessary to maintain the terror which tends to produce blind submission.”

(Protocols of Zion, 1:24)

Gang2 Ervilha disse...

Meus caros, não vou estar a comentar tudo o que disseram, nunca mais sairia daqui se assim fosse. Mas lembremo-nos destas velhas palavras : « pelos seus frutos os reconhecereis ». Ora bem, não foi Putin e a sua Rússia que andou estes anos todos a financiar estes terroristas. Não foi ele que invadiu o Iraque, a Líbia, a Síria, o Afeganistão e que anda por aí a espalhar a morte de pessoas inocentes, de crianças sacrificadas unicamente pelo egoísmo e satanismo de alguns. Não é ele que fez isto tudo e muito mais.

Um grande homem, um grande sábio dos nossos tempos, de seu nome Alexandre Soljenitsyne, dizia, que de todos os que passaram como dirigentes da Rússia, o único que merecia a sua consideração e respeito, era Vladimir Putin. Dizia, ele é a esperança da Rússia. E lembremo-nos que Soljenitsyne não teve muito tempo para conhecer Putin, mas o pouco que conheceu, mostrou-lhe o que ele nunca tinha visto em anos e anos de comunismo, em nenhum outro dirigente. Tenhamos em mente, que Soljenitsyne foi um homem que muito sofreu nos gulags, conheceu o sofrimento. Este sofrimento de anos a fio, proporcionou uma visão que jamais nós poderemos ter: olhar para lá das aparências.

Foi este mesmo Soljenitsyne, que disse, que a salvação da Europa virá do Leste. A Europa de Oeste será libertada pela Europa de Leste. Nos dias de hoje nós mesmos notamos isso, os países mais reticentes á invasão clandestina de parasitas, são justamente os países de leste! Este homem parece-me que acertou nas suas previsões... e não creio que as falhe em relação a Putin.

Gang2 Ervilha disse...

Eu já há algum tempo que tento compreender porque é que a Rússia não admite NS. A mim parece-me ser uma questão de cultura. A existência de NS numa Rússia constituída por várias raças, acho um pouco complicado. Ela só pode ser válida na fomentação de um apartheid, separação territorial entre caucasianos, asiáticos, tártaros, askhenazes e sei lá mais quantas. Por essa razão penso que não é da cultura deles e dificilmente pode entrar nas suas cabeças, um sistema NS.

Também parece-me haver outra explicação, foi dali que nasceu todo o contrário das teorias eugénicas e raciais que eram moda nos anos 1900,20, 30, 40 aqui na Europa de Oeste. Foi com Staline que essa onda de teóricos negadores da raça, surgiu. Portanto com o comunismo.

Por exemplo, tomemos o caso de Soljenitsyne, ele era um nacionalista. Um nacionalista mas não socialista. Um patriota, um nacionalista-patriota-ortodoxo. Alguém que defendia a cultura e costumes da Rússia. A soberania da Rússia. E acho que o conceito de "NS" não entra na maneira de ver dos russos, eles têm mais inclinação para um nacionalismo patriótico, um nacionalismo religioso.

Vejamos por comparação o caso da Polónia em relação á Rússia e também relativo a esta invasão de parasitas afro-árabes. Temos aqui um país, que também tem uma inclinação geral para o nacionalismo religioso. Psicologicamente, por medo dos russos, após tantos anos de comunismo, eles entregam-se nas mãos da NATO. A NATO é sionista portanto, e se o é, promove a invasão da Europa pela escumalha afro-árabe. Como vêm, esta associação Polónia-NATO, não tem sentido com o nacionalismo polaco. Até que quem governa a Polónia, é um partido católico nacionalista, contra a invasão de escumalha. Só se pode compreender estas pequenas nuances e contradições, se atentarmos para a história de cada país, por esse meio, as coisas já começam a ter algum sentido, mesmo se ainda persiste a contradição.

Thor disse...

"Este sequência dos atentados de Paris este "nacionalista" está preocupado com os judeus. Granda Filho da puta.

Reparem bem no que este filho da puta deslarga lá no seu curral:

"É patético: fala-se a toda a hora de “islamofobia”, se criticarmos o islão ou as "comunidades muçulmanas" somos rotulados de “racistas”, mas o verdadeiro acto racista do nosso tempo tem sido direccionado contra judeus franceses, que deixaram de se sentir seguros na sua própria terra"

http://a24opinions.blogspot.pt/2015/11/nao-ataquem-siria-ataquem-o-medo-de.html"



caguem nesses merdas. nada temos a ver com essa gentalha.
já vai sendo hora de nos desligarmos deles.

Thor disse...

