"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Sarkozy e os ilegais

Sarkozy diz que não aceitará regularização em massa de "imigrantes ilegais"

Paris, 24 nov (EFE).- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, assegurou hoje que não aceitará a regularização em massa de "imigrantes ilegais", que seria um "erro trágico".

Em uma pequena viagem por Épinay-sur-Seine, Bobigny e Perreux-sur-Marne, três cidades ao norte de Paris, Sarkozy declarou que, enquanto ele for líder de Estado, não aceitará "uma regularização global daqueles que não têm papéis".

"Todas as vezes que houve uma regularização em massa, houve um efeito contrário ao buscado" para os fluxos migratórios, disse o presidente francês, que afirmou que "a regularização de todo mundo seria um erro trágico".

Sarkozy lembrou que "os espanhóis fizeram (a regularização em massa)" e que "os italianos também fizeram e atualmente se encontram entre os que fazem com maior firmeza o controle das fronteiras europeias".

"A França recebe por ano 100 mil pessoas (...), mas tratamos da mesma forma os que têm papéis e os que não têm, então por que dar papéis aos que solicitam?", perguntou o presidente francês.

Insistiu em que França é "generosa", mas, como disse o ex-primeiro-ministro Michel Rocard, não pode "acolher toda a miséria do mundo".

Sarkozy comparou o modelo americano com o francês e ressaltou que do outro lado do Atlântico "se você está doente, não tem direito a entrar", enquanto na França se "o você está doente, é curado".

As declarações de Sarkozy são feitas dois dias depois que a primeira secretária do Partido Socialista (PS) francês, Martine Aubry, se mostrou favorável a uma ampla regularização de "imigrantes ilegais". EFE

FONTE


espera...deixa-me ver. acho que estou confuso, mas não foi este mesmo judeu húngaro que disse que a diversidade era uma "obrigação" e que chegou a ter discursos tão repugnantes como este:???






















agora, este "bom samaritano" está preocupado com ilegais? que se passa?  o plano de tornar a França numa républica (ainda mais) multi-racial está a dar para o torto?
é bom lembrar que Sarkozy respondeu ao PS (Sócrates portanto) de lá, que queria uma grande regularização de (ainda) mais ilegais.
acho ainda mais hilariante, que por lá haja quem o considere nazi chegando a chamar-lhe Sarkonazi, pior que Le Pen, etc
este pseudo-nazi, que tem tanto de "nazi" como eu tenho de extremo-esquerdista, não quer a França cheia de mais ilegais, mas lá vai dizendo que a França é generosa, que o multiculturalismo é uma obrigação, etc, etc
tal como o pseudo-nazi Gordon Brown do Reino Unido, também este judeu foi e é responsável pelo enfiar toneladas de imigrantes pela Europa dentro. como ele próprio diz, a França recebe 100 mil pessoas por ano. ora, a este ritmo, em poucos anos, poucas décadas, a França já era.

mas talvez a grande preocupação do judeu multiculturalista com o excesso de imigrantes seja esta:

FONTE

é por estas e por outras que já nem mesmo os multiculturalistas conseguem disfarçar mais o fracasso da imigração. tanto, que até eles próprios tomam medidas para regrá-la ou impôr travões,  mesmo que de identitários tenham precisamente zero.

em França, no Reino Unido, na Alemanha, Itália ou qualquer outro país, só os partidos nacionalistas, FN, BNP, NPD, LN, etc, etc, se opõem à imigração e não apenas quando a coisa "aperta" ou quando "dá para o torto".

5 comentários:

Vera disse...

O Sarkozy, áí nessa foto, lembrar-me um desenho animado qualquer mas não sei qual...
Parece uma batata frita.
Será que é aquele cor-de-laranja da Rua Sésamo? O Egas ou lá o que é.
Ou então o Poupas, amarelo...

Vera disse...

http://www.youtube.com/watch?v=9wUMKD1Zp2E

Não me lembro se o Thor ouve Bryan Adams...

Thor disse...

"Não me lembro se o Thor ouve Bryan Adams..."


por acaso, adoro Bryan Adams. sou fã, embora esse som que puseste dele não seja dos meus preferidos.

Vera disse...

Os Cranberries estiveram cá um dia deste e nem dei por nada :|
E não fui a Rammstein.
Ando-me a baldar!

Anónimo disse...

o sarkagalhão FDP nomeou uma carrada de islâmicos para o governo.