"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

quinta-feira, 7 de julho de 2011

judeus da aràbia na origem do Islão












algumas citações de um texto muito longo:

"O texto de Aminuddin esclarece que havia em Yaçrib, no século VII, um grupo de judeus -- talvez uma seita judaica -- que, elocubrando sobre o Talmud e sobre a Torah, esperava o Messias para logo, e que, a princípio, os "gênios" de israel -- os rabinos -- o identificaram com Maomé. Teriam sido esses judeus que, inicialmente, induzidos pelos "gênios de israel" -- por alguns rabinos -- lançaram Maomé como o "último Profeta", isto é, como o Messias de israel, apesar de ser ele árabe, e não membro do povo judeu.

Que os judeus da Arábia, no tempo de Maomé, estavam esperando a iminente chegada do Messias é confirmado pelo que diz Bernard Lewis:


"Para alguns judeus da época o advento do Profeta na Arábia e a emergência de uma nova potência mundial, capaz de destronar a hegemonia tanto de Roma como da Pérsia, e de arrebatar Jerusalém e a terra santa do pesado jugo de Bizâncio pereciam pressagiar a iminente realização das profecias judaicas e a vinda da era messiânica. Fragmentos de escritos judaicos da época, apocalípticos ou de outra natureza, dão alguma indicação do fervor e da expectativa suscitados pelas primeiras vitórias árabes. Um piyyut (poema litúrgico), composto provavelmente após as primeiras vitórias árabes na Palestina, mas antes da captura tanto de Jerusalém quanto de Cesaréia, a capital provincial de Roma, pode servir de exemplo:

"Edomitas e ismaelitas lutarão no vale de Acre
"Até que os cavalos submerjam em sangue e pânico
"Gaza e suas filhas serão apedrejadas
"E Ascalon e Ashdod serão paralisadas pelo terror"

(Bernard Lewis, Judeus no Islã, Xenon ed., 1990, p. 90. Edição original, The Jews of Islam, Princeton University Press, 1916)



Prossegue Aminuddin Mohamad contando que...

"Os judeus em Madina receberam bem a Mohamad e fizeram com ele uma aliança a fim de tirarem proveito da sua influência e poder; porém, o plano de Deus trabalhava de outra maneira.

 

"Um dos sábios e sacerdote dos judeus, chamado Abdallah Bin Salam abraçou o Islam juntamente com toda a sua família, isto porque ele sabia, e lia as escrituras sagradas, onde consta a vinda de Mohamad e seus sinais. Após a sua vinda, ele reconheceu logo que aquele é que era o último Profeta que Deus tinha prometido enviar, e essas promessas foram feitas através de Moisés (no Antigo Testamento) e Jesus (Novo Testamento).


no capítulo:  "IV - "O Caso dos Judeus" e "A reputação do esperado Profeta em Yaçrib"


(.........)


"E, aí, Aminuddin Mohamad volta a nos dar outra informação de muito valor:

"Até essa altura, o Profeta tinha um escrivão judeu, para correspondência hebraica, mas como os judeus se provaram traidores, já não se podia confiar neles, especialmente nos segredos mais elevados de Estado e dos muçulmanos. Havia necessidade de ter um escrivão confiado. Para isso, o Profeta 
ordenou a Zaid Bin Sábit, um jovem de Madina, para aprender o hebraico, a fim de se encarregar da correspondência do Profeta. Zaid Bin Sábit, além de ser um escrivão de revelação, durante a vida do Profeta, foi-lhe entregue a tarefa de compilar o Alcorão durante o Califado de Abu Bakr, o primeiro Califa" (Aminuddin Mohamad, op. cit., p. 246.).

Então, também o primitivo escrivão de Maomé era judeu!

E a correspondência de Maomé era feita em hebraico!!

E essa correspondência era tão abundante, que o novo escrivão teve que aprender hebraico.