" Ora bem, não foi Putin e a sua Rússia que andou estes anos todos a financiar estes terroristas. Não foi ele que invadiu o Iraque, a Líbia, a Síria, o Afeganistão e que anda por aí a espalhar a morte de pessoas inocentes,"


não sei se te lembras, mas o Putin não só não foi contra a invasão do Afeganistão em 2001, como foi A FAVOR. a Rússia apoiou os EUA em 2001, em nome da "guerra ao terrorismo", portanto, o teu "argumento" cai pela base.
segundo, a URSS esteve no Afeganistão entre 1979 e 1989, quando o Putin fazia parte da KGB. e a URSS matou cerca de 1,5 milhão no Afeganistão.
terceiro, ele está a invadir a Síria neste preciso momento.
quarto, ele também nada fez para impedir a destruição do Iraque ou da Líbia.

portanto, todos esses teus "argumentos" caem pela base.
porque afinal Putin também fez isso SIM.
nuns casos fez o mesmo, e noutros, se não fez, também não foi contra.

Thor disse...

e não é um argumento decente vir fazer a "defesa" de Putin, meramente enumerando todas as atrocidades que os EUA fizeram.

sim, eles fizeram tudo isso e muito mais.
e até podiam ter feito mais ainda...

mas será que é os crimes dos EUA que faz o Putin ser bom?

oh amigo, vamos ver se nos entendemos.
ou o Putin é bom pela positiva ou então não é!
se o Putin é "bom" apenas porque os EUA invadiram 483 países, então estamos muito mal.

nesse caso, então o Saddam e o Kadafi também passam a ser boas pessoas só porque os EUA invadiram esses países todos, incluindo os países deles.

oh amigo, a ver se a gente se entende: o Putin É amigo dos EUA!
foi amigo do Bush e agora é amigo do Obama.

o Putin também mata na Ucrânia e não é pouco.
o Putin está a invadir a Síria.
o Putin inicialmente apoiou a "guerra ao terrorismo" em 2001, logo após o 11-9.

não adianta essa coisa de dizer que o Putin é "bom" porque os EUA invadiram 374 países.

as pessoas não podem ser boas pela negativa ou porque há um único mal no Mundo.
ou as pessoas são boas pela positiva ou não são.

Thor disse...

"Um grande homem, um grande sábio dos nossos tempos, de seu nome Alexandre Soljenitsyne, dizia, que de todos os que passaram como dirigentes da Rússia, o único que merecia a sua consideração e respeito, era Vladimir Putin. Dizia, ele é a esperança da Rússia. "


não é um argumento.
ou se argumenta com factos ou então não se argumenta.
"esperanças", "magister dixit", "apelos à autoridade", "fé", "feelings", "confiemos neste autor que ele é que percebe"....nada disso são factos.
isso é fé irracional e fundamentalismos sem qualquer fundamento.

Thor disse...

"Por exemplo, tomemos o caso de Soljenitsyne, ele era um nacionalista. Um nacionalista mas não socialista. Um patriota, um nacionalista-patriota-ortodoxo. Alguém que defendia a cultura e costumes da Rússia. A soberania da Rússia. E acho que o conceito de "NS" não entra na maneira de ver dos russos, eles têm mais inclinação para um nacionalismo patriótico, um nacionalismo religioso."


o NS também pode ser religioso. só não é, é forçosamente cristão, mas mais pagão, embora possa "tolerar" o cristianismo. e depois nacionalismos patrióticos não são nacionalismos. só há nacionalismo racial. não há outro, nem nunca haverá.

Gang2 Ervilha disse...

"É patético: fala-se a toda a hora de “islamofobia”, se criticarmos o islão ou as "comunidades muçulmanas" somos rotulados de “racistas”, mas o verdadeiro acto racista do nosso tempo tem sido direccionado contra judeus franceses, que deixaram de se sentir seguros na sua própria terra"

http://a24opinions.blogspot.pt/2015/11/nao-ataquem-siria-ataquem-o-medo-de.html"

Nunca tinha aterrado nesse blog aí. Que vergonha esse gajo. Hoje em dia, é de bom tom criticar o Islão, mas se alguém critica os judeus, até parece que o mundo vai desabar! E vem logo uma avalanche acusatória de: é um facho, um nazi, um racista, um antissemita, anti-israelita! Estas pessoas não compreendem, ou não querem expressamente compreende-lo, que o Islão é apenas o efeito de uma causa. Enquanto se critica o Islão, os sionistas estão bem protegidos. Escondidos como ratos, pois não passam disso mesmo, de ratos. E estão a conseguir enganar todo o mundo assim! Não é atacando o efeito de uma causa que se conseguirá resolver o problema. É a causa que deve ser atacada em primeiro para que o efeito desapareça. Mas temos de admitir que os ratos são espertos, metem o Islão á frente das câmaras enquanto eles estão por detrás sem que ninguém os tope.

Achei interessante o caso do Afeganistão. A verdade é que não tem muito sentido o facto de Putin ter dado o seu aval, á intervenção americana no Afeganistão se tomarmos em conta que ele sempre foi contra a intervenção americano-sionista noutros conflitos. Na minha maneira de ver, tal acto só se pode explicar por uma conjectura geopolítica que se vivia naquela época. Putin tinha chegado ao poder há muito pouco tempo, com muitos e muitos problemas económicos para resolver. Ao mesmo tempo teve de fazer face a rebeliões terroristas em vários pontos geográficos na própria Rússia como á volta das suas fronteiras. Rebeliões na Tchetchénia, no Uzbequistão, possíveis revoluções coloridas, e existia também muitos problemas na zona fronteiriça com o Afeganistão.

