"O que Lénin e Trotsky não atingiram com o fim de conduzir as forças que dormitam no bolchevismo para a vitória final, será obtido através da política mundial da Europa e América." - Rosenberg 1930

sexta-feira, 24 de junho de 2011

wilders absolvido de «incitar ao ódio»



Holanda: líder da extrema-direita absolvido de incitamento ao ódio

Geert Wilders foi processado por ter comparado o Corão à obra "Mein Kampf", de Adolf Hitler.

O líder da extrema-direita holandês Geert Wilders, processado por incitar o ódio e a discriminação racial e religiosa, foi hoje absolvido pelo Tribunal de Amesterdão.
"Você é absolvido de todas as acusações pelas quais foi processado", disse o juiz Marcel J. van Oosten em audiência pública, seguindo os pedidos do Ministério Público que solicitou a libertação de 25 de maio.

Geert Wilders foi processado por ter comparado o Corão à obra "Mein Kampf", de Adolf Hitler, e por ter exortado os muçulmanos a adotarem a "cultura dominante" ou então a saírem do país, em comentários feitos entre 2006 e 2008 em jornais holandeses, em fóruns na internet e nos 17 minutos do seu filme "Fitna" ("discórdia" em árabe).

"Vitória da liberdade de expressão"

À saída do tribunal, Wilders revelou à imprensa estrangeira que estava "extremamente feliz e satisfeito" e considerou que esta decisão foi "uma vitória para a liberdade de expressão".

"Enquanto eu viver, vou continuar a expressar-me", assegurou o líder do Partido para a Liberdade (PVV), que suporta no Parlamento o Governo liberal do primeiro-ministro Mark Rutte, salientando que a decisão "significa que é legal criticar o Islão".

Wilders, de 47 anos, foi considerado inocente de insultar um grupo de pessoas e de quatro acusações de incitamento ao ódio e de discriminação racial e religiosa, pelas quais arriscava até um ano de prisão ou uma multa de 7.600 euros.

O Ministério Público tinha exigido a libertação a 25 de maio e os autores da denúncia não têm o direito de apelar, de acordo com Polly van Dijk, porta-voz do tribunal de Amesterdão.

A promotoria tinha decidido a 30 de junho de 2008 não processar o deputado na sequência das queixas apresentadas contra ele, antes de ser forçado, a 21 de janeiro de 2009, pelo Tribunal de Recurso de Amesterdão.

O processo contra Geert Wilders foi aberto a 4 de outubro de 2010.


FONTE

4 comentários:

Anónimo disse...

Cuidado!
No islam maomé até assassinou allah.

Anónimo disse...

«Cuidado!
No islam maomé até assassinou allah.»

o maomé era um porco
o allah é paganismo arabico

Anónimo disse...

o lóbi dsk, o porco saiu da prisão.

Anónimo disse...

Nils Muiznieks está à frente da ECRI (Council of Europe's Anti-Racism Commission)


Muiznieks, Mucznik ?