Não se nos venha dizer que a correspondência de Maomé era em hebraico para se comunicar com 
judeus comuns, que não falavam o hebraico e sim o aramaico. Nesse tempo, só liam, escreviam e falavam o hebraico os rabinos e estudiosos da Torah e do Talmud.

E foi esse escrivão, Zaid Bin Sábit, cujo nome soa como de origem judaica, que escreveu a primeira 
compilação do Corão.

Não é à toa que no Corão -- como veremos em trabalho futuro, se Deus quiser -- haja tantos termos 
de origem hebraica, e tantos versos copiados dos midrashes rabínicos."


no capítulo:  "Os judeus rompem o acordo com o Islam - Conspiração de alguns judeus contra a vida de Maomé"



ler mais aqui:
FONTE

5 comentários:

Anónimo disse...

"e essas promessas foram feitas através de Moisés (no Antigo Testamento) e Jesus (Novo Testamento)."
taqyiia

Anónimo disse...

The (Talmudic, elitist) Jews have not been listening for 2000 years to anything but Pharisaism - the Muslims not for 1400 years but to Islam. The Europeans have been listening to the Muslims for 50 years while praising Islam to the sky. Lately the EU has been trying to make the Muslims adopt democracy - which the Koran forbids, Allah having already made all necessary laws and new ones thus being blasphemy! The EU has even given its “Fundamental Rights” and the “Framework Decision on Racism and Xenophobia” to criminalize who protest against the Muslim immigration. These “Human Rights” are solely to protect the poor Muslims who come here, not to work or be integrated, but to conquer Europe for Allah acc. to the Koran (sure 2: 218, 3:195, 4:97-100) and they are not allowed to take infidel friends ( sura 3:28 ), even call those who do not believe in the Koran “Criminals” (sura 3:82) with whom dialogue is only possible on the foundation of the mosque/Koran (9:7)- and otherwise kill us (e.g. sure 9:1-5, 9:29). There is even racism at hand, the Koran calling all “light-eyed” guilty (Sura 20:102) - whose property the Muslims have to take over (sura 33:27). So these immigrants never dreamt of listening. They come to be provided for by their victims whom they despise, rape, exclude from our own old cities, forming no go zones for whites and parallel societies - like the Talmud Jews. We now have to protect ourselves from this disastrous Muslim immigration.

Anónimo disse...

http://vodpod.com/watch/4689179-dancing-jews-rejoice-in-fall-of-the-twin-towers.

Anónimo disse...

Supreme Rabbi, Bent Melchior and his Brother, former Traffic Minister Arne Melchior, mocking those expressing discontent with the Muslim immigration - strongly supported by their Jewish tribesmen on the Danish Radio, TV and media - making such criticism “politically incorrect”.

The Zentralra der Juden http://www.focus.de/politik/deutschland/jugendgewalt/zentralrat-der-juden_aid_232518.html - especially Stephan Kramer and Friedman - smash Hessia´s Prime Minister , Roland Koch, by simply calling him “Nazi”. Through the Jewish controlled Media http://www.gwb.com.au/gwb/news/multi/goldwatr

Jewish Senator Barry Goldwater, former US presidency candidate. and here http://www.youtube.com/watch?v=0lnJL1kp0×8 a hetz was launche against him, turning a given victory into a debacle - creating political chaos in Hessia


The elite, goes on undermining our country by promoting Muslim immigration, mocking the ordinary people who heeded Ferdinand Duckwitz´warning and sent the Jews into safety in Sweden during WWII. No dialogue has removed the Jewish elite´s hatred and contempt for Gentile peoples.

The similarity between the hateful speech of the Talmud and the Koran is striking. But no wonder. Muhammad learned from the 3 Jewish tribes in Medina - before he exterminated them.

The Jewish elite have gradually taken power of all functions in our societies by means of money - and is said to be today´s Jewry.

Anónimo disse...

what the neocons did with Kosovo in 1999 (www.kosovo.net/ckos/page_01.htm and http://www.realjewnews.com/?p=81 )