Putin então provavelmente esteve de acordo, não para fazer a vontade aos americanos, mas tendo em vista uma estratégia a longo prazo: o de se livrar dos inúmeros problemas que lhe davam a esta zona fronteiriça, um foco do terrorismo que poderia deflagrar a qualquer momento para-lá da fronteira russa. Não vejo outra explicação se atendermos que Putin veio a arrepender-se anos mais tarde, quando no Grupo de Shangai em 2005, todos condenaram a permanência dos americanos naquela zona e exigiram cordialmente que os americanos deveriam sair dali. É que se Putin julgava que os americanos o vinham livrar de um problema, ao contrário, o problema do terrorismo agravou-se ainda mais. Foi um erro de Putin. Ningué é perfeito. Mas importa esclarecer que Putin nunca deu apoio militar, apenas apoio humanitário.

O caso da Ucrânia, que por acaso sigo atentamente, é um golpe sionista. Isso não é segredo para ninguém. Olhem para os ditos NS (?) Svoboda e Pravy Sektor...dirigidos e financiados pelos americano-sionistas para fomentarem a revolução do Maidan. É só lambedores de botas dos americanos naquele governo.

Mas o que acho mais interessante no caso Ucraniano, é o perfeito domínio da situação por parte do Putin. É um estratega terrível, faz-me lembrar a malícia de Erwin Rommel, a Raposa do Deserto. O que os americanos no fundo queriam, era que a Rússia atacasse abertamente a Ucrânia. Seria o pretexto tão desejado para o início de um conflito. A Duma dá autorização a Putin para invadir a Ucrânia... logo de seguida Putin nega-se a intervir na Ucrânia. Os americanos o que tinham previsto, não o tiveram! Putin mostrou-se mestre da situação e deu um volte-face aos planos americanos. Nas previsões dos americanos não constava que Putin se recusa-se a intervir na Ucrânia.

Mas já agora, existe o NS cristão. Existem vários grupos nacionais-socialistas católicos. A questão racial é uma das componentes, mas não tem a importância que se dá por exemplo num NS de vertente, digamos, hitleriana.

Thor disse...

"Achei interessante o caso do Afeganistão. A verdade é que não tem muito sentido o facto de Putin ter dado o seu aval, á intervenção americana no Afeganistão se tomarmos em conta que ele sempre foi contra a intervenção americano-sionista noutros conflitos."


ele não deu aval à invasão do Iraque em 2003, mas deu aval à invasão do Afeganistão em 2001.
ainda outro dia vi uma tabela sobre isso, sobre os países que apoiaram e não apoiaram as guerras e intervenções dos jewUSA. agora, não me lembro onde está. mas que vi, vi.




"O caso da Ucrânia, que por acaso sigo atentamente, é um golpe sionista. Isso não é segredo para ninguém. Olhem para os ditos NS (?) Svoboda e Pravy Sektor...dirigidos e financiados pelos americano-sionistas para fomentarem a revolução do Maidan. É só lambedores de botas dos americanos naquele governo."


calma. as coisas podem não ser assim tão simples. aquilo pode estar infiltrado, e eu próprio já relatei isso aqui no blogue. mas não está TUDO infiltrado. há facções dentro desses movimentos que não estão infiltradas...
nomeadamente o Social-National Assembly.
aquilo lá está dividido. não é tão simples assim. e mesmo a infiltração do Svoboda é recente.




"Mas já agora, existe o NS cristão. Existem vários grupos nacionais-socialistas católicos."

existe, mas é um pouco esquizofrénico. e normalmente são ortodoxos, ou protestantes ou outra coisa qualquer. raramente são católicos romanos.





"Nunca tinha aterrado nesse blog aí. Que vergonha esse gajo. Hoje em dia, é de bom tom criticar o Islão, mas se alguém critica os judeus, até parece que o mundo vai desabar! E vem logo uma avalanche acusatória de: é um facho, um nazi, um racista, um antissemita, anti-israelita! Estas pessoas não compreendem, ou não querem expressamente compreende-lo, que o Islão é apenas o efeito de uma causa. Enquanto se critica o Islão, os sionistas estão bem protegidos. Escondidos como ratos, pois não passam disso mesmo, de ratos. E estão a conseguir enganar todo o mundo assim! Não é atacando o efeito de uma causa que se conseguirá resolver o problema. É a causa que deve ser atacada em primeiro para que o efeito desapareça. Mas temos de admitir que os ratos são espertos, metem o Islão á frente das câmaras enquanto eles estão por detrás sem que ninguém os tope."


sem dúvida. subscrevo a 100% esse comentário.
esse palerma do A-24 é só mais um neocon. é para ignorar completamente.
sabes que segundo a narrativa destes gajos filo-judeus é ao contrário do que dizes: os judeus é que se pode criticar à vontade, mas criticar os islâmicos é que é mal visto hahaha
quanta força não devem fazer para fingirem que acreditam nisso.